Perseguição01A - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
A Igreja Católica
Perseguições XI
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Abr./18
• As universidades não eram como as dos nossos dias, tanto no que se refere às estruturas, bem como no que se refere ao modo de pesquisar, mas era o que tinham, e, para a época, era o melhor. A Igreja soube aproveitar-se beneficamente deste espaço de pesquisa, possibilitando a todos melhores condições de vida. A universidade, não resolveu, mas abriu as portas para diminuir as epidemias, por exemplo.
• Foram os Papas que assumiram a criação, manutenção e a orientação sobre as pesquisas, nunca impondo, abertas a qualquer área do conhecimento da época. Garantiram que os integrantes da universidade pudessem discutir, analisar, debater, com liberdade e não importando o assunto, a única exigência, era que se provasse a tese ou teoria antes de divulgá-la. O interessante é que nesse espaço eram discutidos temas que eram mais sensíveis para as comunidades daquela época. Essa dos Papas atitude permitiu que as universidades, em plena Idade Média crescessem mais do que as privadas. É preciso destacar que muitas delas existem até os nossos dias, algumas na França, Itália, Inglaterra, Espanha etc.
• São Tomás Aquino (1225 - 1274) tinha por hábito levantar questões e depois debatê-las, não apenas com religiosos, mas com estudiosos e até a sociedade. Atitude muito avançada para a época, pois as pessoas pensavam muito mais em si do que no semelhante. Os debates envolviam temas variados, desde os religiosos até os científicos e históricos, passando por aqueles que faziam parte da vida da maioria da sociedade. Esse processo não era comum durante o século XIII.
• São Tomás de Aquino lançava a questão, sabia ouvir, debater e até responder, mas principalmente aceitar o resultado da discussão, mesmo que não o agradasse. Nunca humilhava um indagador ou quem opusesse às suas ideias, muito menos o oprimia. Este religioso era humilde, mas profundo estudioso e conhecedor. A Igreja sempre o incentivou, pois promovia o bem, a melhora da sociedade e seu conhecimento. São Tomás foi proclamado pelo Papa Pio V, Doutor da Igreja em 1568.
Anteriores
A Verdade sobre a Santa Igreja - I
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Fev./17
• É interessante a postura de algumas pessoas diante das calúnias, difamações, inverdades e a desinformação promovidas por pessoas que visam denegrir e até desacreditar a Santa Igreja Católica. Dentre essas pessoas, uma parte até acreditam nessas improbidades, e, o pior, se dizem católicas. Esse é o motivo para lançarmos esse site do Portal VivaJesusBr, para divulgar a verdade, não apenas do ponto de vista dos cristãos católicos ou da própria Igreja, mas as verdades históricas e não as mentiras geradas por interesses políticos, pessoais, de riqueza etc.
• Todo esse ataque à Santa Igreja Católica Apostólica Romana é originária de diversas fontes, não só contra a fé cristã, mas a todas as religiões que pregam e acreditam que a família é a salvação para a humanidade. Por quê? Simples, a Igreja promoveu e promove o desenvolvimento humano, vamos mostrar isso e até destacar pessoas que provaram que muito do que se fala é inverdade, muitos pesquisadores, cientistas, historiadores e religiosos. Para não ser enganado é preciso ler e entender como se deu a construção da única Igreja criada por Jesus Cristo, seus problemas e dificuldades, pois ela é constituída por seres humanos, que são mortais, erram, mas não esconde seus erros. Entenda que não é a Igreja que erra, mas sim as pessoas que dela fazem parte. A Santa Igreja nunca escondeu seus problemas e erros, por exemplo, no caso da perseguição e até a morte de Santa Joana D'Arc, quando um bispo, por interesses pessoais, se vendeu aos ingleses e condenou de maneira irregular a jovem. A Igreja Católica Apostólica Romana percebendo os erros e as inverdades que condenaram Joana, de imediato ordenou uma grande investigação, e ela, culminou na revogação dos atos daquele bispo. Mais tarde, não só se provou que Joana D'Arc era inocente, bem como falava com Santos e Santas. Outro exemplo bem próximo de nós aconteceu com o então Padre Pio de Pietrelcina, que era um homem abençoado por Deus, que desde criança via e falava com Jesus e Nossa Senhora. A maior perseguição a esse religioso veio de dentro da própria Igreja. Erros gravíssimos foram cometidos, o que muitas Igrejas fariam e fazem, que é esconder os fatos, a Santa Igreja fez e faz a questão de divulgar seus erros e problemas, com isso mostra a verdade e não a mentira.
• No Brasil destacamos dois estudiosos destes fatos e acontecimentos, o Professor Aquino, da Canção Nova, e o Padre Paulo Ricardo. Na internet existem muitos vídeos de ambos explicando a História da Igreja e as perseguições que levam a inverdades, deturpações de fatos e acontecimentos, calúnias e difamações. No YouTube existem diversos vídeos, mas cuidado, muitos são dessas pessoas que não tem escrúpulos e distorcem a verdade, e, diante delas, não se rendam. Deus é Jesus, como o Filho único, parte da Santíssima Trindade.

A Verdade sobre a Santa Igreja - II
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Fev./17
• Algumas pessoas desinformadas ou mal intencionadas afirmam que a Santa Igreja Católica não permite a evolução humana, é antiquada e retrógrada, o pior, que ela não evolui. Outras atacam afirmando que a Igreja é exploradora, que não reproduz os ideais de Jesus Cristo e não trabalha em favor do pobre.
• A Igreja sempre trabalhou pelos seus filhos, promoveu a evolução das ciências, muitos religiosos foram responsáveis por descobertas científicas e até médicas, por exemplo,
— Pe. François d'Aguilon (1567 - 1617) - matemático, físico e arquiteto. Jesuíta belga.
— Pe. Mário Bettinus (1582 - 1657) - Jesuíta. Filósofo, matemático e astrônomo. Foi homenageado quando deram seu nome a uma cratera na luz (Bettinus).
— Hermann de Reichenau (1013 - 1054) - Historiador e astrônomo e estudioso das artes musicais.
• Foram dados três exemplos, mas existem outros reconhecidos cientistas e pesquisadores. Então, afirmar que a Igreja não promoveu a evolução humana é pura mentira. Esses cientistas provam que a Igreja não foi e não é retrógrada.
• Não existe outra Igreja no mundo que tanto faz pelos pobres e menos favorecidos, é o caso da instituição A Igreja que Sofre, da Fazenda da Esperança, as Santas Casas que ainda são mantidas pela Igreja, entre tantas outras ações. Em Aparecida, o Santuário Nacional mantém ações sociais, não apenas a manutenção e construção do Santuário. Existe um asilo para idosos, feminino, o PEMSA que é voltado para educação musical e formação do cidadão, curso de formação em panificação, tudo gratuito e voltado para a população mais pobre.
• Aquele ou aquela que não conhece a Igreja de Jesus Cristo acaba acreditando nessas inverdades, calúnias, ofensas e difamações. Muitos estudiosos estão nesse século XXI desmentindo seus colegas que viveram na época do chamado Renascimento e até daqueles que viveram na época da Revolução Industrial. Mas, foi no século XX o maior ataque à Santa Igreja, quando pessoas que lutam contra a família, para ter mais poder e riqueza, lançaram calúnias, mentiras, difamações e intencionalmente, desinformaram.
• Uma grande revistas de circulação nacional, mas de qualidade duvidosa, a alguns anos atrás, publicou uma matéria colocando em dúvida as Sagradas Escrituras ao sugerir inverdades sobre a Santa Maria. Uma reportagem feita por uma jornalista onde sugere que A Virgem Maria teria traído São José e que Jesus não era Filho de Deus, pois se houve traição o que consta nas Escrituras não "é verdadeiro". Observando bem é possível descobrir que estas pessoas atacam a Igreja por interesse ou desinformação, como são os ataques vindos das novelas, filmes, documentários, além daqueles vindos de outras religiões denominadas cristãs. Igrejas que não aceitam Maria como Mãe de Deus.

Perseguições I
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Mar./17
• Um pastor que chuta a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, uma pastora que com um martelo destrói a imagem desta santa, sem respeito nenhum e ainda alguém proferindo ofensas ao fundo aos gritos, outro que faz um filme todo inverídico misturando fatos e épocas, mostram como a Igreja é perseguida até mesmo nos nossos dias.
• Esses acontecimentos não são um mero acaso, são na realidade intencionais e muito bem estudados. O objetivo é um só, denegrir a imagem da Igreja de Jesus Cristo, com inverdades, desinformação, calúnia, entre outras ações.
• Outro exemplo da perseguição vem de alguns estudiosos da Idade Média que afirmam ser um período de escuridão, pois a Igreja impediu o progresso das ciências, foi opressora, não evolui, que matou muitas pessoas durante a inquisição, muitas pessoas chegaram a afirmar que Joana D'Arc foi uma das vítimas da Igreja etc.
• Para quem não conhece a História da Igreja Católica e desta Santa até acredita. Joana foi perseguida por um bispo, que mancomunado com os ingleses por interesses particulares, levou a jovem à condenação. O pior foi que esse mesmo bispo ocultou fatos. No entanto, quando a Igreja descobriu que aquele julgamento foi uma fraude, imediatamente tomou uma atitude severa e sem precedentes, além de reabilitar sua imagem admitiu o erro de um de seus integrantes. Geralmente as instituições escondem o ocorrido, mas a Igreja não.
• O Arcebispo tinha interesses pessoais e os ingleses garantiram que iriam proporcionar o desejado pelo Bispo. A jovem Joana foi queimada viva pelos ingleses, que colocou seus soldados acompanhando todo processo para garantir a condenação.
• Por outro lado a Igreja propunha tanto para a França e bem como para a Inglaterra o fim das lutas e não teve conhecimento dos fatos, como já destacamos, o Arcebispo escondeu os fatos. Quando a Igreja teve conhecimento imediatamente abriu um processo investigativo que chegou a seguinte conclusão, o Arcebispo forjou provas, omitiu informações, não levou em conta as testemunhas a favor da jovem Joana, e até adulterou registros.
• Tempos depois, chamado iluminismo, que ocorre a partir do século XVI até o XVIII, põe o ser humano como centro do universo e não Deus. Os interesses materiais levaram os gananciosos a essa guerra de desinformação, mentira, calúnia. Essas pessoas, caracterizaram a Idade Média como sendo um período de escuridão, trevas, ignorância, pobreza, fome, miséria, entre outras acusações, pois tudo era culpa da Igreja Católica. O interessante é que foram bem diferentes os acontecimentos na Idade Média. Houveram diversas invasões na Europa, os invasores mataram, pilharam, levaram muitas pessoas à pobreza extrema. Por outro lado, a Igreja de Jesus, sem armas, foi ao encontro do povo, ajudou e até socorreu aqueles e aquelas que necessitavam. Não só isso, deu abrigo aos que fugiam, por esse motivo, muitos padres, bispos e freiras foram mortos pelos invasores, bárbaros, muçulmanos etc.
• Ela não só socorreu, mas também se aproximou dos invasores e os converteu.
Perseguições II
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Mar./17
• A Santa Igreja, ao contrário do que afirmam os perseguidores, sempre promoveu o progresso, nunca impediu as ciências, não é retrógrada, alienadora, sempre foi caridosa, acolhedora até para os que não a seguiam ou seguem, em toda sua história promoveu ações humanitárias e, principalmente, proporcionou a educação àqueles menos favorecidos pela vida.
• Foram muitas as Casas de Recolhimento fundadas por religiosos e religiosas, para crianças abandonadas, solteiras grávidas, idosos, mas também casas para tratamento de saúde etc. Ainda hoje muitas Santas Casas estão sob a administração de religiosos ou religiosas, muitas passaram ao poder público, isso é sabido. Um grande exemplo está bem próximo de nós, tanto em distância física, bem como de tempo, falo da Irmã Dulce. Uma irmã que dedicou a sua vida para os menos favorecidos. Hoje segue um processo de Beatificação desta santa mulher. Na Índia, uma pequena irmã também é exemplo para o mundo todo chamada Teresa de Calcutá, hoje santa, viveu no século passado.
• Mais um exemplo vem de uma Instituição Católica, que vive e realiza seus projetos apenas com o recebimento de doações, denominada "A Igreja que Sofre". Ela está espalhada pelo mundo todo, não onde há paz, mas naqueles locais onde há conflito, fome, perseguições... Não podemos nos esquecer de padres, freiras, missionários e missionárias que dão a vida pelo próximo. Muitos deles e delas são vítimas de doenças, são assassinados, presos, sequestrados e torturados.
• Desde o princípio a Santa Igreja, o Corpo Místico de Jesus, tem realizado, sem descanso, ações importantes para a sociedade em geral. Em Aparecida - São Paulo, os padres redentoristas tem realizado um grande trabalho nesse sentido, basta visitar a Santa Casa daquela cidade, o projeto PEMSA, que proporciona a educação musical a jovens em situação de risco dando lhes uma formação, a Casa do Pão, que também formam profissionais de panificação, tudo de graça. O Asilo para senhoras, a orientação para jovens grávidas.
• Estamos falando da História da Igreja, sempre perseguida, que tem seus méritos ocultados por muitos. Em Guaratinguetá - SP, nasceu a Fazenda da Esperança, hoje espalhada pelo mundo, que naquela cidade tem três unidades, uma masculina, uma feminina e uma fabril, todas recebem doações, mas também com o trabalho dos internos geram a sua própria renda. Ah! Os internos não pagam nada. A Fazenda recebe pessoas viciadas em qualquer tipo de droga. Foram o Frei Hans e o senhor Nelson os fundadores, e, ambos, seguem viajando e orientando todos internos em cada uma das unidades. É um trabalho muito bonito, vale a pena visitar uma das unidades em Guaratinguetá ou em outra localidade, são no Brasil 78 unidades, mas também tem 36 unidades em diversos países, por exemplo: nas Filipinas - 3; na Alemanha - 6; Argentina - 10; Itália - 2; Rússia - 1; entre outros países.
• É essa a Igreja retrógrada e que impede a evolução das ciências? É óbvio que estes ataques são caluniosos e mentirosos. Como pode a Igreja ser alvo de tantas mentiras, calúnias e distorções históricas com tantas ações que visam o bem-estar dos seres humanos, com tantas ações humanitárias? São muitos os religiosos, monges, jesuítas, franciscanos, entre outras ordens, que estudaram e se tornaram cientistas, sem abandonar a Igreja.
• Voltando à Idade Média, é preciso lembras que durante as epidemias pela Europa foram os religiosos e religiosas, padres, freiras, que abrigaram e trataram dos doentes, não abandonaram a região como faziam os mais abastados e mesmo os pobres. Muitos mosteiros construíram edificações para o tratamento destas pessoas, e para tratá-las tiveram que pesquisar. É óbvio que tiveram a ajuda de leigos, por sinal uma ajuda muito bem-vinda.
• Durante a Segunda Grande Guerra, o Vaticano, como a Suíça, era um país neutro, mas a neutralidade era no papel, pois foram recebidos muitos refugiados de guerra. De maneira oculta militares e civis eram alojados no território do Vaticano e depois, com muita organização, transferidos para outros países. A Suíça recebeu muitos destes refugiados de guerra. E tem gente que ainda fala mal do Papa Pio XII. Um exemplo, pouco divulgado da Igreja nessa época está no filme "O Negro e o Escarlate", de 1983, que conta a história de um Monsenhor, que trabalhava no Vaticano, dando guarida a refugiados, garantindo sua alimentação e a saúde. Assista-o, com certeza se você tem dúvidas sobre a Santa Igreja irá mudar de ideia.
• Desde os primórdios da Igreja seu maior objetivo é a caridade. Uma ação que é grátis, não visa benefícios e nem recompensa, sem alarde ou publicidade. Ajuda por caridade e amor ao próximo, como Jesus ensinou. O socorro é para aquele ou aquela que necessitam, os irmãos e irmãs inferiorizados, desamparados, enfermos, viciados...
Perseguições III
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Mar./17
• Uma curiosidade interessante nos primórdios da Igreja era a da população em geral, principalmente as que viviam em pequenos povoados e na zona rural, por terem se habituado à rotina diária, as pessoas nada faziam para mudar a maneira de viver e trabalhar. Os religiosos foram em auxílio destas pessoas com soluções que favoreciam e melhoravam as condições de vida e produção. Isso era possível porque em mosteiros e conventos não paravam de pesquisar, experimentar e inventar. A sobrevivência dos religiosos e religiosas dependiam de seus trabalhos, mas não podiam se esquecer do trabalho religioso e comunitário. Essa necessidade os levou a criar soluções que facilitavam seu dia a dia, e, ao contrário do que dizem os perseguidores da Igreja, de que ela é estagnada e estagnadora, os religiosos e religiosas introduziam em suas comunidades suas descobertas ou aprimoramentos.
• Os Apóstolos davam o que tinha em favor de um necessitado. Eles são os primeiros cristãos, portanto exemplos. Também levavam seus conhecimentos aos que precisavam sem nada cobrar. A ajuda a eles deveria ser espontânea, portanto não deveriam pedir.
• A Igreja é composta por seres humanos, ela em si é o Corpo Místico de Jesus Cristo, portanto não erra e não peca. O pecado e o erro vem de seus filhos, humanos, homens e mulheres falíveis, mas essa é uma pequena parcela. A maioria segue o que determinou Jesus Cristo, o que conta das duas Escrituras, da Tradição Católica e do Magistério da Igreja. Quando um componente da Igreja erra não se oculta nada, nem mesmo há uma ação de desinformação, o mais importante é que até pede, com humildade perdão pelos erros de seus integrantes. Nenhuma outra Igreja o faz.
• Nos nossos dias, mais precisamente com o surgimento da Comunidade Europeia, a Igreja foi excluída até mesmo como Estado. A Igreja não quer governar, mandar, ela quer apenas divulgar a doutrina cristã e favorecer o ser humano para uma vida voltada à salvação. O objetivo maior é destrui-la, desta maneira destrói-se o conceito cristão de família, proporcionando grandes ganhos financeiros. O individualismo será outra conquista para esses "governantes" que tem apenas interesses pessoais, no poder e financeiros.
• Nas crises provocadas por epidemias, como já destacamos no texto anterior, havia muita pesquisa por parte dos religiosos envolvidos no cuidado dos doentes. Eles não apenas cuidavam, mas buscavam soluções. Tudo para servir a Deus e não aos homens no centro do poder. Davam banho, limpavam suas feridas, passavam medicamentos disponíveis na época, era muito trabalhoso e cheio de percalços, pois muitos faleciam.
• A perseguição à Igreja de Jesus não divulga esse trabalho, não divulga a caridade praticada pelos cristãos anonimamente, sejam leigos ou religiosos. Tudo começou na Jordânia, porque o Rei Herodes achava que Jesus iria tirá-lo do governo. Chegou aos romanos e aos sumo sacerdotes dos templos, mas não ao povo judeu. É preciso deixar claro que esse povo não é culpado pela morte de Jesus, mesmo porque a Igreja Católica nasceu Judaica, Jesus era seguidor do judaísmo. A tudo isso a Igreja sobreviveu. São mais de dois mil anos de conquistas, descobertas, estudos e ganhos para a sociedade, mas também de intensa perseguição.
Perseguições IV
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Mai./17
• É totalmente incorreto comparar os nossos dias, século XX e XXI, com o século I, a Idade Média, o Renascimento e com a época da chamada Revolução Industrial. Por quê? Simples, o modo de vida e de ver a vida seguiam regras próprias para a época, portanto as pessoas não tinham a consciência que temos hoje em dia, e mesmo nos nossos dias se cometem erros absurdos. As leis humanas não eram tão completas como nos nossos dias e a cada região eram feitas para atender as suas necessidades.
• Portanto, se compararmos a Igreja da Idade Média com os nossos dias estaremos cometendo um grande erro. Todos os bons historiadores sabem que não se pode comparar épocas, mas é importante dizer a verdade, não adulterar fatos e acontecimentos. Uma comparação desse tipo levará a conclusões erradas, erros de análise histórica, social, econômica, cultural, política e religiosa.
• Sabemos historicamente que as primeiras grandes universidades foram fundadas e mantidas pela Igreja, então cabe uma pergunta, como pode ser acusada de retrógrada e contra as ciências abrindo e mantendo universidades? É para pensar? É óbvio que sim, o problema é que essas informações são omitidas e na maioria das vezes até dos livros escolares e que são fontes de pesquisa para estudantes. Observem como é uma coisa orquestrada. Você aluno é enganado ou tem a verdade ocultada, ou ainda, adulterada.
• Thomas Woods, professor universitário, portanto doutor, gravou uma série para a TV denominada "Igreja Católica: Construtora da Civilização", este vídeo está disponível no YouTube. Nessa série, pessoalmente, apresenta exatamente o que estamos disponibilizando no Portal VivaJesusBr. Como se trata de um série, são vários programas. Você pode assisti-los online ou mesmo baixá-los. Trata-se de um material riquíssimo e muito interessante.
• Não é a Igreja de Jesus Cristo retrógrada, alienadora ou contra as ciências, mas sim esses que a atacam, como já destacamos, essas pessoas visam apenas serem beneficiadas, não se importam com ninguém, nem mesmo familiares. Elas querem a família destruída, a aprovação da eutanásia, do aborto, entre outros interesses mesquinhos.
• O historiador e professor, autor de diversos livros, Andrew Dickson White (1832-1918), com aqueles e aquelas que atacavam a Igreja, como ele próprio destacava, a Igreja foi e é a grande responsável pela evolução humana, nas ciências, no relacionamento, na caridade, na preservação e perpetuação da história, nas artes em geral e na preservação da família, mas pouco se fala desta postura em suas biografias, basta consultar livros ou mesmo a internet. Era um grande historiador, trabalhou em várias universidades americanas como professor.
• Por essa razão, o Portal VivaJesusBr começou duas séries de matérias sobre a História da Santa Igreja e sobre a perseguição que a segue durante esses mais de dois mil anos de existência, são vinte séculos. Aos poucos, para que você possa também fazer sua pesquisa, análise e até chegar às suas conclusões. Como já foi destacado, não estaremos nos aprofundando nas informações, não por omissão ou para "escondê-las", mas para que este trabalho não se torne uma enciclopédia, apresentamos uma síntese, como no programa (série) do Prof. Woods, do Prof. Aquino, na TV Canção Nova, do Pe. Paulo Ricardo em seu site.
• Para não cair nas mentiras, difamações e desinformações é preciso pesquisar e procurar apoio de pessoas, padres, pesquisadores sérios e comprometidos com a verdade. Aprendendo a separar fatos ocorridos nos primórdios da Igreja, por exemplo, no século I, evitando fazer comparações com a Idade Média e também com os nossos dias, você está se informando corretamente.
• Todos os ataque não tem uma base sustentável, mas são maciçamente divulgados nos meios de comunicação, principalmente nos nossos dias. Jogos de computador sobre o tema acabam fazendo com que aquele ou aquela que joga acredite no que está vendo, inverdades para vendê-los, como o filme "Anjos ou Demônios". Não faça como muitos que preferem acreditar em tudo que ouvem, pois desta maneira não precisam pensar, mas faça de suas dúvidas motivo de pesquisa, em livros sérios, por essa razão ao final deste trabalho disponibilizaremos uma boa bibliografia, além daquelas que estão inclusas nos nossos textos.
Perseguições V
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Jun./17
• Quem pensa ou foi iludido a pensar que a Santa Igreja era e é contra a ciência está completamente errado. A Igreja não só não é contra as ciências, bem como não escondeu as suas descobertas, sempre as compartilhou com as comunidades a sua volta. É preciso destacar que na realidade, sem a Igreja as ciências estariam sim estagnadas.
• A Lua, o satélite da Terra, foi muito pesquisada e estudada pelos padres jesuítas, também de outras ordens, mas foram os jesuítas os maiores estudiosos, que eram cientistas, astrônomos, matemáticos, entre outras formações. A maior prova desse interesse por parte da Igreja é que a Lua possui trinta e cinco crateras com nome de jesuítas, os mesmo que as estudavam. Era um estudo precário se comparado com os nossos dias, por essa razão não podemos comparar épocas. As condições de pesquisa e estudo eram precárias. Só para ilustrar, daqui a uns anos os humanos vão dizer que o século XXI era uma sociedade ainda atrasada. As pesquisas dos jesuítas, monges, das várias ordens atingiam várias áreas do conhecimento e todo conhecimento era compartilhado com a sociedade.
• Roger Bacon (1212 - 1294) foi um dos mais conhecidos padres de sua época que era franciscano. Foi Professor da Universidade de Oxford, Inglaterra e em Paris. Por exemplo, era prática sua o estudo da natureza pela matemática. Também destacou a importância da experimentação e observação, condições básicas para a ciência moderna e universitária. Nada entre seus estudos e descobertas ficou escondido ou era considerado pecado. Como podem considerar a Igreja retrógrada, inibidora da evolução humana, alienadora, com tantos cientistas em seu meio, como astrônomos, matemáticos, biólogos, agrônomos...
• Outro padre cientista e santo foi Alberto Magno (?1193 ou 1206 - 1280), Professor da Universidade de Paris, teve como aluno São Tomás de Aquino, foi um grande pesquisador e professor, precursor das ciências modernas. Atuou em diversas áreas do conhecimento. Nunca foi repreendido pela Igreja, ao contrário, suas descobertas e estudos até foram usadas em benefício da população, a caridade é uma característica da Igreja de Jesus Cristo. Tudo na Idade Média.
• Os jesuítas, no século XVIII, contribuíram para o desenvolvimento do pantógrafo, microscópios refletores, dos relógios de pêndulo, microscópio refletores, óptica, telescópios, eletricidade, entre outras descobertas. No que se refere aos planetas do Sistema Solar, foram os primeiros a identificar os anéis de Saturno, a superfície de Júpiter, como a Lua afeta as mares...
Perseguições VI
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Jul./17
• Toda vez que a Igreja é acusada de fazer lavagem cerebral, com certeza que existe uma única intensão, desacreditá-la. Esses perseguidores não fazem nada direito, pois ocultam informações ou a deturpam. Veja o que acontece com a educação, principalmente, quando se diz que a educação é laica. Não é ensinado em nossas escolas, para não ter envolvimento com o religioso e para desinformar que determinados fatos foram e aconteceram graças a um religioso ou religiosa. O padre Giovani Battista Riccioli (1598 - 1671) foi o primeiro cientista a medir e calcular a velocidade de um objeto em queda livre e sua aceleração. Foi um grande astrônomo, chegando a estimar as dimensões da Terra. Era um jesuíta fiel a sua fé.
 • Por outro lado, o Padre Athanasius Kinrcher (1601 - 1680) era um filósofo e teólogo, professor de Física e Matemática, químico, vulcanólogo, e escritor. Escreveu quarenta e quatro livros, vários sobre o egito e hoje é considerado o pai da egiptologia, pois foi grande pesquisador da língua daquele povo. Na época ainda não havia sido descoberta a Pedra da Roseta, que permitiu decifrar ou traduzir a escrita egípcia. Foi um dos responsáveis por provar que a alquimia era uma fantasia, em outras palavras, uma falsa ciência.
Perseguições VII
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Out./17
• Alguns historiadores contam que Galileu foi perseguido pela Igreja Católica, mas a história não é essa, o que essas pessoas desejam é difamar a Santa Igreja, em outras palavras, adulteram a história apenas por interesses próprios e mesquinhos.
• No século XVI, Nicolau Copérnico, astrônomo polonês, acreditava que o planeta Terra era o centro do universo, portanto, todos os astros, planetas, inclusive o Sol, giravam em torno da Terra. Suas órbitas eram circulares perfeitas e com velocidade constante.
• Para a época essa teoria era verdadeira. Esse mesmo astrônomo muda sua posição e coloca o Sol como centro, mas ainda de maneira não como é definido hoje, no demais tudo continua igual. Cardeais católicos solicitaram a Copérnico que publicasse seus estudos. Quem pede a um cientista que publique seu trabalho não pode ser contra as ciências. A publicação foi feita em 1543. Copérnico faleceu logo após.
• Retornamos a Galileu, grande cientista, físico, matemático, entre outras áreas de pesquisa. Seus estudos eram compartilhados com a Igreja, pois ela, a Igreja, também possuía grandes pesquisadores, monges, jesuítas, franciscanos... São muitos os que, dentro da Igreja, faziam pesquisas, inclusive ajudaram nas grandes navegações. Em 1610, o Pe. Christopher Clavius escreveu para Galileu tinha a intenção de compartilhar descobertas feitas por jesuítas astrônomos, e, o mais interessante, essas descobertas confirmavam e coincidiam com as de Galileu, porém, as más línguas, não divulgam essas informações. Outro fato ocultado pelos que perseguem a Igreja é a de que o Papa Paulo V convidou e recebeu Galileu no Vaticano. Na conversa, ambos trocaram muitas informações. Galileu também foi homenageado pelo Colégio Romano Jesuíta. Quem é perseguido não é homenageado pelo "perseguidor". Galileu não tinha como provar suas teorias, mas elas eram extremamente consistentes.
• Galileu nunca foi inimigo da Igreja, no próximo texto continuaremos a falar sobre esta época e acontecimentos.
Perseguições VIII
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Out./17
• A crise entre Galileu e a Igreja tem início não por intransigência por parte da Igreja, mas por afirmações do próprio Galileu, como constam de diversos documentos. Galileu em nessas afirmações sugeria que os escritos bíblicos que dessem a entender que o planeta Terra não se movia, não tinha rotação própria precisaria ser reescrito. No programa "A Igreja Católica, Construtora da Civilização", já citado nesses textos, Thomas Woods, nos mostra a verdadeira e única explicação para os problemas entre Galileu e a Igreja. A Igreja não concordava e não concorda com aquela afirmação de Galileu, não foi a Igreja quem procurou o desentendimento.
• Galileu não conseguiu provar sua tese e teoria, e a Igreja o indaga, como podes solicitar mudanças sem provas. Aconteceu que os jesuítas já tinham grandes pesquisas nessa área, muitas delas foram utilizadas por Galileu. Lembre-se, era o século XVII.
• Muitos religiosos, principalmente os jesuítas, monges e franciscanos, com destaque para os primeiros, não apenas concordavam com as teses e teorias de Galileu, como também tinham hipóteses que se alinhavam com as daquele pesquisador. Portanto, é criminoso afirmar que houve perseguição, pois foi Galileu quem quis interferir em questões religiosas, ou seja, de fé.
• A Igreja sempre apoiou as pesquisas, a troca de experiência, o diálogo, a caridade e a honestidade. Vejam os exemplos de São Bento, onde instalou seu mosteiro também o entorno ganhou, porque ele e seus seguidores ajudavam a população local, ensinando a cultivar, drenar campos, fertilizar o solo...
• Sabemos que a Igreja é formada por seres humanos e que erram, como os jesuítas, monges e franciscanos. Esses só após muitos estudos ajudaram as ciências, pois se houvesse dúvida, nada era lançado. Eles com toda certeza erraram e muito, os resultados de suas pesquisas nem sempre deram certo, mas eles não desistiam. O mesmo acontece nos nossos dias. Como todo cientista leigo, que também erra. A Santa Igreja, em seus seminários, mosteiros, conventos, entre outras instituições, só visavam o bem-estar da população a seu redor, do contrário não estariam vivendo Jesus , Deus e o Espírito Santo.
Perseguições IX
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Nov./17
• Como pode uma Igreja que persegue as ciências fundar Universidades e apoiar a pesquisa? A Igreja Católica não só apoiava as ciências, bem como incentivava e incentiva o trabalho de pesquisa científica.
• A Santa Igreja Católica Apostólica Romana foi a principal fundadora de universidades. Espaço não apenas de pesquisa, mas de troca de experiência, informações e resultados obtidos com as pesquisas. Aqueles que não acreditam na Igreja e querem destrui-la, apesar de suas tentativas desonestas, não conseguem provar suas teses e, para que elas tenham um ar de verdadeiras, inventam ou misturam fatos e acontecimentos. Um exemplo foi em relação a Galileu, onde pessoas com intensão não confiável tentaram deturpar ou descaracterizar a verdade. A Igreja nunca abandonou as teorias e teses de Galileu.
• Por essa razão, é importantíssimo entender o período denominado de "Período das Trevas", que na realidade foi um período de grandes avanços para a humanidade, apesar das grandes epidemias, das invasões, como as dos bárbaros e muçulmanos, momentos em que a Igreja esteve próxima de seu povo para que esses não desistissem da vida. A caridade foi a maior virtude da Igreja. Seus padres e freiras procuravam e descobriram métodos de tratamento, mais seguros, higiênicos e que pudessem garantir a sobrevivência do paciente, ferido, acidentado...
• Após a queda de Roma houve um período obscuro sim, mas não provocado ou produzido pela Igreja e não de mil anos, como é sugerido por alguns historiadores e pesquisadores, que afirmavam e afirmam que as trevas dominaram a Europa Ocidental. Como já destacamos ouve sim uma fase obscura, mas provocadas por epidemias, invasões, disputas internas pelo poder, uma vez que o Império Romano havia acabado. Sabemos, a partir de pesquisadores sérios que entre os séculos V e XV, a higiene era precária, o saneamento básico inexistia, as condições de moradia eram precárias. A Igreja com o passar do tempo foi mudando essa situação, não apenas o da população, mas em seu meio, nos conventos, mosteiros, igrejas. A depressão financeira provocada pela queda do Império, como é comum em qualquer crise, produziram sérios problemas sociais, pois pessoas ricas de um dia para o outro ficaram sem nada, foram roubadas e até mortas por invasores e também acometidas de doenças oriundas das epidemias. Tantos os bárbaros, bem como os muçulmanos, trouxeram a morte, praticaram saques e perseguiram todos aqueles e aquelas que eram cristãos. Esses povos invasores destruíram muitos dos conhecimentos adquiridos durante séculos.
• A Igreja, não só lutou sem armas contra as ações destes, mas também protegeu os conhecimentos obtidos pelo ser humano daquela época, bem como os usou para recuperar a sociedade derrotada. Muitos monges, jesuítas, franciscanos, entre outras ordens religiosas da época, levaram aos invasores a informação, tudo com a palavra, não só as constantes na Bíblia, mas também baseadas no respeito e a caridade. Muitas conversões foram obtidas. Muitos convertidos, fossem bárbaros ou muçulmanos, passavam a divulgar em seu meio a fé cristã. Muitos desses foram presos e assassinados por seus líderes. Outros se convertiam a partir da observação da entrega desses e dessas religiosas cristãs, no sentido de ajudar, socorrer doentes, feridos, fossem do povo local ou dos invasores. A caridade!
Perseguições X
Por: Vivaldo Armelin Júnior - Jan./18
• Nesse período a Igreja construiu escolas, casas de saúde, abrigos, mas também, deu formação, possibilitou práticas de higiene, socorreu doentes, enfermos, acidentados, agredidos, feridos, abandonados, socorreu mulheres grávidas, principalmente as violentadas, entre outras ações. Os monges copistas não apenas copiavam os textos bíblicos, mas também textos não religiosos, ou seja, de leigos. Lembrando que estamos descrevendo o período entre os séculos V e IX d.C., período em que pesquisadores que são verdadeiramente contra a Igreja usam para atacar a Igreja.
• Carlos Magno (747 - 814), imperador (800 a 814), também ordenou que fossem feitas cópias manuscritas, pois ainda não existia a impressão tipográfica, que só surge no século XVI com Gutemberg. Em ambos os casos, dos monges copistas e do imperador, foi possível termos livros que estariam perdidos se não houvesse a cópia.
• Os monges foram responsáveis pelo desenvolvimento das letras minúsculas e também algumas regras para a escrita, como o uso do espaço, pontuação, parágrafo, condição que facilitou a leitura dos manuscritos.
• Naquela época a Europa sofreu com as epidemias, invasões, que não foram apenas dos Bárbaros, também pelos muçulmanos, magiares e vikings. Essas invasões levaram a Europa ao retrocesso, pois esses povos invasores não eram tão evoluídos e estes tinham claramente a intensão de saquear e dominar. Igrejas, Monastérios, Conventos, Institutos, entre outras instituições cristãs, foram queimados, demolidos, saqueados, imagens de santos e santas destruídas, a Hóstia profanada, e, o pior, seus integrantes, religiosos e leigos, eram atacados, agredidos, presos e mortos, mas mesmo assim a Santa Igreja resistiu, sem nenhuma arma, apenas com a palavra que foi ensinada por Jesus. Nessa época, séculos IX e X, foi um caus. Muita gente foi salva por religiosos que as escondiam ou davam fuga aos perseguidos. Vejam que o mesmo ocorreu durante a Segunda Grande Guerra (1939-1945), quando o Monsenhor Hugh O'Flaherty (1898 - 1963), pouco destacado por historiadores e professores em sala de aula, salvou a vida de judeus, soldados americanos, ingleses e até famílias inteiras, da perseguição sanguinária do nazismo. Por que será que os perseguidores não destacam esse religioso? Com certeza as suas calúnias cairiam por terra.
• Muitos monges expulsos pelos invasores ou até rejeitados pela nobreza por cuidar dos mais necessitados, doentes e abandonados, não abandonaram o hábito, pelo contrário, continuaram a agir, mas agora às escondidas, com o conhecimento do Vaticano, ou seja, da Igreja. Quando o mosteiro onde moravam eram destruídos, novos eram construídos, bem como escolas, casas de saúde etc. Mais uma vez cabe uma pergunta, quem quer esconder o conhecimento e alienar seres humanos realizaria essas ações descritas acima? É obvio que não! A Igreja, insisto, com provas, não perseguiu, não alienou, não impediu o progresso. Quando resolvi pesquisar, a partir de um programa da TV Canção Nova, Escola da Fé, com o Prof. Felipe Aquino, que falava das mentiras dos perseguidores da Igreja, me surpreendi com tantas inverdades e deformações históricas produzidas contra a Igreja.
• Entre os séculos XII e XIII surgem as grandes Universidades, a Igreja é a mantenedora de muitas delas. O grito daqueles que não querem a família como centro do sociedade, para dominar e desorganizar, inventam fatos e acontecimentos, como é o caso de dois filmes recentemente lançados.
• O segundo a me chamar a atenção foi o programa do Prof. Thomas Woods, que retrata exatamente como ocorre a perseguição e quais são as verdades sobre a Igreja, vale a pena assisti-los, estes estão no YouTube, "A Igreja, construtora da Civilização", completo e legendado, são mais de cinco horas de vídeo com informações históricas reveladoras e que colocam esses perseguidores em cheque.
Voltar para o conteúdo