N. Sra. da Esc/N. Sra. da Nuvem - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
Família Sagrada > Denominações N.Sra. > Denominações
  1. N. Sra. da Escada: A mesma que N. Sra. da Conceição da Escada (vide).
  2. N. Sra. da Esperança: México. Comemoração: ?. A mesma que N. Sra. da Raiz.
  3. N. Sra. da Estrada: León, Espanha.
  4. N. Sra. da Estrela: Ainda não temos informações.
  5. N. Sra. da Eucaristia: Esta devoção é bem recente e surge em junho de 1993, em Roma, na Itália. Aconteceu que no final do século XX, naquele ano Marisa Rossi tem a visão da Mãe do Céu. Nessa aparição a Virgem orienta Marisa sobre a importância do Sagrado Sacramento da Eucaristia e, por fim, se identifica como Mãe da Eucaristia. É importante destacar que estas aparições ainda não são reconhecidas pela Santa Igreja. Comemoração: ?.
  6. N. Sra. da Europa: Esta devoção é iniciada com os Evangelistas. Estes, durante o século I, além de divulgarem as palavras e as suas experiências ao lado de Jesus Cristo, não se esqueceram da Mãe do Senhor. Todos eram grande admiradores daquela Mulher, protegida e agraciada por Deus Pai. Comemoração: ?.  
  7. N. Sra. da Evangelização: Esta como outras denominações de N. Sra. Mãe de Deus, começou na Europa e provavelmente durante o século I, com os Evangelistas, Paulo e Pedro (Santos). Segundo alguns historiadores as novas descobertas de que Nossa Senhora Evangelizou muito e mesmo após a morte de seu Filho. A Mãe também o fez ao lado de Maria Madalena, que segundo pesquisas atuais não era prostituta, mas sim uma possuída liberta por Jesus. A imagem da Santa chegou a América do Sul em 1540, mais precisamente em Lima, no Peru. Comemoração: 14 de maio.
  8. N. Sra. da Expectação: Antes de falar desta denominação é preciso entender o significado desta palavra. Expectação significa - "Expectativa de vida; Esperança de vida ao nascer; Aguardar com ansiedade". A denominação surge num dos Concílios de Toledo, na Espanha, provavelmente entre os séculos IV e VI. A devoção remonta as expectativas referentes ao nascimento do Filho de Deus durante os nove meses de gravidez. As expectativas de Maria deveriam ser muito grandes, pois Ela passou pela humilhação, tida como mentirosa (ainda hoje há quem duvide da gravidez pelo Espírito Santo) e de como seria seu filho física e espiritualmente. Comemoração: 18 de dezembro.
  9. N. Sra. da Família: Esta denominação, bem como a de N. Sra. da Sagrada Família, teve início durante o século I a.C., com o casamento de José e Maria e em seguida com o nascimento de Jesus. José, Maria e Jesus foram um exemplo impecável de família, convivência, amor, respeito e Fé. Todas essas condições foram proporcionadas por José e Maria na sua maneira amorosa de educar o Filho de Deus encarnado. Hoje em dia São José e Nossa senhora são invocados como protetores da Família. Comemoração: 30 de dezembro.  
  10. N. Sra. da Fé
  11. N. Sra. da Floresta: Existe duas origens prováveis para esta devoção, a primeira teria surgido na Abadia Beneditina, em Einsiedeln, na Suíça, no século XI, quando uma imagem da Virgem, negra, foi encontrada na floresta loca. A segunda, não temos maiores informações. Sabe-se que começou em Spezet, na França, ainda na Idade Média. A mesma que N. Sra. de Crann. Comemoração: ?.
  12. N. Sra. da Fonte Santa:Saint Hippolite, França. Comemoração: 02 de julho.
  13. N. Sra. da Gata de Ouro: Launay, França. Invocação: 08 de setembro.
  14. N. Sra. da Glória: Esta é uma das outras devoções à Nossa Senhora que está associada ao dogma da Assunção de Maria ao Céu. A subida da Santa aos Céus foi marcada pela elevação do corpo e da alma. A Santa recebe uma grande homenagem no santo rosário, nos Mistérios Gloriosos, mais precisamente no quarto e quinto, respectivamente assunção e coroação. No entanto considerando os mistérios anteriores, primeiro, segundo e terceiro, a Virgem Mãe também é homenageada quando estes se referem à ressurreição de Jesus, ascensão de Jesus e descida do Espírito. Esta devoção é associada também ao grande coração de Maria, que após muito sofrimento,amor e dedicação a seu filho foi glorificada com a assunção aos Céus e estar à direita do Pai e do Filho. Comemoração: 15 agosto.
  15. N. Sra. da Graça: A mesma para a denominação N. Sra da Medalha Milagrosa, vide.
  16. N. Sra. da Guarda: Esta devoção está associada a todas as outras, pois todo fiel que busca sua intercessão também está pedindo a sua "guarda" ou "proteção". Talvez esta denominação tenha aparecido em mais de uma região, mas foi em Marselha, França, desde 1214 ela é muito invocada. É preciso explicar que na cidade, naquele ano, foi construído um grande Santuário, com alta torre. Este estava voltado para o porto da cidade para proteger os marinheiros e a cidade. Para isso a imagem de Nossa Senhora foi colocada no alto da torre e de lá lança seu olhar, mas também é vista por todos a grande distância. A Santa era adorado por todos que vinham pelo continente ou pelo mar. Era costume os marinheiros ao se aproximarem do porto e avistarem a imagem, parar a embarcação, fazer um disparo de canhão enquanto todos os marinheiros oravam ajoelhados. Este ato foi presenciado até o século XVIII, mas foi encontrado relatos de que até meados do séc. XIX havia manifestação semelhante. Comemoração: ?.
  17. N. Sra. da Guia: A devoção começou em local e data ignorada. No entanto, no Brasil destaca-se duas localidades onde a devoção à Nossa Senhora é muito forte e os locais de seu surgimento. A cidade de Loriga, no Pará, recebeu a primeira capela dedicada à Santa, no ano 1884. Nesta localidade a festa ocorre no primeiro domingo de agosto. No Rio de Janeiro, Brasil, esta devoção teve provável origem na busca de orientação e ajuda. Comemoração: Loriga: Primeiro domingo de agosto; Rio de Janeiro: 08 setembro.
  18. N. Sra. da Hora: Esta devoção tem origem em 1514, na região rural, numa pequena vila, entre as cidades de Matosinho e do Porto, ambas em Portugal. Aconteceu que naquele ano o Sr. Aleixo Francisco para agradecer ao nascimento do filho mandou construir uma pequena igreja e que tinha como padroeira Nossa Senhora da Hora. As pessoas passaram a frequentar o local para agradecer a pedidos atendidos, pelos filhos, fatos que acabaram proporcionando o surgimento de uma grande festa. Alguns anos depois foi construída uma fonte. Mais uma vez aconteceu que pessoas que faziam uso da água da fonte obtinham graça, como conseguir um casamento, curas etc. Comemoração: mês de maio.
  19. N. Sra. da Humildade: Portugal. Comemoração: ?.
  20. N. Sra. da Hungria: A Hungria é um país europeu. Esse país era a té pouco tempo atrás um país rejeitado pela Europa por ser muito pobre. Foi nesse país extremamente Católico e devoto de Nossa Senhora, não se sabe a data, surge essa denominação, pois a população invocava ajuda da Santa solicitando ajuda. Comemoração: ?.
  21. N. Sra. da Imaculada Conceição:
  22. N. Sra. da Imaculada Conceição de Suyapa
  23. N. Sra. da Korea
  24. N. Sra. da Lapa: Esta devoção surge em Portugal, mais precisamente na região de Quintela. Naquela época uma jovem, chamada Joana, era uma pastora nas lapas daquela região. A garota era muda, mas extremamente fiel a Deus e a Sua Mãe. Todos os dias antes do trabalho ajoelhava aos pés de uma pequena imagem de Nossa Senhora. Uma imagem que carregava o tempo todo para sua proteção. Conta a história e a tradição que durante o rigoroso inverno suas orações eram feitas em frente a lareira de sua casa, pois em muitos dias não havia como pastorear em razão do frio intenso. Numa certa data quando orava sua mãe nervosa porque sua filha insistia em orar todos os dias pegou a pequena imagem e a jogou no fogo da lareira. A imagem ao cair sobre as chamas não é queimada, pois o fogo se afasta dele e em seguida a jovem muda, grita com a mãe perguntando porque ela teria tomado aquela atitude. Numa de suas palavras a jovem diz: — Quer queimar a Nossa Senhora da Lapa". O momento foi de muita comoção para a sua mãe, mas também um grande susto. Imediatamente, mas muito assustada, tenta tirar a imagem que afugentará as chamas, mas não consegue. Joana continua falando e descreve onde achou a imagem. O local era de difícil acesso, pois era no fundo de uma lapa (lapa é uma grande pedra ou rochedo que forma uma cobertura ou gruta).  Disse a jovem que a imagem brilhava com muita intensidade oculta no fundo daquela lapa. A notícia se espalhou, pois todas conheciam a jovem pastora muda e que passou a falar por milagre de Nossa Senhora. Comemoração: ?.
  25. N. Sra. da Lapa dos Mercadores: Rio de Janeiro, Brasil. Comemoração: ?.
  26. N. Sra. da Libertação: Ainda não temos informações.
  27. N. Sra. da Luz: A devoção está associada a alguns momentos importantes da história da santa Mãe e de Jesus Cristo. O primeiro momento está associado a Simeão reconhece Jesus como o Rei de Israel e o Salvador. A segunda associação está relacionada à candeia levada por Maria ao apresentar o Menino Jesus ao Templo. Esta segunda associação também deu origem a outra denominação, que é: N. Sra. da candeia. E a Terceira está associada à "Purificação de Maria" após o parto como era a tradição da época. Mas o fato que proporcionou a grande devoção a esta denominação ocorrem em Portugal. Conta a história e a tradição que em o Sr. Pedro Martins, um português, foi raptado por piratas e levado a bordo. Corria o século XV. Pedro rezava incansavelmente pedindo a intercessão de N. Sra. da Luz. No mesmo momento no vilarejo que morava, chamado de Carnode, Portugal, uma luz brotava de uma fonte, fato que deixou a população assustada e estranhando o fato. Pedro ainda no cativeiro, dormiu e durante o sono sonhou com N. Sra. da Luz, quando esta lhe disse que no dia seguinte ele iria acordar em sua terra, mas em agradecimento deveria procurar uma imagem perdida e no local construir uma capela. Liberto Pedro partiu em busca da imagem quando lhe foi contado da luz na fonte e ao procurar no local encontro a imagem. De imediato iniciou a construção da capela. Outro fato que nos conta a tradição ocorreu no Brasil. Diz a tradição que no momento que os bandeirantes chegaram a região da atual cidade de Curitiba, uma imagem de N. Sra. da luz que era carregada pelos desbravadores, tem nos seus olhos um intenso brilho. No local havia uma tribo de índios e em pouco tempo havia se formado uma vila com uma capela. Comemoração: 02 de fevereiro.
  28. N. Sra. da Luz dos Pinhais
  29. N. Sra. Mãe da Santa Esperança: São Luis de Montes Belos, Goiás. Comemoração: 09 de julho.
  30. N. Sra. da Medalha Milagrosa: A Mesma que N. Sra. das Graças.
  31. Tudo começou no dia 27 de novembro de 1830, na Capela da Congregação das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, em Paris, na França, quando a jovem noviça Catarina Labouré (Santa), quando orava, teve a visão da Virgem Mãe. A Santa estava sobre um globo e em suas mãos um outro globo menor e que continha sobre ele uma cruz de ouro. Nossa Senhora se identificou como símbolo das Graças alcançadas por Ela. A Virgem Mãe diz a jovem que aquele globo simbolizava o planeta Terra e toda a sua população e em seguida orientou Catarina para que fosse cunhado uma medalha com aquelas formas. Afirmou ainda que toda pessoa que a carregasse, mas principalmente no pescoço, teria muitas graças. naquele mesmo dia a jovem procurou suas superioras e esta se dirigiram ao arcebispo de Paris. O Arcebispo, D. Quelen de imediato autorizou a produção das medalhas. Muitos relatos de devotos confirmam que aquele que distribui gratuitamente a medalha também recebe muitas graças. Comemoração: 27 de novembro.
  32. N. Sra. da Meditação: Em Frankfourt, Alemanha, na Catedral, existe uma pintura de Nossa Senhora que está contemplativa e meditando. Essa obra acabou levando ao surgimento desta devoção. Comemoração: ?.
  33. N. Sra. da Misericórdia: Esta devoção é relacionada às grandes graças e benefícios conseguidos pela Virgem Santa junto a Deus Pai e Deus Filho em atendimento aos pedidos dos seres humanos. Provavelmente teve início no século XII, mas segundo alguns autores pode ser anterior o início desta devoção. Com o início da fundação por religiosos e religiosas, leigos e leigas das Santas Casas de ou da Misericórdia, a Virgem Mãe passou a ser venerada como a protetora e a que despejava misericórdia sobre os doentes e necessitados. Comemoração: 15 de agosto.
  34. N. Sra. da Misericórdia de Fontanarosa: Tudo começou em Fontanarosa, província de Avelino, Itália, a grande devoção a Nossa Senhora da Misericórdia quando foi entronada a imagem da Santa Mãe na igreja matriz local. Comemoração: ?.
  35. N. Sra. da Natividade: A  celebração do nascimento de Nossa Senhora ocorre desde os primórdios da Igreja, mas não oficialmente. A oficialização ocorreu durante o século VII. A partir desta data é celebrada a Natividade de Maria. O nascimento de Maria é obra do poder de Deus, numa preparação para o amor, Fé, conversão e a salvação. Tudo começou com a bênção e a responsabilidade recebida por Joaquim e Anna, pais de Maria, sendo a bênção o fato de ter em seus braços a futura Mãe de Deus e a responsabilidade da educação daquela Menina agraciada por Deus. Uma criança que no nascimento foi liberta do pecado original. N. Sra. da Natividade é a padroeira do Tocantins. Comemoração: 08 de setembro.  
  36. N. Sra. da Neve
  37. N. Sra. da Nuvem: Vide "N. Sra. de Nube".
Voltar para o conteúdo