N. Sra.de Cas/N. Sra. de Kib - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
Família Sagrada > Denominações N.Sra. > Denominações
  1. N. Sra. de Casalbordino: Quando em 1526 uma grande tempestade atingiu a região de Pollutri, Itália provocando grandes estragos. O agricultor Alexandre Mutii, após a tempestade saiu para ver qual era o grau dos estragos e no caminho passou a orar. Num dado momento  visualiza Nossa Senhora e esta lhe afirma que os granizos que atingiram a região foram provocados pelos pecados cometidos pela população local e para que o mesmo não se repetisse era preciso que as pessoas passassem a orar e realizar todos os ritos Sagrados dos dias Santos. Ainda hoje o Santuário recebe uma grande quantidade de romeiros e que até dormem no local na esperança de receber uma mensagem da Virgem durante o sono. Comemoração: 11 de junho.

  2. N. Sra. de Casaluce: A devoção à esta denominação começou em Casaluce, Sicília, Itália. Conta a história e a tradição que no séc. XIII, mais precisamente no ano 1295, o castelo do Rei Carlos II foi doado com seu mobiliário, pinturas e uma imagem de Nossa senhora, que segundo a tradição havia sido pintada por São Lucas, aos padres de Celestino, Sicília Itália. A cada viagem dos padres a imagem era levada e apresentada ao povo durante o trajeto. Aconteceu que esta atitude gerou um conflito entra as duas Vilas, quando durante um verão, por causa da epidemia de malária, os padres se mudaram para Aversa, Sicília, Itália. Foi acertado que a imagem permaneceria seis meses em cada uma das cidades. Esta tradição permanece até os nossos dias. Comemoração. A peregrinação e troca de cidade a cada seis meses, data?.  

  3. N. Sra. de Celles: Celles, França. Comemoração: ?.

  4. N. Sra. de Chiquinquirá: Segundo a história da colonização da América foi dado ao Sr. Antônio de Santana a administração de dois povoados; Sutaz e Chiquinquirá, ambos na Colômbia. Este senhor construiu sua residência em Sutaz e também uma Capela dedicada à N. Sra. do Rosário. Então encomendou uma pintura da Santa ladeada por Santo André e Santo Antônio de Pádua. A pintura ficou no local vários anos, quase que abandonada e sem nenhuma preocupação com sua preservação. Numa certa data o algodão da tela apodreceu e se rasgou. Quando construíram uma Capela em Chiquinquirá, a pintura foi transferida para ela e também para que fosse restaurada. A pintura ficou guardada em um espaço reservado e numa certa data quando três mulheres foram vê-la tiveram uma grande surpresa. A pintura não continha nenhum rasgo, o algodão estava regenerado, as cores restauradas e a tinta brilhante. As mulheres de imediato chamaram o vigário, que também surpreso não teve nenhuma explicação, a não ser que era um grande milagre. Esse milagre foi atribuído a Virgem Mãe. Em 1829 a Virgem é declarada pelo Papa  Pio VII a padroeira da Colômbia. Comemoração: 09 de julho.

  5. N. Sra. de Collel: Espanha. Comemoração: 25 de outubro.

  6. N. Sra. de Copacabana: Conta a história e a tradição que nas proximidades do Lago Titicaca, no povoado de Copacabana, fronteira da Bolívia com o Peru, viviam dois grupos indígenas convertidos ao Cristianismo, são eles os Anansayas e os Urinsayas. O primeiro grupo iniciou a construção de uma Capela dedicada à N. Sra. da Candelária, opondo-se ao que desejavam os Urinsayas. Estes queriam que a Capela fosse dedicada a São Sebastião. No ano de 1583 o índio, da Tribo Anansayas, Francisco Tito Yupanki esculpiu uma imagem de Nossa Senhora e a levou para ser colocada na Capela na esperança de resolver o impasse. Aconteceu que as duas tribos recusaram a primeira obra e solicitaram que ele a refizesse. O índio Francisco então procurou mais informações sobre o trabalho escultórico e produziu uma segunda imagem com maior qualidade técnica. A Capela não existe mais, no local foi construída uma igreja maior. Comemoração: 05 de agosto ou 02 de fevereiro.

  7. N. Sra. de Coromoto

  8. N. Sra. de Cotoca: Conta a história e a tradição que na Bolívia, na aldeia de Cotoca, quando corria o século XVIII, que três camponeses condenados por acusação de assassinato fogem da cadeia local. Durante a fuga param num determinado ponto para descansar e como estava frio resolveram fazer uma pequena fogueira. procuraram uma árvore morta e começaram a derrubá-la. Foi quando perceberam que a mesma era oca e ao olhar em seu interior descobriram uma imagem da Santa Mãe. Em comum acordo os três resolveram retornar para a aldeia, com a imagem encontrada. No local do encontro da imagem foi em 1799 construída uma Capela. A procura é mmuito grande até nos nossos dias. Também denominada Mamita de Cotoca. Comemoração: 08 de dezembro.   

  9. N. Sra. de Covadonga: Espanha. Comemoração: ?. A mesma que N. Sra. das Batalhas.

  10. N. Sra. de Crann: Spezet, França. Vide N. Sra. da Floresta.

  11. N. Sra. de Czestochowska: Diz a tradição e a história que um ícone de Nossa Senhora Negra, que teria sido pintado por São Lucas, no ano de 1430 foi roubado do Mosteiro de Jasna Gora, em Czestochowa, na Polônia, pelos hussitas. Esses vândalos danificaram a obra e até fizeram dois cortes na face da Santa na imagem com uma espada. Os dois cortes permanecem até os nossos dias e foram mantidos para mostrar a violência humana, mesmo após a restauração realizada em 1717. Polônia. Comemoração: 26 de agosto.

  12. N. Sra. de Dong Lu: O culto tem início no ano de 1900. Naquela época a perseguição aos Cristãos na China era muito grande. O culto à Santa fora proibido, mas a população de Dong Lu todo ano repete a mesma via sacra e vai orar na Colina da Mãe. Este Santuário é fiel ao Vaticano e é conhecido como "Igreja subterrânea", por não ser controlada pelo governo chinês. Comemoração: 24 de maio.

  13. N. Sra. de Efeso

  14. N. Sra. de Einsiedeln: Suíça. Comemoração: ?. A mesma que N. Sra. dos Eremitas (vide).

  15. N. Sra. de El Viejo: Em El Viejo, na Nicarágua, a devoção à N. Sra. da Conceição é muito antiga, mais precisamente tem início no início da colonização. Conta a história e a Tradição Católica que Pedro Ahumada parte da Espanha em uma caravela trazendo uma imagem da Santa que recebera de presente de sua irmã, Teresa de Ávila (Santa). O cuidado com a imagem durante a viagem foi muito grande. Em 1562 desembarca na Nicarágua e assume o cargo de governador. De imediato constroi uma capela para que todos pudessem adorar a Mãe do Céu. Terminado seu mandato prepara o retorno a Espanha. Mandou que fosse retirada a imagem, que ganhará da irmã, do altar, mas quando foi embarcar o tempo fechou e uma tempestade impediu a partida. Dias depois novamente tentou embarcar e novamente o tempo não permitiu. Pedro então concluiu que que o desejo da Mãe era que a imagem permanecesse naquela localidade e então foi pessoalmente colocá-la em seu altar. Logo após o tempo se abriu e Pedro pode retornar à sua pátria. N. Sra. de El Viejo é a padroeira da Nicarágua. Comemoração: 08 de dezembro.

  16. N. Sra. de Fátima: É a padroeira na América do Sul dos países Guiana e Suriname. No entanto a aparição de Nossa Senhora se deu em Leiria, na região de Fátima  -Portugal, quando três pastores crianças, eram Lúcia, Jacinto e Francisca. As três crianças estavam pastoreando na colina quando uma forte fonte de luz, como um relâmpago e logo em seguida surge a figura de uma Senhora, com vestes brancas. A Senhora pede as crianças que rezem o terço todos os dias pela paz do mundo, era 13 de maio de 1917, quando ocorria a Primeira Grande Guerra Mundial. Foram três aparições. Fez várias previsões, quando informou que Francisca e Jacinto logo iriam viver ao lado do Pai. Também fez três grandes previsões, a primeira referente ao fim do Comunismo, a segunda sobre a degradação da família, dos abusos contra a Fé e as falsas igrejas, e, por fim, a que mais chamou a atenção do mundo e despertou grandes suposições, foi a que ficou incógnita até que o Papa João Paulo II, em mensagem, revelou a verdadeira profecia, já no século XXI, e que se referia ao atentado sofrido por ele no ano de 1980.  Portugal. Comemoração: 13 de maio.

  17. N. Sra. de Fátima de Ramos

  18. N. Sra. de Folgët: França. Comemoração: 08 de setembro.

  19. N. Sra. de Fourvière: Esta devoção surge na cidade de Lyon, França, durante o século II o Missionário Pothin, que era grego, iniciou a evangelização. Foi proclamado Bispo de Lyon e algum tempo depois foi martirizado. Este missionário era grande devoto da Santa Mãe e muito pregou sobre sua santidade. Mais tarde, mais precisamente durante o século IX Nossa Senhora começou a ser venerada com essa denominação. O primeiro Santuário foi construído apenas no século XVII e é objeto de visitação por muitas romarias Marianas. Peregrinação: 08 de setembro e 08 de dezembro.

  20. N. Sra. de Garabandal: Esta devoção surge em Garabandal, na Espanha, em data bem próxima de nós. No dia 02 de julho de 1961 quatro meninas tem a visão de Nossa Senhora. A Santa Mãe convida as meninas, que na época tinham entre 11 e 12 anos, a rezar o rosário e em seguida deixou um aviso de penitência e sacrifício, um milagre e um castigo. Um recado para todos os fiéis caso não ocorresse a conversão e a Fé a Deus. Esta devoção ainda está em estudo pelo Vaticano. Comemoração: 02 de julho.

  21. N. Sra. de Gietrzwald: Esta devoção surge no século XIV, na cidade de Gietrzwald, na Polônia. Naquela localidade existe uma igreja que foi construída naquele século e que sempre foi muito procurada por devotos. Ocorreu que em 1877, bem próximo da igreja, ocorreu a aparição de Nossa Senhora para duas meninas. As meninas Justina Szafrynska e Bárbara Samulowska ouviram da Santa Mãe que a Polônia seria libertada apenas se houvesse a Fé e a oração do rosário. Foram três meses de aparições da Mãe Santíssima. O governo passou a perseguir as jovens e estas tiveram que abandonar a Polônia mudando-se para Paris. Na cidade luz as jovens ingressaram em um convento e seguiram a vida religiosa. Anos depois Bárbara muda-se novamente e agora para a Guatemala, onde faleceu em 1950. Comemoração: ?.

  22. N. Sra. de Glisallo

  23. N. Sra. de Guadalupe: Espanha. Comemoração: 08 de setembro. México. A devoção a N. Sra. de Guadalupe ocorreu no México, quando a Santa apareceu a um índio de nome Juan Diego, por volta de 1531. O índio caminhava pela colina Tepeyac, nas proximidades da cidade do México, quando sua atenção foi desviada pelo som de uma música suave. Ao olhar viu uma bela Senhora envolta em luz, sobre uma nuvem branca e envolta por um arco-íris. A Senhora lhe chamou pelo nome, quando lhe pediu que falasse com o bispo, D. Juan de Zumárraga, que construísse uma Igreja naquele local. Foram várias as tentativas para falar com o bispo e sempre era barrado e quando conseguiu, foi desacreditado pelo religioso, quando o bispo solicitou uma prova. Algum tempo depois a Senhora volta a aparecer, mas o índio não consegue um meio de provar a aparição. No entanto na terceira aparição, quando Juan Diego estava indo a busca de um sacerdote para seu tio que estava muito doente. Nessa aparição foi orientado a colher flores no campo e levar para o bispo. Novamente em contato com o bispo desenrola o pano e o bispo, admirado, não conseguiu entender como e onde havia conseguido aquelas flores, era inverno, estava muito frio, não havia como uma flor sobreviver e como elas tinham um agradável, mas forte odor. No entanto, quando o bispo retirou as flores da manta teve um novo grande susto, pois a imagem da Virgem Mãe estava impressa no tecido. Até os nossos dias nenhum cientista ou laboratório conseguiu explicar como foi feita aquela impressão. É padroeira do México e da América Latina. Comemoração: 12 de dezembro.

  24. N. Sra. de Guadalupe de Estramadura

  25. N. Sra. de Gunadala: Esta devoção tem início quando o Padre Paulo Arlati levou uma imagem de N. Sra. de Lourdes para um bairro de Gunadala, em Vijayawada, na Índia. O local é uma colina para que as pessoas pudessem orar para a Virgem Mãe. Depois de algum tempo as pessoas passaram a frequentar o local e esse número foi aumentando bem lentamente. Hoje o local é visitado por católicos, muçulmanos, hindus, budistas etc. Durante a sua festa é um muçulmano quem faz a coroação da Santa. É sabido que na Índia os católicos não são bem vistos, mas em Gunadala a tolerância religiosa é a sua marca principal. Comemoração: 11 de fevereiro.

  26. N. Sra. de Guanajuato: México. Comemoração: 2º domingo de novembro.

  27. N. Sra. de Itaúna

  28. N. Sra. de Izamal: Esta devoção surge na cidade maia de Izamal, no estado Yucatan, no México. A cidade de Izamal era considerada sagrada pelos maias e quando da chegada do europeu os religiosos aproveitaram esta condição para converter a este povo. No século XVI foi construída uma igreja ao lado de uma pirâmide. Comemoração: mês de maio.

  29. N. Sra. de Jerusalém: Portugal. Comemoração: 08 de setembro.

  30. N. Sra. de Kazan: Tudo começou no século XIII quando foi pintado um ícone bizantino na cidade de Kazam, na Rússia. Nessa pintura a Virgem Mãe segura seu Filho e este lhe dá a benção. Mas o fato que levou a esta devoção ocorreu no ano de 1579, quando Nossa senhora apareceu a uma menina, logo após um grande incêndio que destruiu por completo a igreja. Nossa Senhora pediu a menina que escavasse na ruína da igreja para recuperar a pintura. A menina tinha nove anos de idade, mas mesmo muito jovem informou as pessoas da comunidade. Foi então iniciada a busca quando foi encontrado o ícone intacto no meio das cinzas e restos da igreja. Alguns anos depois o ícone foi levado para moscou, pouco tempo depois foi transferido para São Petersburgo, ambas cidades na Rússia. Em 1904 a obra foi roubada e apenas na década de 1960 reapareceu nos Estados Unidos. O ícone foi comprado e levado para Portugal. Por fim, em 2004, o Papa João Paulo II fez questão de devolvê-lo aos Cristãos Ortodoxos Russos. Este ícone tem grande significado para o povo russo e principalmente na região de Kazan. Comemoração ?.

  31. N. Sra. de Kevelaer: Esta devoção surge na Alemanha no ano de 1641. Conta a história e a Tradição Católica que ao se dirigir para Geldern, na Alemanha, Hendrik Busman cansado, achou um local agradável para dar uma pausa na caminhada e descansar. Antes do descanso começou a orar e em um dado momento ouviu uma voz que pedia para ele construir uma capela naquele local. O homem ao chegar em Gelden solicitou permissão do pároco e tão logo a teve iniciou a construção da Capela. Já com a capela quase que construída a Virgem Mãe fez mais uma aparição, mas agora para a esposa de Hendrix. A notícia se espalhou e muitos devotos começaram a frequentar o local. Algum tempo depois a esposa de Hendrik, quando fazia a recepção á visita de alguns soldados, viu uma imagem de N. Sra. de Luxemburgo. De imediato falou com os soldados e negociou a compra da imagem. Tão logo tomou posse levou a imagem para o altar da capela, agora terminada. Comemoração: ?.

  32. N. Sra. de Kibeho: No ano de 1981, numa escola em Kibeho, em Ruanda, Nossa senhora apareceu para uma Freira e mais cinco crianças. O fato se espalhou e muita gente passou a procurar o local. No ano seguinte a Virgem Mãe novamente apareceu com uma expressão carregada de tristeza. A Santa mostrou aos videntes imagens de destruição e muita morte nas ruas de Kigali e, em seguida, pediu que todos fizessem orações e houvesse a conversão. Sua mensagem foi dirigida não apenas aos videntes, mas aos doentes, jovens, governantes, sacerdotes, às famílias, necessitados etc. Ocorreram novas aparições, mas a última foi em 1988. No ano de 1991 Ruanda enfrentava uma grande e violenta guerra civil, fato que levou muita gente a orar e se dirigir até a cidade de Kibeho para se converter. Comemoração: ?.


Voltar para o conteúdo