RtsIniciais01 - VivaJesusBr

São Pio de Pietrelcina seja nosso guia e nos ampare!
Estamos a 18 anos evangelizando! Obrigado!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2020, novidades!
Ir para o conteúdo
Santa Missa > Partes da Missa
Ritos Iniciais 02 Ritos Iniciais 01
 Ritos Iniciais 02
Por: Vivaldo Armelin Júnior - abr./17
• Por que ficamos em pé durante o ato litúrgico? Ficar em pé é um ato ou atitude de respeito, um sinal e também de reconhecimento a Deus, um exemplo, quando o sacerdote, presidente da cerimônia, entra em procissão para dar início à Liturgia, todos ficam em pé diante daquele que estará representando Jesus durante a cerimônia.
• São vários os momentos da Missa em que a assembleia é convidada a ficar em pé. Um deles ocorre quando é proclamado o Evangelho, uma atitude de respeito à Palavra de Deus, e uma posição que não é de descanso ou repouso.
 • Outro momento importante é quando a assembleia vai rezar o Pai Nosso, não apenas permanecem em pé, bem como abrem os braços e de mãos abertas para o Céu reverenciamos à Santíssima Trindade, ou seja, nosso único Deus. As mãos abertas voltadas para o Céu, a morada de Deus simboliza a nossa gratidão e respeito.
 Ritos Iniciais 01
Por: Vivaldo Armelin Júnior - jan./17
• Antes de falar um pouco sobre os Ritos Iniciais da Santa Missa, é importante destacar que a esse rito é o momento do encontro e de maneira sublime e humilde nos oferecermos a Deus. Na Missa há uma reunião, portanto não é um momento pessoal e individual, todos rezam por todos, consequentemente por si próprio.
• Deus nos quer reunidos, orando juntos, para ouvir suas Palavras, seus Ensinamentos, tudo pela Santíssima Trindade.
• Na Missa é um momento de envolvimento com Deus, não para ficar reparando nas roupas de seus semelhantes, na postura de cada um, se é rico ou pobre, conversar, contar piadas, brincar, tudo é muito sério. Isso não quer dizer que durante a Missa não se possa dar rizada, Jesus entre nós riu e muito. A seriedade aqui descrita se refere à importância do ato litúrgico, afinal estamos nos comunicando com Ele.
• Para entender melhor falarei um pouco sobre o Rito Inicial, vejam como é estruturado:
 
1. Preparação, é o momento de deixar tudo arrumado, como, receber o povo de Deus, fazer ajustes em instrumentos musicais, providenciar os leitores, entre tantos outros preparativos. A cerimônia ainda não começou, mas é um momento especial. Alguns padres recebem seu rebanho até minutos antes do início da Sagrada Missa, ou seja, de acolhimento. Logo em seguida, pouco antes da procissão, poderá haver um comentário introdutório ou de recados, como a intensão da Missa.
2. Procissão de entrada, são várias as maneiras que possa acontecer, por exemplo, vindo direto da sacristia com o sacerdote acompanhado por coroinhas, ministros, leitores, convidado especial, acólitos etc. Outra maneira é vindo da entrada da igreja, quando acontece em uma, ou seja, não é uma Missa campal, composta pelos mesmos membros já citados acima pelo corredor central ou pelas laterais, em fila única ou dupla, ou ainda, uma fila pela lateral esquerda, outra pela direita e pelo centro o sacerdote ou bispo, acompanhado pelos coroinhas. Esse momento é importante porque o fiel está recebendo o representante de Cristo, o sacerdote, bispo... Mas, também, indica que se está seguindo o caminho indicado por Jesus Cristo para a salvação e a vida eterna no Reino de Deus. Geralmente é acompanhada por um grupo ou toda a assembleia com cantos iniciais.
3. Reverência ao altar, o sacerdote ou bispo faz reverência beijando o altar, porque é feito? O altar é o corpo de Cristo, local da Ceia do Senhor, onde todos se reúnem a sua frente ou volta, por isso, o(s) sacerdote(s) e ou bispo(s) o beija(m) e em seguida fazem a incensação. Terminado, o sacerdote, presidente da cerimônia saúda seu rebanho e, quando houver, apresenta o(s) concelebrante(s). Ele faz o Sinal da Cruz, que ´-e seguido por todos da assembleia. Entre a reverência e o Ato Penitencial pode haver música.
4. Ato Penitencia, nos colocam diante das manifestações de Deus a nossa pequenez e falta de palavra ao quebrarmos a Aliança, muitas vezes porque não entendemos os Mistérios de Deus, que são oferecidos durante a celebração. O Ato Penitencial poderá ser cantado, mas não com qualquer música ou maneira, é preciso que a letra e a música sigam as normas litúrgicas. O sacerdote, presidente da cerimônia pede a cada fiel que faça um exame de consciência e peça perdão a Deus. Não deve haver nenhuma outra ação, é um momento de total respeito com seus semelhantes e com Deus. Poderá haver a aspersão de água benta sobre os fiéis, mas isso é facultativo. Esse ato é para relembrar o Batismo.
5. Hino de Louvor ou Glória, trata-se de um hino cristológico e segundo alguns estudiosos ele está presente na Santa Missa desde os primórdios da Santa Igreja de Jesus. Ele não precisa ser cantado, poderá sim ser recitado. Não faz parte da Missa nos tempos do Advento e Quaresma.
6. Oração da Coleta, é toda dita pelo sacerdote, que logo após dizer "oremos", fazer um breve silêncio, então é rezada a oração que é diferente para cada celebração. Termina-se com o "Amém!". Seu nome, Oração de Coleta, refere-se ao momento em que cada fiél coloca mentalmente suas intenções, faz uma oração também mentalmente. Tudo ocorre para preparar a assembleia para a Ceia do Senhor.

• Para concluir, esse é o último momento dos Ritos Iniciais, ou seja, para que sejamos, como parte da assembleia, introduzidos na celebração e envolvidos na busca por Deus, a Santíssima Trindade Una.
Voltar para o conteúdo