N. Sra. dos Praz/N. Sra. Prot - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
Família Sagrada > Denominações N.Sra. > Denominações
  1. N. Sra. dos Prazeres: Corria o século XVII, em Lisboa, Portugal, quando uma pessoa encontrou uma imagem de Nossa Senhora sobre uma fonte. Esta pessoa a levou para um Mosteiro nas proximidades entregando-a aos religiosos. Milagrosamente a imagem sumiu. Durante a procura descobriram-ma sobre a fonte por uma menina e que recebeu uma mensagem da Mãe do Céu que pedia a construção de uma capela e que esta deveria ser dedicada à Nossa Senhora do Prazeres. Tão logo foi concluída a Igreja muitos milagres foram relatados e as águas que jorram da fonte, até os nossos dias, são tidas como milagrosas. Festa em Portugal: 15 de agosto. Existe uma associação com a devoção francesa a Nossa Senhora das Sete Alegrias (vide) ou Sete Prazeres de Nossa Senhora.
  2. N. Sra. dos Remédios: Ainda não há informações.
  3. N. Sra. dos Viajantes
  4. N. Sra. dos Trinta e Três
  5. N. Sra. Educadora
  6. N. Sra. em Belle Ville
  7. N. Sra. em Betânia
  8. N. Sra. em Pindamonhangaba
  9. N. Sra. em Umbe
  10. N. Sra. em Zeitum
  11. N. Sra. Estrela do Mar: Nossa Senhora tem diversas formas de se comunicar com o ser humano e em muitos casos não há uma explicação para o fato, apenas conjecturas. É o que aconteceu no ano 636, numa praia da localidade de Boulogne, na França. Numa certa data daquele ano um navio danificado, pois estava sem o leme, atracou naquela praia. Fato presenciado por alguns pescadores. Não havia o menor sinal de vida ou de que alguém tenha navegado naquela embarcação, a não ser pela imagem de Maria com seu Filho Menino Jesus. Os pescadores ao retirarem a imagem tiveram a visão da Santa Mãe. Nossa senhora diz aos pescadores que ela havia escolhido aquele local para derramar as suas graças e que naquele local fosse edificada uma igreja. De imediato a notícia se espalhou e mesmo antes da conclusão da edificação já haviam várias romarias chegando ao local. Aconteceu que durante a Revolução Francesa e a perseguição aos cristianismo a imagem da Santa foi destruída. A população recolheu o que sobrou da imagem original e colocou os pedaços para veneração pública. De imediato foi encomendado a um artista a produção de uma réplica da imagem original e esta foi então entronada ao lados dos restos da imagem origina. Comemoração: 02 de fevereiro.
  12. N. Sra. Glykofilusa: A devoção surge em uma escola grega onde no século XVII foi pintado um ícone da Santa e do Menino Jesus. O trabalho é perfeito nos traços, cor, expressão e luminosidade. O grande destaque é o olhar entre Mãe e Filho, onde o expectador observa muita ternura, alegria e amor existente entre eles. Outras denominações são atribuídas, como: N. Sra. do Carinho, N. Sra. do Doce Beijo, N. Sra. do Sorriso e N. Sra. da Ternura. Comemoração: ?.
  13. N. Sra. Imaculada
  14. N. Sra. Imaculada Rainha
  15. N. Sra. Kursk
  16. N. Sra. Libertadora: Conta a história e a tradição que em Salins, na França, era atacada pelos huguenotes e ainda era ameaçada por outros hereges. O povo estava assustado e temeroso, foi quando Pedro Marmet decidiu pedir ajuda para a Mãe do Céu e para que fosse atendido iniciou a construção de uma igreja dedicada a Nossa Senhora. Numa certa data, durante um violento ataque, Nossa Senhora apareceu e expulsou os invasores. A população agradecida passou a orar e a denominá-la de libertadora. Todos passaram a ajudar para o término da construção da igreja. Esta recebeu a imagem da Santa com a denominação Libertadora. Comemoração: ?.
  17. N. Sra. Madre de Deus
  18. N. Sra. Madhu Igreja: Comemoração: 01 de julho.
  19. N. Sra. Mãe da Divina Providência: Trata-se de uma devoção variante da devoção à Nossa Senhora da Divina providência. No século XIII, na Itália, muitos fatos contribuíram para o surgimento desta devoção, que está associada à proteção, maternidade, intercessão, etc. Comemoração: ?.
  20. N. Sra. Mãe da Eucaristia
  21. N. Sra. Mãe da Igreja: Esta devoção surge com o início da devoção a Santa Mãe, mas no ano 431, como nos conta os historiadores e pesquisadores religiosos, além da tradição, que durante o Concílio de Éfeso foi proclamado o Dogma da Maternidade Divina de Maria. Em outras palavras, foi reconhecida como a verdadeira Mãe de Deus (Teotókos), também nossa Mãe. Como Mãe do Filho de Deus na Terra é inquestionavelmente a Mãe da Igreja fundada por Jesus. Comemoração: 01 de janeiro.
  22. N. Sra. Mãe de Cristo
  23. N. Sra. Mãe de Deus
  24. N. Sra. Mãe de Deus de Bistrica: Ver N. Sra. de Bistrica.
  25. N. Sra. Mãe do Divino Pastor
  26. N. Sra. Mãe do Infinito Amor
  27. N. Sra. Mãe dos Homens
  28. N. Sra. Maria Santíssima
  29. N. Sra. Medianeira: Conta-nos a história e a tradição que em 1946, um ano depois do término da 2ª Grande Guerra Mundial, em 1946, que Nossa Senhora apareceu para Bárbara Ruess, em Pfaffenhafen, na Alemanha. Naquela data, numa Alemanha arrasada pela guerra, a Santa Mãe se apresenta como a medianeira junto ao Pai e ao Filho, ou seja, a intercessora. Pediu a jovem que divulgasse a necessidade das pessoas pedirem perdão para seus pecados e rezassem o terço. Comemoração: 31 de maio.
  30. N. Sra. Medianeira de Todas as Graças: Igreja: Comemoração: 31 de maio.
  31. N. Sra. Menina: Esta devoção está presente nos documentos que formam a tradição Católica, pois na Sagrada Escritura nada é descrito sobre a infância da Santa Mãe. No entanto existem várias informações nos documentos apócrifos. A devoção à Nossa Senhora Menina é para destacar a Graça recebida por Ela de Deus, quanto a pureza, a ausência de pecados, inclusive o pecado de Adão e Eva, ou seja, o pecado original. Filha de Joaquim e Anna, ambos Santos, e seguidores da religião judaica. Por tradição Joaquim e Anna apresentam a Filha ao templo quando esta última tinha apenas três anos de idade. Na convivência diária como interna no templo aprendeu afazeres domésticos, teve uma formação familiar e religiosa. Nossa Senhora era profunda conhecedora dos textos da Sagrada Escritura. Alguns pesquisadores e historiadores afirmam que esta devoção teve início na França, provavelmente na Idade Média, mas outros dizem que esta devoção já ocorria no final do século I. Comemoração: 08 de setembro.
  32. N. Sra. Negra: A mesma que N. Sra. Czestochowa.
  33. N. Sra. Peregrina: Esta devoção surge no século passado, mais precisamente em 1936, em Keckemet, na Hungria. É registrado pela história que a menina Maria Natalina Kovacsics, que na época tinha treze anos de idade, estava sentada na escada de entrada de sua casa quando uma Senhora aproximou-se e lhe disse que esperava ser acolhida por aquela casa, pois havia tentado em outras e nada conseguiu, quando solicita passar a noite naquela casa e dormir sentada em uma cadeira. Maria Natalina responde que sim, sem perguntar a seus pais. A menina e a Senhora conversaram a noite toda. Na manhã seguinte foram até a igreja. A serenidade da Senhora era mito grande e ambas rezaram. Anos mais tarde, quando tinha por volta de dezessete anos, a agora jovem Maria Natalina, ingressou na vida religiosa tornando-se Freira. A jovem continuava a receber a visita de Nossa Senhora. Numa certa data a Virgem Santa Mãe manifesta seu desejo de ser conhecida como Mãe Imaculada e Rainha do Mundo. Foram feitas diversas imagens da Santa com o objetivo de serem levadas em peregrinação, este é o motivo de sua denominação.
  34. N. Sra. Porta do Céu: Esta devoção está associada aos mistérios da Fé e da redenção aos Céus. É uma devoção muito antiga, mas infelizmente não conseguimos uma data de referência. Esta associação tem ligação como o modo de vida da Virgem Mãe, a Santa Maria, a Mãe de Deus. Ela é a porta do Céu pelos seus exemplos, modo de vida, Fé, por orar e ser obediente aos ensinamentos de Deus e as Leis de Moisés. Uma maneira mais rápida de se conseguir a sanidade é seguir os exemplos deixados por Nossa Senhora. Comemoração ?.
  35. N. Sra Protetora dos Nascituros: São duas as devoções que tem como protetora dos do parto, primeiro N. Sra. do Bom Parto e a segunda N. Sra Protetora dos Nascituros. É preciso destacar que N. Sra., durante a gravidez, não teve os mesmos problemas que todas as mulheres o tem, afinal estava grávida do Filho de Deus, mas outras dificuldades a perseguiram, como a viagem para Belém, a perseguição por Herodes ordenando a morte de crianças com até dois anos de idade... Também está relacionada à ajuda que Nossa Senhora deu a sua prima Isabel durante a gestação e nascimento de João (Santo). Esta é a maneira encontrada pelos fiéis para proteção dos filhos e filhas que estão para nascer. Comemoração ?. A mesma devoção que N> Sra. dos Nascituros.
Voltar para o conteúdo