C - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
Beatos & Santos > Santas > C

SANTAS

  1. • Cacilda (séc. X, Espanha - 1007, Espanha) - Virgem - 09/04 Nasceu em Toledo, na Espanha, no séc. X. Era filha do rei Mouro, de Toledo. Este era muito poderoso e rico. Durante sua juventude é convertida ao Cristianismo. Em certa época Cacilda é acometida por uma grave enfermidade , para muitos incurável. Sem esperança ela foi levada até o poço de São Vicente, em Burgos, e no local foi banhada. Por milagre é curada. Em seguida procurou a Igreja e foi Batizada. Logo em seguida ordenou a construção de uma ermida, em outras palavras, Capela distante de algum povoado, onde passou a morar. Faleceu na Espanha, no interior de sua Ermida, por volta do ano 1007. A população de Burgos trabalhou pela construção de um grande templo para alojar seus rastos mortais, local onde ainda hoje é possível visitar.
  2. • Calinica (?, ? - ?, Ásia Menor) - Mártir juntamente com Santa Basilissa - 22/03 ou 20/05 Nasceu em local e data não identificado por nós. Calinica e Basilissa sua amiga , foram juntas martirizadas por serem Cristãs. Faleceu na Ásia Menor, martirizada, não identificada por nós.
  3. • Calista (?, ? - ?, ?) - 25/04
  4. • Camila de São José (1842, Argentina - 1913, Roma) - 06/02 Nasceu em Santo Isidro, província de Buenos Aires, Argentina, no ano de 1842. Sempre foi dedicada à Fé em Deus Pai e Deus Filho e quando completou 18 anos tentou ingressar em uma comunidade religiosa, mas não foi aceita. Tentou uma segunda e também não foi aceita. Não desanimou e tertou uma terceira, mas também não foi aceita. O motivo alegado era sua saúde fragilizada. Em 1867 Buenos Aires é atingida por uma epidemia de cólera e depois febre amarela. Camila vendo o sofrimento dos doentes passa a atendê-los com muito carinho, atenção e dedicação. Proporciona aos enfermos ajuda física, psicológica e espiritual. Esse trabalho lhe permitiu fundar um instituto de Irmãs. Obra que está viva até os nossos dias. Faleceu em Roma, Itália, no dia 16 de fevereiro de 1913. Foi Canonizada pelo Papa João Paulo II, em data não identificada por nós.
  5. • Cancianila (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com São Canciano e São Câncio - 30/05
  6. • Cândida (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com seu esposo Santo Artêmio - 06/06
  7. • Cândida (séc. I, Espanha ou Itália - séc. I, Cartago) - Mártir - 10/09 Nasceu na Espanha ou Itália, no séc. I. Não se tem informação sobre sua infância e juventude. Segundo relatos e a tradição Cândida teria sido convertida pelo Apóstolo Pedro quando este esteve em Nápolis, seguindo para Roma. Durante sua caminhada Pedro encontra na estrada a pequena Cândida doente e com fome. Então ele perguntou se ela conhecia a palavra de Deus, esta disse que não. De imediato Pedro a teria curado e pregado sobre a vida e Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Cândida se converte naquele momento. Retornou então para a sua casa. Junto as seus familiares Cândida conta sobre o que Pedro havia feito e sobre o Cristianismo. Um parente, chamado Aspremo, saiu daquele local para procurar Pedro, pois achava a história muito confusa e estranha. Sua procura foi recompensada com o encontro do Apóstolo e por ele convertido. Aspremo então convidou e hospedou o Apóstolo Pedro. Naquela residência todos foram Batizados por Pedro. Quando Pedro parte deixa como bispo de Nápoles, Aspremo. No local onde o Apóstolo Pedro rezou a missa e Batizou a família, Cândida passou a usá-lo para suas orações e penitências. Aquele local ficou conhecido como "Altar de Pedro" e também era o local onde Cândida pregava e convertia a população. O imperador romano vendo a crescente religião Cristã ordenou uma grande perseguição. De imediato Aspremo embarca a sobrinha para Cartago, norte da África, em companhia de outros Cristãos. No entanto as forças do império alcançaram a embarcação e prenderam todos, em seguida os torturam. Levados a julgamento muitos se recusaram a renegar a sua Fé, inclusive Cândida. Faleceu martirizada em Cartago, no séc. I.
  8. • Cândida de Como (?, ? - ?, ?) - 20/09
  9. • Canônica (?, ? - ?, ?) - Anacoreta - 05/11
  10. • Caridade (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com as Santas Esperança, Fé e Sofia -  01/08
  11. • Carina (?, ? - ?, ?) - 07/11
  12. • Caritina (?, ? - ?, ?) - Mártir - 05/10
  13. • Cássia (?, ? - ?, ?) - 15/05
  14. • Catarina da Suécia (1331, Suécia - 1381, Suécia) - 24/03 Nasceu na Suécia, no ano de 1331. Filha de Brígida (Santa) e tinha parentesco com a família real. Ainda jovem casou-se com um nobre, Edgar Von Kyren, porém o casal fez um acordo de viverem em castidade, acordo respeitado. Catarina estava em Roma participando de solenidades quando recebeu a notícia do falecimento de seu marido. Retorna para a Suécia. Como a jovem viúva era uma bela jovem, muitos foram os pedidos de casamento, mas ela recusou a todos. Catarina passa a acompanhar a mãe nas suas peregrinações, auxiliando-a na fundação de Mosteiros, Conventos, Seminários e Clausuras, tanto masculinas bem como femininas. Mas o assédio à jovem não parava. No ano de 1373, sua mãe faleceu e Catarina sem a companhia materna decide entrar para o Mosteiro de Wadstone, onde por dois anos dedicou-se à oração, contemplação e penitência. Em 1375, Catarina dirige-se a Roma e quando chega naquela cidade ela depara com uma grande problema, o rio Tibre havia transbordado e estava colocando em risco a população local que morava às margens deste. Pôs-se a e foi atendida evitando uma catástrofe. Em 1380, de volta ao Mosteiro de Wadslena, foi eleita abadessa, mas ela ocupa o cargo até o ano seguinte. Faleceu na Suécia, em 24 de março de 1381.
  15. • Catarina de Alexandria (séc. III, Egito - 305, Egito) - Virgem e mártir - 25/11 Nasceu provavelmente no Egito, durante o século III. Ainda jovem se converte para o cristianismo, uma menina bonita, dedicada a Deus Pai e Filho. Sua beleza chamou a atenção de Máximo Dala e este insistentemente pede a mão da jovem em casamento, mas esta recusa, o motivo era a sua promessa de castidade e fidelidade a Deus. Acontece que Maximino era casado e para conseguir seu intento se divorcia de sua esposa. Não obtendo êxito ele exige que cinquenta filósofos ateus demonstrem a jovem Catarina que Jesus Cristo não era Deus. Para o desespero de Maximino é Catarina quem converte os filósofos, pois era profunda conhecedora do Cristianismo, teologia e até filosofia. Naquela época a perseguição aos Cristãos por parte de Diocleciano era intensa e extremamente violenta. E Maximino sabendo disso primeiro a ameaçou, mas como mais uma vez não obteve resultados ordenou que a jovem tivesse as pernas trituradas por uma carro com pontas de ferro em torno das rodas. A perna da jovem Catarina, quando foi atingida pelas rodas, milagrosamente dobrou e nada aconteceu. Foi então levada para Alexandria e lá decapitada, porém mais um milagre ocorreu, do corpo decapitado não escorreu nenhuma gota de sangue, mas sim uma substância semelhante às produzidas por ervas. Seu corpo foi então levado para o Monte Sinai por dois Anjos do Senhor. Faleceu no Egito, no ano 305.
  16. • Catarina de Bolonha (1413, Itália - 1463, Itália) - Virgem e Abadessa - 09/05 Nasceu na Itália, em 1413. Era filha de um agente diplomático. Aos 11 anos de idade foi indicada pelo Marques de Ferrara como dama de honra de sua filha. Eswsa oportunidade lhe proporcionou uma educação de qualidade. Aos quatorze anos de idade a filha do marques se casa. Catarina vê a oportunidade que sempre sonhou, a de ingressar na vida religiosa. Nasceu em Gênova, Itália, em 1447. Seu pai era o vice-rei de Nápoles. Aos 16 anos de idade seus pais deram-na em matrimônio para Juliano Adorno, mesmo contrariando a vontade na jovem de se dedicar à vida religiosa. Juliano era uma pessoa bastante promíscua, de vida desregrada e imoral. Catarina passa por um verdadeiro martírio e solicitava a Deus todos os dias para que ele lhe mostrasse o caminho. Esta vida dolorosa facilitou a criação da obra "Tratado do Purgatório". Passou a praticar austeras penitências, orações e caridade. Faleceu na Itália, em 1510.
  17. • Catarina de Gênova (1447, Itália - 1510, Itália) - Viúva - 22/05 ou 15/09 Nasceu em Gênova, Itália, em 1447. Seu pai era o vice-rei de Nápoles. Aos 16 anos de idade seus pais deram-na em matrimônio para Juliano Adorno, mesmo contrariando a vontade na jovem de se dedicar à vida religiosa. Juliano era uma pessoa bastante promíscua, de vida desregrada e imoral. Catarina passa por um verdadeiro martírio e solicitava a Deus todos os dias para que ele lhe mostrasse o caminho. Esta vida dolorosa facilitou a criação da obra "Tratado do Purgatório". Passou a praticar austeras penitências, orações e caridade. Faleceu na Itália, em 1510.
  18. • Catarina de Pallanza (?, ? - ?, ?) - 06/04
  19. • Catarina de Ricci (1522, Itália - 1590, Itália) - 13/02 Nasceu na Itália, em 1522. Nasceu no berço de uma família nobre italiana. Catarina, com doze anos de idade, inicia seus estudos religiosos num Convento Dominicano. No convento tinha como Santa de devoção a Santa Catarina de Sena, mas seu grande modelo era Nosso Senhor Crucificado. Era tão intensa a contemplação à paixão e morte de Jesus Cristo que sem perceber a Jovem é agraciada com a comunicação com os sofrimentos do Senhor. Ainda bem jovem, em razão de sua devoção, inteligência e Fé, Mestra de Noviças, mas sua condição dentro do convento é pouco tempo depois elevada para Cice-prioresa. No entanto sua humildade permanece a mesma e, alguns anos depois é nomeada Superiora, cargo que exerceu durante aproximadamente 42 anos. Catarina foi conselheira espiritual de vários Bispos, Cardeais e manteve intensa comunicação, via carta, com Felipe Neri (Santo), Carlos Borromeu (Santo) e com o Papa Pio V (Santo). Possuía o grande dom da escrita, condição que lhe proporcionou, além da comunicação via carta, o papel de escritora. Faleceu na Itália, em 1590.
  20. • Catarina de Sena (1347, Itália - 1380, Itália) - Virgem e Doutora da Igreja - 29/04 Nasceu em Sena, na Itália, no dia 25 de março de 1347. Seus pais muito pobres nunca puderam lhe garantir os estudos, além do mais eram vinte e cinco filho do casal. Nestas condições Catarina cresceu, mas era uma criança franzina, vivia doente e fraca. Catarina desde esta época carregava em seu corpo as chagas ou estigmas da paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. Em 1354, com sete anos de idade, a jovem faz voto de castidade e dedicação a Deus Pai e Filho. Fazia severas penitências e durante estas orava muito, mesmo contrariando a vontade de seus pais, fator que fragilizava ainda mais seus corpo. Durante estas orações contemplativas Catarina tinha visões. Em 1362, aos quinze anos de idade Catarina é aceita e ingressa num Convento da Ordem Terceira de São Domingos. Naquele local chamou a atenção da população local, pois no momento de suas orações entrava em êxtase e muitas pessoas admiradas com seu ato e Fé se convertiam. Catarina era uma pessoa que conduzia o povo a caridade, solidariedade, a compaixão, a paz e Fé, por esta razão, quando já adulta dirigia-se ao povo e como era analfabeta ditava cartas para serem lidas em público. Durante o cisma Católico viajou por toda a Itália e mais outros países, ditou cartas e as enviou para reis, padres, bispos, cardeais e com essa atitude auxiliou para o retorno de Urbano VI a Roma. Apesar de não ter muita resistência física, Catarina heroicamente aparou muitos doentes atacados pela peste que matou sem piedade quase que um terço da população européia. Sua ação em favor dos enfermos, a atenção, dedicação, as curas físicas e espirituais obtidas proporcionaram um grande número de convertidos. Foi uma lutadora no que se refere a participação da mulher na Igreja. Não era escritora ao pé da letra, pois era analfabeta, mas deixou publicações ditadas e editadas de alto valor histórico, cultural, de força interior e religiosidade. Talvez a maior obra é o livro "Diálogo sobre a Divina Providência", esta publicação recebe a atenção de estudiosos leigos e religiosos até os nossos dias. Faleceu na Itália, no dia 29 de abril de 1380. Foi declarada "Doutora da Igreja" pelo Papa Paulo VI, em 1970.
  21. • Catarina de Vadstena (?, ? - ?, ?) - Virgem - 24/03
  22. • Catarina Drexel (?, ? - ?, ?) - Virgem e fundadora - 03/03
  23. • Catarina Labouré (?, França - 1876, França) - Virgem vidente da Vigem das Graças - 27/11 ou 31/12 Nasceu na França, em data não identificada por nós. Catarina era uma jovem bastante religiosa, Cristã Católica. Em 1830, em Paris, Catarina teve a graça de ser visitada por Nossa Senhora, quando a Santa Mãe lhe apresentou e em seguida lhe deu uma medalha. Naquele momento lhe ensinou a devoção da Medalha Milagrosa, orientando a jovem Catarina a reproduzi-la de acordo com o modelo. Em 1832, no mês de março a Medalha começou a ser cunhada. Na mesma época uma grande epidemia de cólera assolava a Europa, e Paris também sofreu com esta doença. Foram mais de dezoito mil mortos em aproximadamente uma semana. As primeiras medalhas começaram a ficar prontas no mês de julho, daquele mesmo ano. De imediato foram distribuídas aos doentes. Estes passavam a usá-la em seu pescoço e a perceber que aquela pequena Medalha produzia um resultado bastante satisfatório, a cura. Com a Medalha, o número de doentes, começou a diminuir e consequentemente reduzindo o número de doentes. A notícia correu a Europa em pouco tempo e a fama da pequena Medalha Milagrosa se espalhou. Foram distribuídas mais de um milhão de medalhas até 1876 por todo mundo. Faleceu em Paris, na França em 1876. Em 1894, o Papa Leão XIII instituiu a festa litúrgica de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, para o dia 27 de novembro.
  24. • Catarina Ricci (?, ? - ?, ?) - Virgem estigmatizada - 02/02
  25. • Catarina Tomás (de Palma) (1531/3, Espanha - 1574, Espanha) - Virgem - 01/04 - 05/04 - 28/07 Nasceu em Valldemosa, Maiorca, Espanha, no dia 01 de maio de 1531/3. Era órfã e para se manter tornou-se empregada doméstica, depois pastora. Foi quando decidiu pela vida religiosa e ingressa como monja no Convento de Maria Madalena de palma de Maiorca. Naquele convento viveu em clausura por 21 anos. As irmãs que viviam com ela no Convento relatavam que Catarina conversava todos os dias com Deus. Testemunharam, estas irmãs de clausura, que ela realizou muitos milagres, teve diversas visões. Faleceu no Convento de Santa Madalena, em Palma, Maiorca, Espanha, de causas naturais, no dia 05 de abril de 1574. Foi Canonizada pelo Papa Pio XI, no ano de 1930.
  26. • Catarina Yi (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 17/08  

  1. • Cecília (?, ? - ?, ?) - Canonizada juntamente com a Santa Benedita - 20/09
  2. • Cecília (séc. II, Itália - séc. III, Itália) - Virgem mártir - 22/11 Nasceu na Itália, em data não identificada por nós. Nasceu nos berços de uma família nobre romana. Ainda bem jovem faz voto de castidade, mas seu pai decidiu pelo seu casamento com Valeriano. Logo após o casamento ela comunica ao marido ser Cristã e sobre o seu voto, que segundo ela foi feito em função do aparecimento de uma Anjo do Senhor. Seu marido não acredita nela e diz que ele também queria poder ver o Anjo. Cecília então orienta o marido a procurar o Papa Urbano, que estava refugiado nas catacumbas para se proteger da perseguição. Nesse encontro, Valeriano é convertido juntamente com seu irmãos Tibúrcio. Pouco tempo depois foram presos e martirizados por enterrarem corpos de Cristãos martirizados. Cecília, com a ajuda de outros Cristãos, recolheu os corpos do marido e cunhado e promoveu o enterro e sepultamento Cristão. Por esse motivo foi presa e condenada. Faleceu em Roma, martirizada, por decapitação, no século III. Seu corpo foi reencontrado durante o século IX. É ainda hoje a Santa que tem o maior número de Igrejas consagradas a ela.
  3. • Cecília Yu So-sa (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09
  4. • Celerina (?, ? - ?, ?) - 03/02
  5. • Celidônia de Subiaco (?, ? - ?, ?) - 13/10
  6. • Celina (?, ? - ?, ?) - Mãe de São Remígio e São Príncipe - 21/10
  7. • Celina (?, ? - ?, ?) - Virgem - 08/10
  8. • Celina (?, ? - ?, ?) - Virgem - 21/10
  9. • Cesárea (?, ? - ?, ?) - Eremita - 15/05
  10. • Cesária (?, ? - ?, ?) - Virgem - 12/01
  11. • Cineburga (?, ? - ?, ?) - Canonizada juntamente com a Santa Cinevita e Tiba - 06/03
  12. • Cinevita (?, ? - ?, ?) - Canonizada juntamente com as Santas Cineburga e Tiba - 06/03
  13. • Círia (?, ? - ?, ?) - 05/06
  14. • Ciríaca (?, ? - ?, ?) - 21/08
  15. • Cirila (?, ? - ?, ?) - Mártir - 05/07
  16. • Clara da Cruz de Montefalco (?1268/1275, Itália - 1308, Itália) - Virgem abadessa agostiniana - 17/08 Nasceu em Montefalco, na Úmbria, Itália, provavelmente no ano 1268* ou 1275. Veio de uma família extremamente religiosa. Sabe-se que ingressou bem jovem na vida religiosa. No Convento Agostiniano estudou e recebeu o hábito, uma curiosidade, o convento era administrado por sua irmã mais velha. Quando sua irmã veio a falecer ela foi eleita a superiora. Faleceu, no Convento Agostiniano, em Montefalco, na Úmbria, Itália, no ano de 1308.
  17. • Clara de Assis (1193/4, Itália - 1253, Itália) - Virgem - 11/08 Nasceu, em Assis, Itália, no ano de 1193. Nasceu no berço de uma família rica. Diz a História que o seu nome foi dado por sua mãe, após visão informando que sua filha iria iluminar o mundo. Sua família era muito religiosa e Clara herdou a fé da família, por esta razão desde muito cedo já praticava caridade e tinha muito respeito pelos mais humildes e desvalidos. Quando Francisco de Assis abandona toda a sua riqueza para dedicar-se a Deus provocou em Clara o desejo de segui-lo. Este ato aconteceu quando completou os dezoito anos, mesmo contrariando a sua família foi ao encontro de Francisco e lá foi a fundadora da Ordem Franciscana feminina, denominada também de Damas Pobres ou Claríssimas. Viveu como Francisco na pura pobreza e dedicando seu tempo à caridade, amor e fé. Como viviam de seu trabalho para produzir alimento e de donativos para os pobres as dificuldades eram muitas, mas a fé foi mais forte. Numa ocasião, uma das Irmãs Franciscanas, que ao retornar de uma caminhada pedindo doações para os pobres e com muito pouco donativo envolto em um pacote estava desanimada. Clara consola a amiga e irmã de Congregação dizendo que ela deveria ter fé. Após estas palavras a freira foi pegar o pacote que trouxera e ele, que estava leve quando chegara, passou a ter um peso inexplicável e ao abri-lo foi surpreendida pela quantidade de donativos. Este foi considerado o primeiro milagre de Santa Clara. Outros vieram a ocorrer. Vivei mais 27 anos após a morte de Francisco de Assis (Santo) que faleceu em 1226. Faleceu em Assis, na Itália, em 1253. Foi Canonizada, pelo Papa Alexandre IV, no dia 15 de agosto de 1255. Santa Clara é considerada a protetora da televisão.
  18. • Cláudia (?, ? - ?, ?) - 18/05
  19. • Cláudia (?, ? - ?, ?) - Mãe de família - 07/08
  20. • Clélia Barbieri (?, ? - ?, ?) - Virgem fundadora - 13/07
  21. • Cleópatra (?, ? - ?, ?) - 19/10
  22. • Clotilde - a Viúva (?, ? - 545, França) - Viúva - 03/06 Nasceu Lion, na França, no ano 475. Sabe-se que foi convertida no ano 496 e seu marido pouco depois no mesmo ano quando foi batizado, o rei Clovis. Faleceu martirizado, no ano 177. Sua vida não foi fácil e quando seu marido faleceu, no ano 511, viu seu filho Clodomiro entrar em guerra contra seu primo Sigismundo, recém empossado no trono de Borgonha. Quando capturou seu primo de imediato o matou e também sua esposa e filhos. No ano 524 Clodomiro é morto na batalha de Veseruntia, na França. Muito triste, Clotilde se afasta de Paris e muda-se para Tours, na França. Naquela localidade viveu em oração, ajudando os necessitados e desvalidos. Faleceu em Tour, na França, no dia 03 de junho de 544.
  23. • Coleta Boylet (?, ? - ?, ?) - Virgem - 06/03
  24. • Coleta (ou Nocoleta) Boylet (de Corbie) (1381, França - 1447, Bélgica) - Reformadora - 07/02 ou 06/03* Nasceu em Corbie, França, no dia 13/01/1381. Seus pais lhe deram este nome em homenagem a São Nicolau, do qual a família era devota, pois seus pais, com idade avançada e sem filhos, faz um pedido ao Santo para que pudessem ter um filho e pouco tempo depois seu pedido foi atendido. Seu pai, um artista de renome e de posses, trabalhou no Mosteiro Beneditino de Corbie, local onde a família ainda morou durante alguns anos e, por esta razão a educação de Nicoleta. Quando tinha dezoito anos ficou órfã e de posse da herança a distribui aos pobres, em seguida, sem nenhuma posse a não ser sua roupa, passa a viver reclusa na Ordem Terceira de São Francisco. Sua vida no Mosteiro era marcada pela dedicação à oração e a Fé, quando numa certa data tem a visão de Nosso Senhor Jesus Cristo e este lhe transmite a missão de reformar a Ordem das Clarissas. Não sabendo por onde começar e considerando-se incapaz inicialmente resiste em não cumprir a determinação do Senhor, mas esta atitude lhe custa a voz e a visão, acontecimento que lhe impossibilita de falar e ver por alguns dias. Foi quando ela compreendendo a importância da missão e que aquela atitude não condizia com a determinação de Jesus, comunica o fato ao frei Henrique Baume, que sabedor de sua honestidade e dedicação a encaminha a uma conversa com o Papa Bento XIII, quando de sua passagem por Nice. A jovem apresenta ao Sumo Pontífice todos acontecimentos e a determinação de Deus. Ele de imediato a aceita, consagra e a integra à Ordem Primeira de Santa Clara. Pouco tempo depois é nomeada superiora de todos os Mosteiros e Conventos que viesse a fundar ou mesmo reformar. Em 1410 após uma grande reforma, fundou seu primeiro Mosteiro e não parou mais, foram no total vinte e três, sendo sete masculinos. Atuou além da França, seu país natal, na Itália, Espanha e Bélgica. Nicoleta consegue trazer aos Mosteiros e Conventos Franciscanos e de Clarissas o verdadeiro valor da obra de São Francisco e Santa Clara, com destaque a pobreza e a humildade. Sua ação junto a população carente e enferma foi muito grande e de destaque por onde ela passou, pois sua marca permaneceu no coração daqueles que puderam vivenciar e ouvi-la. Muitos prodígios e milagres foram atribuídos a Coleta ainda em vida, uma grande maioria perpetuados em registros da época. Quando estava em Gand, na Bélgica, Nicoleta passa mal e cai de cama. Faleceu em Gand, na Bélgica, no dia 07 de março de 1447. Canonizada pelo Papa Pio VII, no ano 1807.
  25. • Colomba (?, ? - ?, ?) - Virgem mártir - 17/09
  26. • Colomba de Sens (?, ? - ?, ?) - Virgem mártir - 31/12
  27. • Columba Kim Hyo-im (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09
  28. • Comásia (?, ? - ?, ?) - Virgem mártir - 05/11
  29. • Constância (?, ? - ?, ?) - 19/09
  30. • Cosolata (?, ? - ?, ?) - Mártir - 06/09
  31. • Cosolata de Gênova (?, ? - ?, ?) - Monja - 05/12
  32. • Crispina (?, ? - ?, ?) - Mártir - 05/12
  33. • Cristela (?, ? - ?, ?) - Mártir em Ávila juntamente com São Vicente* e Santa Sabina - 27/10
  34. • Cristiana (?, ? - ?, ?) - ??/??
  35. • Cristina (?, Fenícia - 287, ?, Itália) - Virgem mártir - 24/07 Existem dois documentos que atestam seu nascimento em locais diferentes, nos documentos achados na Grécia consta que ela nasceu em Tiro, antiga Fenícia e atual Tunísia, mas existem documentos romanos que atestam que ela nasceu em Bolsena, Toscana, Itália, quanto a data de seu nascimento em nenhum deles é apontado. O pai de Cristina era um oficial do Império Romano, pagão e devoto aos deuses de pedra, de nome Urbano. Quando ele soube que sua filha havia se convertido tentou de todas as formas obrigá-la a renunciar a sua Fé. A primeira medida após as tentativas foi trancá-la em uma torre com servas pagãs e que tinham a missão de fazer com que ela renunciasse ao Cristianismo. Naquela torre seu pai mandou colocar diversas esculturas de deuses pagãos e Cristina ao vê-los destruiu a todos e em seguida jogou os pedaços pela janela juntamente com a jóias que faziam parte das peças. o povo pode pegar as jóias em razão da generosidade da jovem. Seu pai quando soube do fato ficou irado e imediatamente ordenou que ela fosse chicoteada, como a surra também não resultou na negação a Deus Pai e Filho, ordenou que ela fosse encarcerada, no entanto, mais uma vez suas medidas foram infrutíferas, pois ela continuava afirmando a sua Fé em Deus Pai e Filho. Urbano inconformado com a "teimosia" da filha e indignado por ela se recusar a negar seu Deus, não teve dúvida a entregou aos Juízes que veneravam os deuses pagãos, mesmo sabendo que ela seria morta. Ela foi ouvida e julgada sem direito a defesa, pois queriam ouvir apenas ela negar a sua Fé e assumir a crença em um deus pagão. Os juízes ordenaram que ela fosse encarcerada e torturada. A tortura foi violentíssima e durou varias horas, quando foi jogada literalmente numa cela suja e escura. Durante a noite Cristina recebe uma visita Celestial, Anjos enviados por Deus a limparam e curaram suas feridas e por fim tiraram a dor que ela sentia. Os juízes inconformados e se sentindo desafiados ordenaram que fosse amarrado ao pescoço da jovem uma pesada pedra e ela atirada num lago. Mais uma vez a intervenção divina a salva, quando Anjos do Senhor sustentaram a pedra, fazendo a boiar e levaram a jovem até as margens do lago. Mais uma vez os juízes inconformado pela força do Deus Verdadeiro, determinaram novas torturas. Seu pai acabou recebendo um castigo Celestial bastante severo, pois teve uma morte brutal e horrível. As torturas não pararam, cada uma mais terrível que a outra, como colocar e fazer com que ela fosse mordida por cobras, amarrá-la em uma grade em brasa, colocá-la em um forno, cortaram seus seios. Todo este sofrimento foi feito em público, pois a intenção era intimidar o povo. Para culminar determinaram que ela fosse morta. Faleceu na Itália, martirizada, no dia 23 de julho de 287. Foi morta com as duas lanças transpassando seu corpo.
  36. • Cristina - a Admirável (1150, França - 1224, Bélgica) - Virgem - 24/07 Nasceu em Brusthem, na França, em 1150. Por sinal, existem pouquíssimas informações sobre esta Santa. Sabe-se que Cristina ficou órfã quando tinha quinze anos de idade e viveu na Bélgica por 20 anos, onde faleceu. São relatados por seus biógrafos uma vida envolta em fatos extraordinários, como a sua morte, e em seguida o retorno da alma ao corpo, revivendo. Durante a Missa de Corpo Presente, para a surpresa de todos, pois já fazia várias horas que tinha falecido, ela ressuscitou. Este fato foi presenciado por muitos fieis que acompanhavam o seu velório. Sua vida a partir daquela data foi marcada por acontecimentos inexplicáveis, milagres, curas etc. Faleceu no Convento de Santa Catarina, na Bélgica, por volta dos 70 anos de idade, provavelmente no ano 1224. Passou a sua vida toda no Convento.
  37. • Cunegundes (ou Cunegunda) (?, ? - ?, ?) - Rainha da Polônia - 24/07 ou 25/07
  38. • Cunegundes (ou Cunegunda) (975/988, Alemanha - 1033/1039, Alemanha) - Imperatriz viúva - 03/03 Nasceu na Alemanha, no ano de 975/988. Era filha de um nobre, conde de Luxemburgo e Asdvige, uma família Cristã. Sua educação foi toda voltada à Fé em Deus Pai e Filho, por esta razão desde pequena tinha o desejo de se tornar uma religiosa. Porém a vida não segue as nossas intenções e Cunegundes casa-se com Henrique, um nobre que mais tarde, em 1002, torna-se rei da Alemanha, adotando o nome Henrique II. Em 1014, em visita a Roma o casal recebe do Papa Bento VIII a coroa imperial e a sua bênção. Governavam o seu país com dignidade e preocupados com a qualidade de vida de seu povo, por esta razão ficaram conhecidos como justos, mas esta atitude não é seguida por pessoas que são mesquinhas e interesseiras e neste instante entram em cena os inimigos do reino alemão e os opositores do imperador. Cunegundes ou Henrique era infértil e em consequência ela não engravidava, mais uma razão para que novos boatos surgissem, desta vez afirmando que o casamento era na verdade uma união de fachada e, por esta razão, o casal vivia como irmãos. Mesmo diante dos comentários Henrique mantém o seu casamento. Pela lei alemã da época o rei poderia solicitar repúdio público da esposa infértil, pois até Roma de certa forma tolerava esta situação. Os inimigos e interesseiros não se calaram e continuaram a promover calúnias. Algum tempo depois surge o boato, lançados por estas pessoas indignas, de que Cunegundes havia traído o rei. O rei mais uma vez se posicionou ao lada da esposa e nada fez, mas as calúnias aumentou e começam a interferir na governabilidade. Cunegundes já muito abatida convoca uma audiência pública e nesta confirma a sua fidelidade ao marido e num ato honrado convoca Deus para confirmar as suas palavras. Diante de todos solicitou a seus súditos que colocassem no chão a sua frente grelhas em brasa, fechou os olhos e orou muito, ainda de olhos fechados iniciou a caminhada sobre as grelhas, indo e voltando. Acontece que seus pés não se queimaram. O rei mais uma vez apoiou a esposa, a corte teve que se retrair e o próprio povo se calou diante daquele fato inusitado e inexplicável. Mesmo durante esta fase difícil de sua vida a imperatriz continuou a dedicar-se no atendimento aos pobres, desvalidos, doentes, crianças carentes e abandonadas, idosos errantes e abandonados, tanto materialmente bem como espiritualmente. Em comum acordo o casal decide construir um Mosteiro Beneditino, em Kaufunger, e em 1021 o sonho foi realizado. Esta obra foi parte de um agradecimento a Deus pela cura de Cunegundes, que havia contraído uma doença e ficado muito mal. Em 1025 seu marido, o imperador faleceu e ela opta por abandonar a vida de realiza e vai morar no mosteiro. Não levou nem mesmo a sua fortuna. No local viveu como religiosa por quinze anos dedicando-se à oração, contemplação e a produção de paramentos religiosos, conservados até os nossos dias pela beleza e qualidade, mas não para seu uso pessoal, pois ela apenas cobria seu corpo com um hábito muito simples, confeccionado por ela própria. Antes de falecer fez seu pedido final, sendo eles: ser enterrada com as suas próprias vestes, pois as suas irmãs de Fé lhe haviam confeccionado uma coberta ricamente decorada com bordados e joias, mas ela agradeceu e afirmou que sua roupa era o suficiente para seguir o seu caminho até Deus. Depois pediu que fosse enterrada como uma simples monja, e não como imperatriz num túmulo ao lado do marido, na Catedral de Bamberg, que também o casal havia construído. Todos os seus pedidos foram atendidos. Faleceu na Alemanha, provavelmente em 1033/1039. Como ela era uma pessoa dedicada aos pobres e menos privilegiados, muita gente agradecida pelas obras e ações praticadas por Cunegundes vieram visitar sua sepultura, mais uma vez a interseção da monja proporcionou diversas curas, fato que se espalhou por toda a Europa. Foi Canonizada pelo Papa Inocêncio III, em 1200.
  39. • Cutiburga (?, ? - ?, ?) - 03/09
  40. • Cutimano (?, ? - ?, ?) - 08/02

Voltar para o conteúdo