Bem-Avent/N.Sra. Apar - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
Família Sagrada > Denominações N.Sra. > Denominações
  1. Bem-Aventurada Maria: Vide "Bem-Aventurada Virgem Maria".
  2. Bem-Aventurada Virgem Maria: Maria é Bem-Aventurada Mãe por ter sido a escolhida do Pai para ser mãe de Seu Filho, concebido para viver junto aos seres humanos e salvá-los. Também denominada "Mãe da Divina Graça", Maria mereceu, merece e merecerá todo tipo de homenagem e devoção, pela sua dedicação a seu Filho e a nós, pobres mortais, por todas as suas aparições e ajuda. "Maria da Divina Graça", mulher Santificada em vida e Santa na Morte, pois foi conduzida em corpo e alma para o céu nos braços de seu Filho Jesus. Comemoração: 23 de julho.
  3. Consolata (Consoladora): Vide N. Sra. Consolata.
  4. Estrela da Manhã (Maris Stella, ou ainda, Estrela Matutina): Maria ao nascer é agraciada pela santificação dada por Deus pai e como a estrela matutina, que ao lado do sol nasce brilhante ao ser iluminada. A Santíssima Maria nasceu Santa, imaculada e agraciada, se fez mulher e Mãe do Filho de Deus. Essa denominação é bem abrangente e tem uma carga simbólica muito grande.
  5. Imaculada Conceição: Essa denominação identifica em Nossa Senhora a qualidade por ter sida concebida sem o pecado original para ser Mãe de Deus Filho no corpo mortal do ser humano. Foi o Papa Pio IX que assinou a definição oficial do dogma da Imaculada Conceição. Data de Comemoração: 01/janeiro.
  6. Imaculada Conceição da Virgem Maria: Ainda não temos informações.
  7. Imaculada Virgem Maria: Ainda não temos informações.
  8. Imaculado Coração de Maria: Ainda não temos informações.
  9. Mãe Consoladora (Consolata): Vide N. Sra. Consolata.
  10. Mãe da Divina Graça: Comemoração: 23 de Julho. Vide "Bem-Aventurada Maria".
  11. Mãe da Graça: Roma, Itália. A mesma que N. Sra. da Cabeça Inclinada.
  12. Mãe de Deus: Trata-se da festa mais antiga relacionada a Maria (Mãe de Jesus). Para por fim às teses lançadas pelas heresias durante o III Concílio de Éfeso Maria é declarada "Mãe de Deus". Essa ação e atitude foi necessária porque os hereges não consideravam o lado divino de Jesus, portanto negavam a encarnação do Verbo, colocando Maria como uma mulher comum.
  13. Mãe de Deus e Rainha do Céu: A mesma denominação de N. Sra. do Coração de Ouro.
  14. Mãe do Criador: Mais uma denominação que retrata a passagem de Maria na Terra como Mãe Santíssima do Filho de Deus, o Criador, feito homem. Essa denominação teve origem no Concílio de Éfeso, em 413 d. C.
  15. Mãe Divina: Como Maria foi escolhida para gerar o Filho de Deus Pai, Rei dos Céus, Criador do Mundo, sem ter cometido o pecado original, passou a ser designada dessa maneira durante o Concílio de Éfeso, em 413 d. C.
  16. Mãe e Mestra: Ainda não há informações.
  17. Mãe Imaculada e Rainha do Mundo: A mesma que a denominação N. Sra. Peregrina, vide.
  18. Mãe Peregrina: Ainda não há informações.
  19. Mãe Rainha: Ainda não há informações.
  20. Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável: Vide "Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt".
  21. Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt: A história conta que uma pequena capela de N. Senhora, no Seminário Palotino em Schoenstatt, na Alemanha, dirigida pelo Pe. José Kentenich, não possuía nenhuma imagem ou quadro da Santa Mãe. Nessa época estava ocorrendo a I Grande Guerra Mundial na Europa. Em 1915 um professor do Seminário doou um quadro de Nossa Senhora Refúgio dos Pecados.
  22. Mãe Três Vezes Admirável: Vide "Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt".
  23. Mamita de Cotoca: A mesma que N. Sra. de Cotoca.
  24. Maria: Mulher nascida abençoada por Deus, filha de Joaquim e Anna, que ao se tornar adulta casou-se com o marceneiro José, de acordo estudos recentes, era viúvo e já tinha filhos. Por esse motivo, em algumas passagens da Bíblia aparece a referência aos irmãos de Jesus. Outra explicação bem aceita é a de que na época não existia a designação familiar "primo", para os filhos dos irmãos e por esse motivo todos eram chamados de irmãos. Essas duas teorias surgidas de grande pesquisa explicam com sabedoria a condição de imaculada de Maria. Essa grande mulher não apenas desenvolveu seu papel em vida, mas na sua vida celestial em diversas oportunidades nos premiou e agraciou com sua visita. Em alguns momentos é Nossa Senhora de Fátima, Aparecida, Guadalupe, Lourdes, da Graça etc.
  25. Maria Auxiliadora: Ainda não há informações.
  26. Maria Consebida sem Pecado Original: Ainda não há informações.
  27. Maria da Divina Graça: A mesma que Mãe da Divina Graça e Bem-Aventurada Maria. Vide "Bem-Aventurada Maria".
  28. Maria de Schoenstatt: Vide "Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt".
  29. Maria Teotókos: A mesma que N. Sra. de Atocha.
  30. Maria Mãe de Deus: Como Mãe incensurável do Filho de Deus, concebido pelo Espírito Santo, o educou na Fé e no amor a Deus, seu pai, no amor aos seres vivos, segundo consta Jesus sempre foi vegetariano. Essa denominação destaca a grandiosidade de Maria.
  31. Maria Mãe de Jesus: Mais uma vez Maria é lembrada como Mãe que concebeu o Filho de Deus, Jesus, por concepção pelo Espírito Santo. Vide também: Maria Mãe de Deus.
  32. Maria Santíssima: Ainda não há informações.
  33. Maria Virgem e Mãe: Ainda não há informações.
  34. Maria Virgem Imaculada: Ao nos referirmos a Maria não a como destacar a sua condição especial proporcionada pelo Deus Pai, Criador do Mundo, a concepção sem o ato carnal, pois segundo a tradição Católica Maria sempre foi virgem e por essa razão é diferenciada entre as mulheres. Mas uma outra condição a glorifica, a de ser imaculada, ou seja, não ser isenta em corpo e alma do pecado original.
  35. N. Senhora: Título criado pela Igreja Católica para homenagear Maria, a Mãe Santíssima de Jesus, uma mulher digna, imaculada e livre do pecado original. Nossa Senhora, nossa Mãe, nossa Rainha, Nossa Ama de amor. Nasceu no século Ia.C. Comemoração 01 de janeiro.
  36. N. Sra. a Antiga: Tudo começou com a reconstrução da Catedral de Sevilha, Espanha. Da antiga só foi preservada a imagem da Santa quando passou a ser denominada Santa Maria, a Antiga. Comemoração ?.
  37. N. Sra. Abadia (da Abadia): Ainda não temos informações mais precisas!
  38. N. Sra. Achiropita: Em Rossano, na região da Calábria, na Itália, no final do século VI, numa gruta onde morava o eremita Brém (Santo). O imperador de Constantinopla decidiu que naquele local seria construído um Santuário. A obra foi iniciada e para que fosse pintada no fundo do altar uma imagem de Maria Santíssima foram contratados alguns pintores. Esses trabalhavam duro durante o dia na pintura da Imagem, mas durante a noite, misteriosamente, a imagem pintada desaparecia. Por esse motivo o imperador ordenou que fosse colocado um vigia. Durante uma noite, um guarde que cumpria seu dever, vê surgir do nada uma senhora muito bonita e trajando uma veste de seda pura, branca e resplandecente. A Senhora solicita ao guarda que deixasse o local, o mesmo assustado e surpreso o fez. Na manhã seguinte comunicou o ocorrido ao governador. De imediato o governador tomou sua guarda e se dirigiu ao Santuário. Quando lá chegaram e o adentraram todos ficaram surpresos e admirados com a imagem que estava pintada no mesmo local onde, em vão, os artistas tentaram produzi-la. Ach ropita quer dizer: Imagem não pintada por mãos humanas, é por esse motivo que foi adotado o nome N. Sra. Achiropita, incluindo um "i" para unir as duas palavras.  Comemoração 15 de agosto.
  39. N. Sra. Ajuda: Vide "N. Sra. da Ajuda".
  40. N. Sra. Ajuda dos Cristãos: Ainda não há informações.
  41. N. Sra. Anunciação: Ainda não há informações.
  42. N. Sra. Anunciada: Setúbal, Portugal. Comemoração: 25 de março. Mesma que N. Sra. da Anunciada. Comemoração: ?.
  43. N. Sra. Aparecida: Aparecida, São Paulo, Brasil. Peregrinação: todo mês de maio. Comemoração: 12 de outubro. Denominação completa: N. Sra. da Conceição Aparecida. Era outubro de 1717, região de Guaratinguetá – SP, Aparecida ainda não existia, quando três pescadores partem para o trabalho, pois uma visita ilustre chegaria à Região. Felipe Pedroso, Domingos Garcia e João Alves estavam no Rio Paraíba do Sul pescando, mas nada vinha nas redes. Desceram até a região do Porto Itaguaçu, quando num dos lançamentos das redes notaram que algo havia se enroscado em suas malhas. A retirá-la das águas Felipe descobriu que era uma imagem de uma Santa, mas sem a cabeça. O pescador poderia tê-la jogado fora por estar quebrada, mas por razões desconhecidas ele a guardou. Lançaram as redes novamente, a retirá-la acharam que nada havia sido pescado, mas eles notaram um pequeno objeto preso em suas malhas, era a cabeça da Santa. Então colocaram a cabeça sobre o corpo e esta se encaixou perfeitamente, era Nossa Senhora da Conceição. Daquele dia em diante a imagenzinha passou a ser denominada N. Sra. da Conceição Aparecida, ou melhor, N. Sra. Aparecida. Na data de 26 de julho de 1745 foi construída a primeira Capela dedicada a Mãe de Deus, a atual Matriz Basílica, popularmente conhecida como Basílica Velha, na Cidade de Aparecida, SP. No dia 08 de setembro de 1904, por ordem do Papa Pio X, a pequena imagem recebe uma coroa. No ano de 1929 é proclamada oficialmente Rainha e Padroeira do Brasil. Em 1952 foi iniciada a construção da Basílica Nova, a basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida, local onde foi entronada definitivamente a pequena imagem.
Voltar para o conteúdo