Artigos01 - VivaJesusBr

Santos Arcanjos, Gabriel, Miguel e Rafael sejam nossos guias!
Estamos a 17 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2019, novidades!
Ir para o conteúdo
Meditar e Orar > Credo de Deus > Estudo

1. Creio em Deus
2. Pai todo-poderoso
3. criador do Céu e da terra.
4. E em Jesus Cristo, seu único Filho,
5. Nosso Senhor;
6. que foi concebido pelo poder do
Espírito Santo;
7. padeceu sob Pôncio Pilatos,
8. foi crucificado, morto e sepultado.
9. Desceu à mansão dos Mortos,
10. ressuscitou ao terceiro dia;
11. subiu aos Céus,
12. está sentado à direita de Deus Pai;
13. todo-poderoso;
14. donde há de vir a julgar;
15. os vivos e os mortos.
16. Creio no Espírito Santo;
17. na Santa Igreja Católica;
18. na Comunhão dos Santos;
19. na remissão dos pecados;
20. na ressurreição da carne;
21. na vida eterna.

Amém!.

na remissão dos pecados;
• Remissão significa: perdão, misericórdia e perdoar. Uma simples explicação, mas que se bem analisada leva à grandeza de Deus. A remissão dos pecados não é simplesmente o perdão, mas sim a salvação, que nos eleva ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
• Foi Jesus quem garantiu isso com sua passagem entre nós. Ele pessoalmente perdoou dois na cruz os dois outros crucificados, ou seja, abriu as portas do Céu para aqueles infelizes. A remissão dos pecados é entender os sofrimentos passados por Jesus desde a sua prisão até momentos antes de sua morte na cruz.
• A Igreja Católica Apostólica Romana, a única Igreja fundada por Jesus Cristo, pois deriva dos Apóstolos, os únicos encarregados diretamente por Jesus para construir sua Igreja e depois a todos aqueles que eles consagrassem, no entanto, todos aqueles que a Santa Igreja, por meio de seus sacerdotes e bispos, perdoarem serão também perdoados no Céu.
• A remissão dos pecados é elevar-se à Santíssima Trindade, seguir os exemplos de José e Maria, pais de Jesus nesse nosso mundinho.

CREIO EM DEUS

• Cada uma dos artigos tem um Dogma da Santa Igreja e de Fé. Cabe a cada um uma explicação específica e não tão simples como parece. O Credo é uma oração que transcreve de maneira simplificada as passagens da Bíblia.
• O primeiro artigo começa com a frase "Creio em Deus". Uma confirmação que deve vir do coração e expor-se a Deus com confiança e amor. Ela continua, porém nós nos ateremos ao ato, atitude e conduta como confirmação para a crença em Deus Pai, Deus Filho e na Santíssima Trindade, nosso único Deus.
• Crer é acreditar e confirmar a fé, é também procurar conhecer e entender as Leis e Mistérios de Deus contidos em suas revelações.
• Quando oramos devemos, não como obrigação, mas com amor, nos entregar ao Senhor em corpo e alma, pois ambos, corpo e alma, são de sua propriedade.



PAI TODO-PODEROSO

Este segundo artigo confirma para nós a condição de Deus perante a nós humanos e Seus filhos. Ele é Pai e Todo-poderoso. A cada artigo uma nova revelação dos mistérios do Nosso Senhor. Portanto Ele pode fazer o que desejar e pode tudo.
• Deus é Pai e Todo-poderoso, portanto é o único a interferir sobre a vida, determinar destinos. No entanto, com tanto poder nos concedeu o libre arbítrio, continua nos amando, mesmo quando erramos ou pecamos, por essa razão nos quer ver felizes a caminho da salvação e para a vida eterna.
• Crer neste artigo é confirmar a importância de Deus para a nossa vida, é ter certeza que se está no caminho correto.

CRAIADOR DO CÉU E DA TERRA.

• No terceiro artigo a confirmação de que Deus é o criador de tudo que conhecemos, não apenas do nosso mundinho, mas de todo esse universo, como é descrito no Antigo Testamento – "Deus criou a terra e o firmamento", não exatamente com essas palavras, mas fica bem claro que Ele foi o criador de tudo. Criador da matéria, da vida e do ser humano.
• O bom cristão sabe e reconhece o poder de Deus, por essa razão diz com o coração estes três primeiros artigos.

E EM JESUS CRISTO, SEU ÚNICO FILHO,

O quarto artigo “E em Jesus Cristo, seu único Filho,” confirma a nossa devoção a Deus, portanto na Santíssima Trindade. Jesus é Filho, mas também é Pai, portanto Deus.
• A Igreja desde seus primórdios aceitou essa condição divina de Jesus, humano e divino. Muitos hereges a contestava, ou seja, não aceitavam a divindade de Jesus, mas a Igreja provou e aprovou.
• Nesse artigo fica bem claro essa condição da dualidade humana e divina do Filho de Deus. Na anunciação houve esta confirmação por parte do anjo Gabriel e mais tarde, por parte de Santa Isabel, quando grávida de João Batista, reconheceu a divindade da criança que estava no ventre de Maria, sua prima.
• Acreditar em Deus é acreditar que Ele está presente e é atuante, por ser um Deus vivo.

NOSSO SENHOR

• Jesus Cristo é nosso Senhor! Uma verdade incontestável, pois para crer não é necessário ver. Quando da Anunciação, Maria, a Nossa Senhora, já sabia que estaria carregando em seu ventre o Filho de Deus Encarnado, mesmo não entendendo o que lhe acontecia naquele momento.
• Nesse arquivo do Credo nada mais é do que a confirmação de uma verdade, dogma, de fé.
• Sendo Jesus o único Filho de Deus também o é. Um Deus trino formado pelo Pai, pelo Filho e pelo Espírito Santo, porém um único Deus.
• Deus é Jesus Cristo, portanto Nosso Senhor, que esteve presente na criação.
• O Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz por nós mortais, um Pai que se sacrificou para nos salvar.

QUE FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO.

• Nesse artigo "que foi concebido pelo poder do Espírito Santo." descobrimos que esse Dogma é um dos mais importantes mistérios de Deus e que até os nossos dias não há uma explicação.
• O Espírito Santo por meio do anúncio do anjo Gabriel à Maria agiu sobre ela, quando ficou grávida do Filho de Deus.
• Por ser um dos maiores mistérios ainda não nos revelados, muitos seres humanos descrentes criam hipóteses mirabolantes para descrever esse momento. Uma das "teorias" é a de que Maria passou por uma inseminação artificial realizada por E.T.
• Outra é a de que Maria realmente traiu a José e para não ser punida inventou essa "farsa".
• Nós cristãos sabemos que as Escrituras descrevem fielmente os acontecimentos e que da anunciação até a ação do Espírito Santo de Deus um grande acontecimento possibilitou a encarnação do Filho de Deus.

PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS

• Jesus foi levado para ser julgado por Pôncio Pilatos, mas este avisado por sua esposa, que tivera um sonho, afirmando que Jesus era um homem justo, este lavou as mãos e empurrou para os presentes a decisão de mata-lo na cruz.
• Pilatos libertou Barrabás, como era comum na época da Páscoa judaica, e condenou Jesus.
• É interessante perceber que o Credo é uma oração completa e todo o texto foi extraído das Sagradas Escrituras. É de certa maneira um resumo das Escrituras.
• Condenado sob as mãos de Pilatos, Jesus foi chicoteado, humilhado e levado para a cruz como um criminoso comum.

...foi crucificado, morto e sepultado.


• Após ser condenado por Pilatos, foi levado à crucificação, com extrema violência carregou a própria cruz, quando foi morto ao lado de dois ladrões e à vista de muitos. Morto foi sepultado.
• Todos nós entendemos com facilidade este artigo, porém ele não é tão simples como parece.
• É preciso conhecer e entender as circunstâncias que O levou à morte na cruz.
• Pilatos tenta se eximir da culpa pela morte de Jesus e lava as mãos. Uma atitude que mostra sua despreocupação com a verdade.
• Ao lavar as mãos confirmou sua autorização para a morte de Jesus.
• Jesus, ao ser crucificado, não resmungou, não pediu para ser poupado, não implorou por sua vida e nem mesmo se desesperou.
• O maligno naquele momento deveria estar desesperado, pois sabia que aquela morte levaria Jesus à ressurreição e à vida eterna.
• Para o maligno seria melhor Jesus ser salvo, primeiro porque não seria aberta a porta da salvação e o perdão do pecado original. Pecado provocado por esse ser repugnante.
• Na realidade Jesus não morreu, apenas passou para a outra vida, agora ao lado do Pai do Céu.
• Naquele momento o coração de Maria, sua Mãe, Maria Madalena, sua discípula, e João, o servo querido estava ferido, transpassado por aqueles cravos que perfuravam às mãos e os pés do Filho de Deus.
• Nu na crus morreu, porém não humilhado, pois Ele entregou-se nas mãos de Deus, nosso Pai.

Desceu à mansão dos Mortos...

• Como todo mortal Jesus também experimentou a morte humana, mas sua visita à morte foi passageira.
• Porém, diferentemente de nós, Ele chegou à "Morada dos Mortos" como Salvador e lá confortou todos os espíritos que ali estão aprisionados proclamando a boa notícia.
• As Santas Escrituras identificam a Mansão dos Mortos ou Morada dos Mortos como sendo os Infernos, o Sheol ou o Hades.
• Ali estão todos espíritos à espera do Redentor, sejam eles bons ou maus, mas em condições diferentes.
• Jesus, morto, desceu aos infernos para nos salvar. Esta foi a última missão de Jesus como Encarnado e a última missão messiânica.
• O Catecismo Católico explica este acontecimento de maneira relativamente simples, por essa razão é importante lê-lo.
• Jesus experimentou a morte, passou pela Morada dos Mortos, portanto Ele tem trânsito em qualquer um destes espaços, no Céu, sua morada, na Terra, onde morou e viveu, e nos Infernos, onde passou como o Salvador. Em Apocalipse, no Novo Testamento, João descreve: "detém a chave da morte e do Hades" (Ap 1,18).
• A passagem de Jesus pela Mansão dos Mortos não foi física, mas espiritual, pois lá estão os espíritos para onde todos nós iremos.
• É interessante imaginar a alegria destes espíritos ao receber o Filho de Deus, o Salvador e Pai Eterno.

ressuscitou ao terceiro dia;

• Após descer à mansão dos mortos, Jesus ressuscitou ao terceiro dia. Na ressurreição deixam uma prova de sua passagem para a vida espiritual, o Santo Sudário.
• A ressurreição é uma condição difícil de entender, pois não se trata do ato de reviver. Morreu o corpo, mas não o Espírito ou a Alma de Jesus.
• A energia liberada por seu corpo foi tão grande e inimaginável. Nenhum ser humano conseguiu produzir tamanha energia. O Santo Sudário é a prova deste momento.
• A Ressurreição é um dos muitos Mistérios de Deus, mas foi um momento sublime e digno de Deus.
• Jesus venceu a morte, o maligno e suas forças do mal.
• A Ressurreição no terceiro dia é a maior prova do amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo a nós seres humanos.

subiu aos Céus,
 
• Jesus após descer à mansão dos mortos subiu ao Céu, a morada de Deus, seu Pai e primeira pessoa da Santíssima Trindade.
• Quando subiu ao Céu, Jesus sentou-se do lado direito do Pai, mas também ao trono, pois Jesus é Deus.
• O Céu, a morada de Deus, recebe o retorno do Filho, local onde já esteve, pois Jesus, conforme as Sagradas Escrituras, o Filho estava com o Pai desde a Criação.
• A Redenção ocorreu para a salvação de toda humanidade e quando Jesus subiu ao Céu esta se concretizou.
• No Céu, Jesus reina pela eternidade ao lado do Pai e do Espírito Santo, servido pelos anjos, santos e santas.
“está sentado à direita de Deus Pai;”

• Jesus Cristo está sentado à direita de Deus Pai, porque são três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo, porém Jesus também é Deus, um único Deus.
• Estando à direita de Deus Pai significa que Jesus, ao viver nos dois lados, como homem e como Deus, faz com que nosso único Deus nos compreenda melhor e nos ajude.
• Deus é Pai e todo pai administra seus bens, mas principalmente seus filhos. Como Pai, Jesus age em nosso favor e contra todo mal.
• Jesus salvai-nos!
donde há de vir a julgar;

• Deus é incontestavelmente o “Todo-Poderoso”, o criador e o Pai. O Pai de Jesus, nosso Pai. O Pai que cuida dos filhos amados, humanos, mortais e pecadores. Este é Deus, uno, na Trindade, do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
• O Credo destaca nesse artigo o valor e o poder de Deus. Um Deus que não usa seu poder para o mal, para benefício próprio ou para mostrar que tem poder.
• Nada escapa a seu “olhar e ouvidos”, está muito acima de nós, seres materiais, pois vive no mundo espiritual.
• Rezar o Credo, refletindo seus artigos, é se aproximar do Pai, porque nos faz conhece-Lo melhor e amá-Lo.
os vivos e os mortos.

• Quem Deus julga ou julgará? Não apenas os vivos, mas também os mortos, com toda certeza, com toda misericórdia inerente ao seu amor.
• O que devemos entender é que os mortos são aqueles e aquelas que deixaram o corpo físico, mas estão vivos espiritualmente, como a Santíssima Trindade.
• Como será esse julgamento? Só Deus sabe, ou seja, mais um dos seus Mistérios.
• Todos serão julgados!
todo-poderoso;

• Deus, como Pai e Criador é sem dúvida “Todo-poderoso”, que tudo sabe e tudo vê, não de forma física e material, mas espiritual.
• Aquele que tudo criou tem muito conhecimento e sabedoria, isso não há como discutir ou questionar.
• Como Pai que ama seus filhos terrenos, mandou seu Filho para viver como nós humanos, desde a infância até a morte, porém seu Santo Filho, humano e divino, não veio para salvar os bons, mas sim aqueles que estavam ou estão perdidos, desencaminhados e desorientados.
• Deus, com seu poder, escolheu a Mãe e o Pai para seu Filho, ambos da casa de Davi.
• Não é um Deus que guarda rancor, mágoa, apenas ama seus filhos, por essa razão, com todo seu poder faz de tudo para salvar-nos, mas sem desrespeitar sua própria regra, o livre arbítrio.
 Creio no Espírito Santo,

• Crer no Espírito Santo é ter certeza que Deus existe, que é formado por três Pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, que é um único Deus.
• O Espírito Santo vem de Deus, do Pai e do Filho, e como parte da Trindade Uma é Deus. O Espírito Santo de Deus está presente no Batismo, na Primeira Comunhão, na Crisma, ou seja, em todos os Sacramentos, mas também na Missa, nas procissões e demais atos e ações da Santa Igreja via Santo Papa, o representante de Jesus no planeta Terra.
• Ele nos guia, ajuda e socorre, no Batismo nos inunda com o poder de Deus. É um espírito, como todos que vivem no Reino Celestial, não é físico, mas está presente entre nós como Espírito Santo e como Deus.
• É um tanto complicado para nós seres humanos entendermos esses Mistérios de Deus, mas talvez um dia ele nos será revelado.
• Amar a Deus é confirmar no coração e alma que o Espírito de Deus está em nós, de todas as idades, homens ou mulheres, de qualquer cor, raça ou etnia.
na Santa Igreja Católica,

• A única Igreja de Jesus Cristo, mais especificamente, a única Igreja fundada por Jesus Cristo, é Santa e una, ou seja, representa o nosso único Deus em três Pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, por esse motivo é que confiamos, cremos e seguimos os seus ensinamentos.
• A Igreja que todo católico conhece é o Corpo de Cristo, administrada por seres humanos, mas sua estrutura é celestial. É Deus quem a administra, por meio do Espírito Santo, que em muitas situações, inspira o Papa ou os cardeais que o escolhem.
• Um religioso, humano, pode até cometer um pecado ou erro, mas a Igreja, como Instituição e corpo de Jesus Cristo, inspirada pelo Espírito Santo, nunca erra. Nenhuma das decisões dos papas, nesses mais de dois mil anos de existência, foi contestada ou revogadas. Mudou-se a maneira como a Missa seria rezada, mas não sua estrutura, durante o Concílio Vaticano II, criado pelo Papa João XXIII (santo) e concluído pelo Papa Paulo VI.
• A Igreja é Santa porque é o Corpo de Cristo na terra.
na Comunhão dos Santos;

Os Santos e Santas, incluindo os Anjos, trabalham por Deus, para Deus em comunhão com Deus, ou seja, estão ao lado do único Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
• O dicionário define a palavra, item 2, desta maneira:
"sintonia de sentimentos, de modo de pensar, agir ou sentir; identificação."
• Os Santos, Santas e Anjos, tem os mesmos sentimentos, pensam da mesma maneira, agem ou sentem com concordância, e, por fim, se identificam com todas as coisas, atos e ações de Deus.
• A Comunhão é a Aliança entre eles e Deus, mas não são apenas os Santos, Santas e Anjos que fazem parte da Comunhão com Deus. Nós, humanos imperfeitos e pecadores, também fazemos parte da Comunhão com Deus, pois estamos buscando a santificação e a salvação. Quando em comunhão com a Santíssima Trindade agimos, atuamos e pensamos seguindo a Palavra do Verbo, estamos em comunhão com Deus. Este artigo não é restrito aos seres espirituais que vivem ao lado de Deus, ele faz parte do nosso dia a dia, da nossa rotina, do nosso hoje e do futuro, mas para seguir em Comunhão com Deus devemos agir, pensar e atuar hoje!
na remissão dos pecados;
 
• Remissão significa: perdão, misericórdia e perdoar. Uma simples explicação, mas que se bem analisada leva à grandeza de Deus. A remissão dos pecados não é simplesmente o perdão, mas sim a salvação, que nos eleva ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.
• Foi Jesus quem garantiu isso com sua passagem entre nós. Ele pessoalmente perdoou dois na cruz os dois outros crucificados, ou seja, abriu as portas do Céu para aqueles infelizes. A remissão dos pecados é entender os sofrimentos passados por Jesus desde a sua prisão até momentos antes de sua morte na cruz.
• A Igreja Católica Apostólica Romana, a única Igreja fundada por Jesus Cristo, pois deriva dos Apóstolos, os únicos encarregados diretamente por Jesus para construir sua Igreja e depois a todos aqueles que eles consagrassem, no entanto, todos aqueles que a Santa Igreja, por meio de seus sacerdotes e bispos, perdoarem serão também perdoados no Céu.
• A remissão dos pecados é elevar-se à Santíssima Trindade, seguir os exemplos de José e Maria, pais de Jesus nesse nosso mundinho.
na ressurreição da carne;
• É muito interessante este artigo do Credo, não por sua complexidade, mas pela garantia de que Jesus, como Deus, ressuscitou em corpo e alma. Com nenhum de nós isso irá acontecer, apenas nossa alma seguirá em direção ao Céu após a nossa morte. Essa parte de nosso corpo apodrece e se transforma em pó, a massa, o físico, ou seja, nossos corpos, são matéria, não espiritual. Porém, Jesus, mesmo humano, era e é Deus, seu corpo e sua alma são especiais, são dignos do Pai, pois é também o Filho.
• Só Jesus, após a morte teve este privilégio, a prova maior é o Santo Sudário que se encontra em uma Igreja de Turim. A marca do corpo durante a ressurreição ficou no tecido que cobriu seu corpo após sua morte. Jesus não foi apenas um mortal, veio a nós de maneira especial, vivei no nosso meio de maneira muito especial e digna pela sua fortaleza.
• Deus levou Jesus em corpo e alma para o seu lado. O corpo de Jesus é sagrado, deve ser respeitado, bem como seu sofrimento carnal. Amém!
na vida eterna.
• A Vida Eterna não é esta em que estamos vivendo, mas sim quando da passagem para a vida espiritual, no Credo de Deus esta passagem se refere à salvação daqueles e daquelas que merecem viver no mundo de Deus. Uma oportunidade única e que é destinada àqueles e àquelas que conseguiram a salvação, mas durante a reza do Credo é possível pedir pelos irmãos e irmãs que estão perdidos ou perdidas, distantes da Santíssima Trindade.
• Rezar e pedir por outros ou outras pessoas é mostrar seu amor verdadeiro pela vida. Esse pedido deve ser verdadeiro e com muita fé, pois só assim poderá surtir resultados.
• O amor de Deus é infinito e inquestionável, por isso está nos ouvindo e nos atendendo, mesmo que o pedido seja para um ser humano que nunca respeitou as Leis de Deus.
• Orar o Credo meditando seus artigos valoriza muito o seu entendimento e aceitação.
Amém!
Voltar para o conteúdo