A - VivaJesusBr

A Trindade Santa e a Família Sagrada nos amam!
Estamos a 16 anos evangelizando! Obrigado! Janeiro mês do nosso aniversário!
Iniciado em: 15/01/2002
Neste endereço (domínio): 14/01/2006
Em 2018, novo visual!
Ir para o conteúdo
Beatos & Santos > Santas > A

SANTAS

  1. • Anna (séc. I a.C., Palestina - séc. I d.C., Palestina) - Mãe  de Maria, a Mãe de Jesus. Data comemorativa também para São Joaquim - 26/07 Nasceu na Palestina, no século I a.C. Anna e Joaquim são os pais de Maria, futura mãe de Jesus e viveram no séc. I. Joaquim nasceu em Nazaré e era dono de grande propriedade e rebanho. Casou-se com Anna ainda jovem, mas não conseguiam ter filhos. O casal desejava um filho e para conseguir seu objetivo Joaquim parte para uma peregrinação no deserto, onde passou em jejum e orando por 40 dias. Então apareceu um Anjo do Senhor e o orienta a retornar. Por sua vez, Anna também orava muito até que num certo dia, quando descansava sob uma árvore apareceu-lhe um Anjo do Senhor. Este tinha a função de avisar Anna de que ela ficaria grávida e seria mãe. Esta filha seria muito louvada, adorada e respeitada em por todo mundo. Ele ainda a orienta para que fosse ao encontro de seu marido que já estava retornando de seu jejum. Joaquim e Anna se encontram no Portão de Ouro e festejam quando cada um conta o que aconteceu consigo. Aos 40 anos de idade, Anna dá a luz a Maria e os dois se dedicam, com muito cuidado a garantir a educação da filha, por isso, aos três anos ela é levada a um Templo e apresentada a Deus. Joaquim e Anna conheceram o Filho de Maria, o Neto Jesus. Faleceu na Palestina, em data não identificada por nós. Em 1582, a Santa Sé proclama a festa dedicada à Sta. Anna para toda Igreja. Faleceu no século I d.C., na Palestina. A data comemorativa é o dia 26 de julho para ambos. O nome do Bairro de Santana, em São Paulo - SP, Brasil, veio da fusão das duas palavras, Santa e Anna.
  2. • Actinéia (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com Santa Griciana - 16/06
  3. • Ada (?, França - final séc. 692?, França?) - Virgem - 28/06 ou 04/12 Nasceu na França em data e local não identificados por nós. Foi Abadessa do Monastério de Santa Maria. Faleceu na França, provavelmente em 692(?).
  4. • Adelaide (séc. X, França - 999, Alemanha) - 16/12 Nasceu na França, sabe-se no entanto que nasceu durante o séc. X. Era filha do rei da Borgonha, França. Casou ainda jovem, mas logo ficou viúva. Mais tarde conheceu e casou-se com Oto I, rei da Germânia, o primeiro e fundador do chamado Sacro Império Romano-Alemão ou Germano. Quando Oto I faleceu foi regente de seu filho, Oto II, até que ele atingisse a maioridade. Anos mais tarde foi regente do neto Oto III, nas mesmas condições. Tinha como orientador espiritual o abade  de Cluny, Odilon (Santo). Foi grande aliada de Odilon nas suas reformas. Faleceu na Alemanha, no ano de 999.
  5. • Adelaide de Vilich (?960, Alemanha - 1015, Alemanha) - Virgem e Abadessa - 05/02 Nasceu provavelmente no ano 960, em Vilich, na Alemanha. Seus pai Megengoz e sua mãe Gerberga, eram os famosos condes de Geldern. Uma família extremamente religiosa e que tiveram quatro filhos, três meninas e um menino. Tempos mais tarde, uma de suas irmãs ingressou no Convento de Santa Maria, em Colônia, na Alemanha. Logo depois Adelaide ingressou no Convento de Santa Úrsula, também em Colônia. Tempos depois as duas irmãs foram eleitas Abadessas, nos seus respectivos Conventos. Pudemos identificar que seu filho faleceu, em data e causa não identificada por nós. Por esse motivo seus pais construíram uma Igreja e um Convento em Vilich. O sonho de seus pais era ver uma das filhas trabalhando nele e logo isso se concretizou, quando Adelaide ingressa como Abadessa do Convento. O Convento e até a condição social dos seus pais atraíram muitas jovens que desejavam ingressar no Convento de Vilich. Adelaide era muito caridosa, isso desde criança, pois recebeu uma educação verdadeiramente Cristã, uma prova dessa atitude é que veio a gastar parte da fortuna da família, referente a sua parte na herança, para fazer caridade. Atendia a pobres, doentes e estes últimos quando não tinham condições satisfatórias eram recolhidos no Convento para tratamento mais cuidadoso. Outra característica do Convento era a de servir diariamente alimentação para muitos necessitados. Quando uma crise assolou a região muita gente que passava fome foi atendido por Adelaide e as irmãs, fato que salvou muitas vidas, principalmente de crianças. Em data ainda não identificada por nós, sua irmã veio a falecer e por esse motivo Adelaide foi transferida para o Convento dirigido por sua irmã. E lá permaneceu até a sua morte. Faleceu em 05 de fevereiro de 1015, em Colônia, Alemanha. Consta em documentação da Santa Igreja diversos documentos atestando vários prodígios e graças realizados ainda em vida por Adelaide. É importante destacar que a tradução de seu nome é Alice, portanto Santa Alice de Vilich é  Santa Adelaide de Vilich.
  6. • Adélia (?, Alemanha - séc. VIII, Alemanha) - Viúva e Abadessa - 24/12 Nasceu na Alemanha, em data não identificada por nós. Sabe-se que Adélia conheceu Bonifácio (Santo) quando pregava o Evangelho e estava em viagem de Frisia para Renânia, Alemanha, por se hospedar no Mosteiro onde ela era abadessa. Bonifácio se hospedou diversas vezes naquele Mosteiro durante as suas viagens. A qualidade de vida e a dedicação das irmãs do Mosteiro deixava Bonifácio espantado, pois tudo era muito simples, mas muito organizado. Outro fator que chamava a atenção era o trabalho voltado à caridade e assistência social. Faleceu no séc. VIII, naquele Mosteiro, na Alemanha.
  7. • Adelina (?, ? - ?, ?) - Abadessa - 28/08
  8. • Adelina (?, ? - 1125, França) - Abadessa - 20/10 Nasceu provavelmente na Normandia, na França, em data não identificada por nós. Sabe-se muito pouco sobre a vida desta Santa. Adelina era filha de família nobre, neta de Willian, o Conquistador. Em data não identificada por nós ingressou no Convento Beneditino de La Blanche, na Normandia. Algum tempo depois é eleita Abadessa do Convento. Este Convento foi fundado por seu irmão de sangue. Faleceu em 1.125, naquele Convento, na França.
  9. • Adeloga (?, ? - 745, França) - Abadessa - 02/02 Nasceu na França, em local e data não identificada por nós. Sabe-se muito pouco sobre a vida desta Santa. Adeloga era princesa, portanto de família nobre e rica. Era extremamente religiosa e por esse motivo fundou um Convento Beneditino de Kitzingen, em Franconia, na França. Após ingressar no Convento foi eleita Abadessa, local onde passou o resto de sua vida. Faleceu em 745 de causas naturais, naquele Convento, na França.
  10. • Afra (?, Alemanha - 304, Alemanha) - Mártires  juntamente com suas companheiras - 05/08 Nasceu na Alemanha, em data por nós não identificadas. Afra era uma prostituta rica e bem reconhecida pela alta sociedade. Numa certa data recebeu em sua casa, como hóspede Narciso e Félix (Santos), pois estavam se escondendo dos soldados que os perseguiam por serem Cristãos. Como o local era afamado negativamente ninguém suspeitou que os dois estivessem ali. Foi quando Afra descobre a verdadeira identidade dos dois Cristãos, o sacerdote Narciso e o diácono Félix, de imediato ela se ajoelhou diante de seus pés e imediatamente confessou seus pecados, logo em seguida pediu-lhe para ser Batizada e também às suas companheiras Digna, Eunômia e Eutrópia, fato que se consumou e todas juraram deixar aquela vida de desamor. Pouco tempo depois todas foram presas por soldados do imperador sob acusação de praticarem o Cristianismo. Diante das autoridades todas confessaram e confirmaram a sua Fé em Deus Pais e Filho. Imediatamente foram levadas para a Ilha de Lesh. Faleceu amarrada em uma estaca, despojada de suas vestes e queimada viva em 304. Pouco tempo depois o mesmo martírio foi aplicado ás suas companheiras.
  11. • Ágape (séc. III, Macedônia - ?304, Macedônia) - Virgem e Mártir juntamente com Santa Ciônia (Quiônia) e Irene - 03/04 Nasceu provavelmente na Itália, em data não identificada por nós. Tinha duas irmãs Irene e Quiônia. Com a perseguição de Diocleciano aos Cristãos elas foram foram denunciadas e presas foram submetidas a interrogatório para negarem a sua fé. Porém nenhuma delas negou a Fé em Nosso Senhor Jesus Cristo, por esta razão Ágape e Quiônia foram condenadas à morte, sentença cumprida quando foram queimadas vivas. Irene foi novamente interrogada para que negasse a sua Fé, mas esta se mostrou firme, foi conduzida a um bordel para ser prostituída, mas ninguém ousou tocá-la, por esta razão foi levada e condenada a ser queimada viva ao atearem fogo aos seus livros cristãos. Faleceu na Macedônia, provavelmente em 304, queimada em público viva.
  12. • Ágape? (?, ? - 273, ?) - Virgem e Mártir - 15/02 Nasceu em local e data não identificada por nós. Era seguidora de São Valentim e fez parte de um grupo de virgens organizado por este Santo. Existe muito pouca informação sobre esta Santa do século III. Foi construída uma Igreja em homenagem a ela no século XII. Seu nome é um dos primeiros no Martirológio da Igreja Católica Romana. Faleceu no ano 273.
  13. • Agatônica (?, ? - 250?, ?) - Mártir juntamente com São Pápilo e São Carpos - 13/04 Nasceu em local e data não identificada por nós. As únicas informações que obtivemos é que Agatônica foi martirizada juntamente com o Bispo Carpo e o Diácono Pápilo. Faleceu no ano 250?.
  14. • Agnofleda (?, ? - ?, ?) - 01/12 ou 02/04 Nasceu em local e data não identificada por nós, mas provavelmente nasceu no ano 638 (informação não confirmada). Agnofleda era uma virgem dedicada a Deus Pai e Deus Filho. Não nos foi possível obter maiores informações sobre esta Santa. Faleceu provavelmente no ano 653.
  15. • Agostinha Lívia Pietrantoni (1864, Itália - 1894, Itália) - Vírgem mártir - 13/11 Nasceu em Tívoli, na Itália, em 27 de março de 1864. Seus pais eram muito pobres, mas extremamente trabalhadora e muito religiosa. Seus pais  Francisco e Catarina Pietrantoni tiveram onze filhos.
  16. Quando já tinha vinte e dois anos e com a família em melhores condições de vida pediu a seus pais que permitissem seguir a sua vocação. Autorizada parte para Roma no dia 03 de março de 1886. Chegando a Roma precisou de 17 meses de noviciado, quando, só então, ingressou na  Congregação das Irmãs da Caridade de Santa Joana Thouret. Como era muito caridosa, atenciosa e dedicada aos doentes foi enviada para trabalhar no  Hospital do Espírito Santo, em Roma. No hospital cuidou inicialmente de crianças e depois dos tuberculosos. Quando começa a perseguição aos Cristãos e religiosas, os próprios doentes não tinham respeito com as religiosas. Era muito comum ofendê-las doentes contrários ou dominados pela idéia da perseguição à Igreja. Apesar das ofensas, Agostinha os atendia com paciência e caridade. Foi acometida pela tuberculose, mas foi rapidamente curada. Numa certa data foi internado no hospital José Romanelli. Uma pessoa que já havia sido condenado várias vezes. Quando estava em seu leito algumas lavadeiras recolhiam as roupas e José passou a insultá-las e ter atitudes imorais. Os enfermeiros comunicaram o fato ao diretor do hospital. Imediatamente este providenciou a expulsão de José. Revoltado José passou a culpar Agostinha e lhe jurou vingança. Ocultamente José, no dia 13 de novembro de 1894, invade as instalações do hospital à procura de Agostinha. Estava armado com uma faca. A irmã Agostinha circulava pelo corredor quando depara com José e este a ataca desferindo-lhe sete facadas. Faleceu no dia 153 de novembro de 1894, pouco tempo depois de ser vitimada. Tinha trinta anos de idade. O seu enterro foi acompanhado por mais de duzentas mil pessoas, todas comovidas, admiradas e inconformadas. Esse número foi publicado nos jornais da época. Foi Canonizada em 1999, pelo então Papa João Paulo II.
  17. Agrícola (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com São Vidal* - 04/11
  18. • Agripina (?, Itália - III, Itália) - 23/06 Nasceu na Itália e em data não identificada por nós. Sabe-se que ela fez voto de virgindade e fé a Deus e Jesus, contrariando as ordens do imperador Valeriano. Por esse motivo foi presa e martirizada. Aconteceu que seu corpo foi transladado para a Sicília. O local ainda hoje é muito procurado e existem relatos de que ocorrem muitos milagres. Faleceu na Itália, martirizada, no séc. III.
  19. • Águeda (ou Ágata) (230/5, Itália - 250/1, Itália) - Virgem e mártir - 05/02 Nasceu na Itália, no por volta de 230, em Catânia, em uma família rica e nobre. Desde criança fazia  referência que a sua castidade seria preservada em nome do Pai Celestial. Gastaria de viver na pobreza e humildemente para servir a Deus Pai e Filho através de ações junto à população carente. O Governador da Ilha Sicília se interessa pela jovem e a pede em casamento, mas ela recusa afirmando que pretende servir apenas a Deus. Pelo que se sabe esta tentativa foi feita por diversas vezes e sempre recusado o pedido. O governador irado pela recusa, pois era uma pessoa "importante" ordena  que a jovem Águeda seja presa e como punição ela deveria morar com uma mulher de conduta bastante duvidosa para desviá-la de sua Fé. Acontece que as convicções da jovem eram muito fortes e as tentativas da mulher desencaminhá-la não deram resultado. O governador inconformado e irado ordena que a menina fosse levada ao tribunal e depois aos carrascos por ser Cristã. Nas mãos dos carrascos a jovem é chicoteada, agredida com socos, pontapés e por fim colocada sobre uma chapa de cobre em brasa e logo retirada para que não morresse e pudesse retornar à prisão para novas torturas. O que não era esperado pelo governador ateu aconteceu, sua Fé e restaurada e muito maior, pois ela tem a "visita" do Apóstolo São Pedro. Este mostrou à jovem que a sua Fé era a maior virtude de sua vida. Quando os carrascos voltaram, achavam que ela teria mudado de opinião, mas encontraram Águeta firme e convicta. Então, irados por não conseguirem demover a sua crença em Deus Pai e Filho, os carrascos a conduzem para novas torturas, agora mais violentas. As novas torturas são iniciadas pelo deslocamento de alguns ossos do corpo e depois passa pela dilaceração dos seios da jovem. Foi também arrastada sobre cacos de vidro e carvão em brasa. Um fato inexplicável acontece durante o martírio, o vulcão Etna entrara em erupção no momento que iniciou o martírio. Águeda foi levada novamente para a prisão e lá ela fica sabendo da erupção do vulcão e inicia uma reza pedindo a Deus que cessasse a fúria do vulcão. Como suas forças estavam no limite Águeta não resistiu e falece orando. Novamente mais um fato inexplicável para os descrentes, o vulcão se calou. Muitas pessoas passaram a crer em Deus a partir deste acontecimento e o poder da ilha cada vez mais impotente. Faleceu na Itália, no ano de 251, com apenas 21 anos, em função do martírio. É considerada a protetora das populações que vivem em torno do vulcão e é muito invocada e respeitada na Itália.
  20. • Águeda Chon Kyong (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09
  21. • Águeda de Wimbone (?, ? - ?, ?) - 12/12 -
  22. • Águeda Hildegarda (?, ? - ?, ?) - 05/02 -
  23. • Agueda Kim (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09 -
  24. • Agueda Lin Zao (?, ? - ?, ?) - Mártir chinesa - 09/07 -
  25. • Agueda Yi Kan-Man (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09 -
  26. • Agueda Yi Kyong-i (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09 -
  27. • Agueda Yi So-as (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09 -
  28. • Agueda Yi (?, ? - ?, ?) - Mártir coreana - 20/09

  1. • Alberta (?, ? - ?, ?) - Virgem e mártir - 06/08 -
  2. • Albertina (?, ? - ?, ?) - ??/??
  3. • Albina (?, ? - ?, ?) - Mártir - 16/12 -
  4. • Aldegundes ou Aldedunda ou Aldegonda (635, França - 684, França) - Virgem - 30/01 Nasceu em Hainault, na França, no ano de 635. Recusou um pedido de casamento, pois desejava ingressar na vida religiosa. Torna-se anacoreta, vindo pouco tempo depois a mer nomeada Abadessa do Mosteiro de Monges e Irmãs, na sua cidade natal. Aldegundes adoece e é constatado um cancro de mama, doença que a fez sofrer muito, mas sempre a suportou. Por esta razão é invocada para auxiliar e interceder quando crianças ficam doentes, contra o cancro, a morte súbita etc. Faleceu em sua Diocese, na França, em 684.

  5. • Aldetrudes (?, ? - ?, ?) - Virgem e Abadessa - 25/02
  6. • Aleda (?, ? - ?, ?) - Virgem e Mártir - 01/08

  7. • Alena de Forest (?, ? - ?, ?) - Virgem e Mártir - 16/06

  8. • Alfonsa da Imaculada Conceição (?, ? - ?, ?) - Virgem - 28/07 Nasceu na Índia, em local e data não identificados por nós. Foi Canonizada pelo Papa Bento XVI no Dia 12/10/2008.

  9. • Alice (?, ? - ?, ?) - Virgem - 12/06
  10. • Alice (Bélgica, séc. XIII - Bélgica, 1250) - 10/06 Nasceu nas proximidades de Bruxelas, na Bélgica, no século XIII. Quando tinha sete anos de idade foi admitida na Abadia Beneditina de Cambre, na Bélgica. Durante anos cativou a todos pelo seu amos e dedicação à Fé. Seguia fielmente a sua vocação, orando e meditando. A lepra atemoriza a Bélgica e Alice foi uma de suas vítimas. Por causa da doença foi isolada no interior do convento. Por segurança passou a viver enclausurada num sótão. Durante sua clausura orava e se dedicava com todas as suas forças, pois era devota convicta ao Sagrado Coração de Jesus. Com o tempo perdeu a visão. Falece na Bélgica, em 11 de junho de 1250. Todo o período que passou enclausurada nunca reclamou.

  11. • Alódia (?, ? - ?, ?) - Virgem mártir juntamente com a Santa Nunila * - 22/11
  12. • Amai  (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com as Santas Mariane, Tecla *, Maria e Marta - 09/06
  13. • Amalberga (?, Bélgica - 690, Bélgica) - Viúva e mãe - 10/06 Nasceu em Bruxelas, na Bélgica, em data não identificado por nós. Amelberga era casada, quando seu marido, em comum acordo, ingressa em um Mosteiro tornando-se religioso. Era um conde e seu nome era Witger. Também foi mãe de três santos Santa Gudula, São Emeberto e Santa Reinalda. Também ingressou em um Convento e pouco tempo depois fica viúva. Também conhecida como Santa Amelberga. Faleceu na Bélgica, no ano 690.
  14. • Amelberga (?, Bélgica - 772, Bélgica) - 10/07 Nasceu na Bélgica, em data não identificado por nós. Freira Beneditina muito caridopsa. Faleceu na Bélgica. no ano 772.
  15. • Amelberga (?, Bélgica - 900, Bélgica) - Abadessa - 21/11 Nasceu na Bélgica, em data não identificado por nós. Abadessa de um Convento Beneditino, na Holanda. Foram suas alunas e lá se formaram duas filhas do rei francês de Lorraine. Faleceu na Bélgica, no ano 900.
  16. • Amélia (Séc. III, Espanha? - séc. IV, Espanha) - Mártir - 05/01 Nasceu provavelmente na Espanha, provavelmente no séc. III. As informações sobre esta santa constam da Tradição Católica da época do imperador Diocleciano. Muito pouco se sabe sobre essa Santa, inclusive não é sabido seu nome de Batismo. Amélia como Cristã se recusa a se submeter aos deuses pagãos e é condenada à morte. Outro fator que incomodava os governantes da época sua atitude de testemunhar o Santo Evangelho. Faleceu em Verona, na Catalunha, Espanha, martirizada, no dia 05 de janeiro, no início do séc. IV.
  17. • Amélia de Cesareia (Emília ou Emélia) (Séc. III, Capadócia - séc. IV, Capadócia) - Casada com São Basilio, o Velho - 03 ou 30/05
  18. Nasceu em Cesareia, Capadócia, atual Turquia, no séc. III. Casada com São Basílio, o Velho, mãe de São Pedro Sebaste, São Basílio Mágno, São Gregório de Nissa e Santa Macária. Criou seus filhos na fé cristã com muito amor e dedicação. Originária de uma família bem de vida, financeiramente falando. Faleceu em Cesareia, na Capadócia, atual Turquia, no séc. IV.
  19. • Amonária (?, ? - 250, Egito) - Mártir juntamente com as Santas Amonária, Dionísia e Mercúria - 12/12 Nasceu em local e data não identificado por nós. As informações sobre essa Santa e suas companheiras são pouquíssimas. Sabemos que foram martirizadas duas mulheres com o mesmo nome, Amonária, e duas outras, Mercúria e Dionízia (todas Santas). Naquela época o imperador Décius, ordenou a morte das quatro mulheres por se recuzarem a adorar os deuses pagãos de Roma. Faleceu em Alexandria, Egito, martirizada, ano 250.

  20. • Ana (Anna) (séc. I a.C., Palestina - séc. I d.C., Palestina) - Mãe de Maria - Data comemorativa também para São Joaquim - 26/07 Nasceu na Palestina, no século I a.C. Joaquim e Anna são os pais de Maria, futura mãe de Jesus e viveram no séc. I. Casou-se com Joaquim ainda jovem, mas não conseguiam ter filhos. O casal desejava um filho e para conseguir seu objetivo Joaquim parte para uma peregrinação no deserto, onde passou em jejum e orando por 40 dias. Então apareceu um Anjo do Senhor e o orienta a retornar. Por sua vez, Anna também orava muito até que num certo dia, quando descansava sob uma árvore apareceu-lhe um Anjo do Senhor. Este tinha a função de avisar Anna de que ela ficaria grávida e seria mãe. Esta filha seria muito louvada, adorada e respeitada em por todo mundo. Ele ainda a orienta para que fosse ao encontro de seu marido que já estava retornando de seu jejum. Joaquim e Anna se encontram no Portão de Ouro e festejam quando cada um conta o que aconteceu consigo. Aos 40 anos de idade, Anna dá a luz a Maria e os dois se dedicam, com muito cuidado a garantir a educação da filha, por isso, aos três anos ela é levada a um Templo e apresentada a Deus. Joaquim e Anna conheceram o Filho de Maria, o Neto Jesus. Faleceu na Palestina, no século I d.C. Em 1582, a Santa Sé proclama a festa dedicada à Sta. Anna para toda Igreja. A data comemorativa é o dia 26 de julho para ambos. O nome do Bairro de Santana, em São Paulo - SP, Brasil veio da fusão das duas palavras, Santa e Anna.
  21. • Ana Ann (?, China - ?, China) - Mártir chinesa - 09/07
  22. • Ana Ann Jiao (?, China - ?, China) - Mártir chinesa - 09/07 -
  23. • Anacoreta (?, ? - ?, ?) - 06/06 -
  24. • Ana Kim (?, Coréia - ?, Coréia) - Mártir coreana - 20/09 -

  25. • Ana Line (?, ? - ?, ?) - Mártir inglesa - 27/02 -

  26. • Ana Pak (?, Coréia - ?, Coréia) - Mártir coreana - 20/09

  27. • Ana (Anna) Schäffer (?, ? - ?, ?) - 05/10 Nasceu em  Mindelstetten , Baviera, Alemanha, no dia 18/02/1852. Uma pessoa piedosa teve seu maopr aprendizado vindo de sua mãe, a fé cristã. No ano que fez a Primeira Comunhão prometeu ingressar na vida religiosa. EStudou e formou-se em direito e até exerceu a profissão, mas seu objetivo era o de criar uma ordem de irmãs missionárias. No dia 04/02/1901, na Casa  Stammham Rangers, um grave acidente lhe ocorreu e teve suas pernas se queimaram. O resultado não poderia ser o pior, por passou a ficar na cama, foi então que começou a trabalhar evangelizando por meio de correspondências e também de depoimentos orais e escritos. Apesar da grande dor não desistiu da sua missão pela fé. Faleceu em Alemanha, no dia 05/10/1925. Foi Beatificada pelo Papa João Paulo II, no dia 07/03/1999. Foi Canonizada pelo Papa Bento XVI, no dia 21/10/2012.

  28. • Ana Wang (?, China - ?, China) - Mártir chinesa - 09/07 -
  29. • Anastácia (?, ? - 68, Roma) - Mártir juntamente com a Santa Basilissa - 15/04 Nasceu em local e data não identificado por nós. Anastácia e sua amiga Basilissa, segundo a Tradição Católica, eram duas nobres romanas. Aconteceu que ambas foram convertidas ao cristianismo pelas palavras e depoimentos de São Pedro e São Paulo. Quando São Pedro e São Paulo foram martirizados, em datas diferentes, foram elas que procuraram seus corpos e os enterraram secretamente durante a noite. No entanto foram descobertas, fato que deixou os nobres e o próprio imperador Nero furiosos. Como eram romanas foram levadas a presença de Nero. Durante o julgamento Nero obrigava que ambas renunciassem à Fé Cristã e adorassem os deuses pagãos. Outra exigência de Nero era que as duas revelassem os locais onde São Pedro e São Paulo estavam enterrados. Nero queria exumar e queimar os corpos destes dois Apóstolos. Ambas não cederam e então foram condenadas à morte. Faleceu em Roma, no ano 68.
  30. • Anastácia (?, ? - 304, Roma?) - Matrona mártir - 25/12 Nasceu em local e data não identificado por nós. Anastácia casa-se com um pagão chamado Publius. Era a matrona de uma família nobre e rica. Publius é enviado para uma missão na Pérsia e lá vem a falecer. Viúva Anastácia tem contato com os Cristãos e passa a seguir a Fé. Durante a perseguição de Deocleciano foi presa e condenada por se recusar a adorar os deuses pagãos do Império Romano. Faleceu provavelmente em Roma, martirizada, provavelmente na data de 25 de dezembro de 304.
  31. • Anastácia II (?, ? - ?, ?) - Mártir - 28/10 Nasceu em local e data não identificado por nós. A história dessa Santa é recheada de lendas e até desinformação. O que se sabe é que ela era bem jovem e pertencia a um grupo de virgens de Roma e que por vocação se dedicavam à palavra de Jesus Cristo. Quando foi descoberta foi presa, torturada violentamente e ofendida. Foi então condenada à morte. Faleceu provavelmente em Roma, martirizada, no ano 257.
  32. • Anatólia* (?, ? - 250, Roma) - Virgem mártir juntamente com as Santas Vitória e Audax - 10/07 Nasceu em local e data não identificado por nós. A história dessa Santa é pouco conhecida. Sabe-se que era irmã de Vitória e talvez amiga de Audax. As irmãs haviam sido prometidas a não Cristãos, fato que as fizeram recusar o casamento. Segundo a Tradição os dois pretendentes para se vingar as denunciaram e o imperador Decius as condenou à morte. Faleceu em Roma, martirizada, ano 250.
  33. • Angadrisma (séc. VII, França - 695/698, França) - Virgem - 14/10 Nasceu no século VII, na França. Prima de São Lambert de Lion. Foi prometida, contra a sua vontade, por esse motivo pediu um milagre para impedir o casamento. Angadrisma contrai a lepra e o pretendente se recusa a casar-se. Então ela ingressou no Convento. Milagrosamente no momento que ela recebeu e colocou o véu de freira a doença sumiu surpeendendo a todas as irmãs que acompanhavam a cerimônia. Alguns anos depois foi eleita Abadessa do Convento de Aroër, na França. Faleceu na França,de causas naturais, entre os anos 695 e 698.
  34. • Ângela da Cruz Guerreiro Gonzáles (1843, Espanha - 1932, Espanha) - Virgem e fundadora - 02/03 Nasceu em 30 de janeiro de 1846, em Sevilha, Espanha. Seus pais eram muito pobres e tiveram quatorze filhos, mas apenas cinco dos irmãos atingiram a maioridade. Fez a Primeira Comunhão aos oito anos de idade e a Crisma aos nove anos de idade. Seu pai era cozinheiro e sua mãe lavadeira. Aos doze anos Ângela foi obrigada a abandonar os estudos para trabalhar em uma fábrica de sapatos. Rezava o Rosário diariamente e grande devota de Jesus Cristo Crucificado. Tentou ingressar na Ordem das Carmelitas, mas foi recusada. Com dezenove anos é aceita, mas logo em seguida fica gravemente enferma e é obrigada a retornar para a sua família. Quando a cura chegou voltou à Ordem e passou a cuidar dos doentes de cólera e também daqueles que eram mais pobres do que ela própria. Em 1868 ingressou no Convento das Filhas de Caridade de Sevilha, na Espanha, mas sua saúde mais uma vez lhe prega uma surpresa e mais uma vez tem que retornar para a casa dos pais. Com a aprovação do seu pai, Padilha, cria uma casa de Caridade e praticar a sua vocação. Teve em 1873 uma visão e foi orientada a trabalhar pelos pobres e necessitados e em 1875 pode fundar oficialmente a Congregação da Cruz. Atendia a pobres, doentes, órfãos, sem tetos, fornecendo alimentação para o físico e a alma, medicamento para o corpo e para o espírito, dando alojamento e muito mais. Para manter a Congregação dependia de esmolas e tudo era aplicado na Congregação. No início eram três irmãs trabalhando, com o tempo passou a vinte e três. Faleceu em Sevilha, Espanha, de causas naturais, no dia 02 de março de 1932. Foi Beatificada no dia 05 de novembro de 1982, pelo Papa João Paulo II e, foi Canonizada no dia 04 de maio de 2003, pelo mesmo Papa, ambos na Espanha. Conhecida também como: Ângela da Cruz; Ângela Guerreiro Gonzales; Angelita; Maria dos Anjos e Mãe dos Pobres.
  35. • Ângela de Foligno (1248, Itália -1309, Itália) - 04/01 Nasceu em Foligno, Itália, no ano de 1309. Sua família era rica e de boa posição social. Ainda jovem, casou-se com um nobre e passou a levar uma vida cheia de "conforto" participando de festas da elite, com grandes vaidades entre outras atividades e futilidades não religiosas. Porém uma tragédia abateria a sua vida, numa seqüência muito rápida, faleceram seus pais, o marido e em seguida, um a um, todos os seus filhos, que eram em grande número. Estes acontecimentos fortaleceram Ângela e aumentaram a sua fé em Deus, foi quando, em 1291, doa todos os seus bens (riquezas) aos pobres e consagra seus votos religiosos à Ordem Terceira de São Francisco. Realizava grandes penitências e orava com muita freqüência e, numa determinada data, em sonho é orientada por São Francisco para se dirigir até Assis, em peregrinação. Ângela não pensou duas vezes e partiu como foi orientada e, após a visita a Assis, deu-se o início das manifestações Divinas. Os relatos textuais sobre estas manifestações descrevem as dores sentidas pela Santa a ponto de sentir as dores da Crucificação de Jesus Cristo. Estas manifestações foram acompanhadas, em grande parte, pelo seu diretor espiritual o futuro Santo Arnaldo de Foligno e posteriormente registrados. Vale destacar que a própria Santa fazia seus próprios registro e eles foram unidos tornando-se um único livro. Outra qualidade de Santa Ângela foi a dedicação na orientação espiritual, por meio de cartas, a todos aqueles que procuravam a sua ajuda ou socorro e não eram poucos, mas ela não deixava de responder a todos. Em seus relatos consta que durante algumas Missas via na Santa Hóstia a Imagem de Jesus Cristo. Faleceu em Foligno – Itália, no dia 04 de janeiro de 1309. É enterrada na Igreja de São Francisco. Mesmo após a morte, muitos devotos que visitavam o seu túmulo, foram abençoados com graças e prodígios. Considerada a padroeira das viúvas, protetora da morte prematura de crianças e tem o título de "Mestra dos Teólogos". Foi Canonizada pelo  Papa Paulo III, em 1547 e mais tarde, em 1707, o Papa Clemente XI abençoou o culto à Santa.
  36. • Ângela de Mérici (1470/4, Itália - 1540, Bréscia) - 27/01 Nasceu, na cidade de Desenzano, na região norte da Itália, em 1470/4. Sua família era muito pobre, pois eram camponeses, mas muito religiosos. Muito sedo perdeu seu pai, pouquíssimo tempo depois a mãe e, por fim, mais uma fatalidade ocorreu, perde a irmão, que era mais nova e a quem era muito ligada. Por essa razão foi morar com um tio, mas que também veio a falecer. Muito amargurada e chorando muito volta para a sua cidade natal e com apenas treze anos ela pede para entrar no Convento da Ordem Terceira de São Francisco de Assis. Mesmo tendo apenas feito o curso primário Ângela foi conselheira de governadores, bispos, doutores, monges, sacerdotes, leigos etc. Era uma pessoa que se entregou a deus em razão dos seus sofrimentos e através do Espírito Santo se tornou uma excelente conselheira. Lutou muito contra o paganismo, pois o momento histórico que vivia era bastante conturbado e repleto de renovações, este período era o Renascimento e para garantir que Fé continuasse existindo era preciso reorganizar a ordem familiar, por esta razão fundou a Comunidade das Irmãs Ursulinas, destinada a atender as jovens e famílias para evitar que as primeiras fossem levadas para os perigos morais. A criação e o nome da Comunidade foi dado por inspiração de Nossa Senhora, a Virgem Maria e em homenagem a Santa Úrsula, mártir do séc. IV. Esta Santa era muito respeitada e admirada por Ângela, pois ela havia organizado e dirigido um grupo de jovens, todas virgens e que morreram defendendo sua religião e a sua castidade. Organizou e orientou um grupo de jovens, num total de vinte e cinco, para levar aos pagãos o Catecismo. Estas moças visitavam cada um dos bairros e Nasceu em Kalisz, na Polônia, em 16 de maio de 1825. Filha mais velha do casal Joseph e Josephine Truszkowski, família de renome e nobre daquele país. Seu nome de Batismo era Sophia Camille Truszkowska. Em 1841 com problemas respiratórios mudou-se para a Suíça. Aos 23 anos um acontecimento a faz decidir pela vida religiosa. Ingressou na Sociedade São Vicente de Paula, em 1855. Retornando à Polônia, passou então a trabalhar pelos pobres, cuidar de crianças, idosos etc. Em 1855 se torna uma Terciara Franciscana e passa a se chamar Ângela. É nessa mesma época que passa a ter problemas de audição. Faleceu na Polônia, de causas naturais, em 10 de outubro de 1899. Foi Beatificada pelo Papa João Paulo II, no dia 02 de abril de 1982. Foi Canonizada pelo Papa João Paulo II, no dia 08 de abril de 1993. vilas levando os ensinamentos do Catecismo. As "Ursulinas" tinham como objetivo levar às futuras mães o ensinamento como a fidelidade, seguir as Leis de Deus, saber criar os filhos sob os dogmas do Cristianismo. Ela também defendia que uma verdadeira e sólida educação Cristã para as moças poderia acontecer apenas em clausura. Depois de muito trabalho decidiu transformar a Comunidade em uma Congregação Religiosa. Antes de se dirigir à Roma para iniciar o processo de criação da Congregação, foi para Jerusalém e logo que chegou lá perdeu a visão, mas este acontecimento não a impediu de visitar todos os locais sagrados, pois ele não via com os olhos, mas com o espírito, apoiada pelo Espírito Santo. Durante o regresso parou numa pequena cidade onde havia uma Cruz Milagrosa, Ângela foi até o local, ajoelhando-se, orou e foi curada. Apenas alguns anos depois conseguiu uma audiência com o Papa Clemente VII e a partir daquele momento deu início à sua Congregação. Dez anos depois Ângela  implanta na Bréscia a sua Congregação e ela mesma administrava. Faleceu na Itália, em janeiro de 1540. Nasceu na Grécia, no final do séc. III. Sua família era muito rica, mas também muito bondosos e crentes na Fé Cristã. Ainda muito jovem ficou órfão de pai e mãe. Como filha única herdou toda a fortuna de seus pais. O Império Romano dominava muitas áreas do mundo e impunha a sua crença em deuses pagãos ou deuses de pedra. Naquela época Maximiliano, imperador romano, decretou que todos aqueles e aquelas que não renunciarem a Fé em Jesus Cristo e também não reverenciar os deuses romanos seria torturado e morto. A violência do imperador contra os Cristãos chegava ao limite de autorizar qualquer pessoa a assassinar Cristãos, o mais incrível, esta pessoa não seria punida, mas passaria a ser um heroi. A herança recebida por Anísia era muito grande, muita joia, dinheiro, escravos, propriedades urbanas e rurais etc. A jovem que tinha na vocação o desejo de seguir sua Fé, então vendeu todos os seus bens e libertou todos os escravos. Com o que arrecadou passou a ajudar os órfãos, idosos, pobres, necessitados, doentes... Outra atitude de Anita era o de cuidar pessoalmente dos doentes e enfermos. Cuidava também daquelas pessoas que haviam sido torturadas, mas também os ajudava espiritualmente. Aconteceu que o dinheiro acabou e Anísia teve que trabalhar para se sustentar. Lutou sem medo e nada a impediu que visitasse os presos e enfermos cuidando e consolando-os. Secretamente promovia reuniões de oração. Numa certa data foi parada por um soldado que indagou sobre seu destino. Anísia respondeu que seguia para a adoração a seu Deus Cristão. O soldado tentou à força que ela o conduzisse ao local da reunião e lá renunciar a sua Fé e prestar sacrifício aos deuses pagãos. Anísia conseguiu se soltar e disse corajosamente que adorava a Jesus Cristo. Com muito ódio a Cristo o soldado golpeia a jovem com sua espada. Faleceu martirizada, na Grécia, no final do século III ou início do século IV. Foi Canonizada pelo Papa Pio VII, no ano de 1807.
  37. • Ângela de São José Lloret Marti (1875, Espanha - 1936, Espanha) - Mártir - 20/11 Nasceu em Villajoyosa,  Alicante, Espanha, no dia  16 de janeiro de 1875. Fazia parte da Congregação da Doutrina Cristã com belo trabalho na Espanha. Quando a Guerra Civil Espanhola teve início uma grande perseguição contra a Igreja teve início. Dezesseis companheiros foram mortos junto com Ângela. Faleceu em Valência, Espanha, martirizada no dia 20 de novembro de 1936.
  38. • Ângela Truszkowski (1825, Polônia - 1899, Polônia) - 03/03 Nasceu em Kalisz, na Polônia, em 16 de maio de 1825. Filha mais velha do casal Joseph e Josephine Truszkowski, família de renome e nobre daquele país. Seu nome de Batismo era Sophia Camille Truszkowska. Em 1841 com problemas respiratórios mudou-se para a Suíça. Aos 23 anos um acontecimento a faz decidir pela vida religiosa. Ingressou na Sociedade São Vicente de Paula, em 1855. Retornando à Polônia, passou então a trabalhar pelos pobres, cuidar de crianças, idosos etc. Em 1855 se torna uma Terciara Franciscana e passa a se chamar Ângela. É nessa mesma época que passa a ter problemas de audição. Faleceu na Polônia, de causas naturais, em 10 de outubro de 1899. Foi Beatificada pelo Papa João Paulo II, no dia 02 de abril de 1982. Foi Canonizada pelo Papa João Paulo II, no dia 08 de abril de 1993.
  39. • Angelina de Marciano (?, ? - ?, ?) - 13/07
  40. • Anísia (séc. III, Grécia - séc. III/IV, Grécia) - Mártir - 30/12 ou 12/01 Nasceu na Grécia, no final do séc. III. Sua família era muito rica, mas também muito bondosos e crentes na Fé Cristã. Ainda muito jovem ficou órfão de pai e mãe. Como filha única herdou toda a fortuna de seus pais. O Império Romano dominava muitas áreas do mundo e impunha a sua crença em deuses pagãos ou deuses de pedra. Naquela época Maximiliano, imperador romano, decretou que todos aqueles e aquelas que não renunciarem a Fé em Jesus Cristo e também não reverenciar os deuses romanos seria torturado e morto. A violência do imperador contra os Cristãos chegava ao limite de autorizar qualquer pessoa a assassinar Cristãos, o mais incrível, esta pessoa não seria punida, mas passaria a ser um heroi. A herança recebida por Anísia era muito grande, muita joia, dinheiro, escravos, propriedades urbanas e rurais etc. A jovem que tinha na vocação o desejo de seguir sua Fé, então vendeu todos os seus bens e libertou todos os escravos. Com o que arrecadou passou a ajudar os órfãos, idosos, pobres, necessitados, doentes... Outra atitude de Anita era o de cuidar pessoalmente dos doentes e enfermos. Cuidava também daquelas pessoas que haviam sido torturadas, mas também os ajudava espiritualmente. Aconteceu que o dinheiro acabou e Anísia teve que trabalhar para se sustentar. Lutou sem medo e nada a impediu que visitasse os presos e enfermos cuidando e consolando-os. Secretamente promovia reuniões de oração. Numa certa data foi parada por um soldado que indagou sobre seu destino. Anísia respondeu que seguia para a adoração a seu Deus Cristão. O soldado tentou à força que ela o conduzisse ao local da reunião e lá renunciar a sua Fé e prestar sacrifício aos deuses pagãos. Anísia conseguiu se soltar e disse corajosamente que adorava a Jesus Cristo. Com muito ódio a Cristo o soldado golpeia a jovem com sua espada. Faleceu martirizada, na Grécia, no final do século III ou início do século IV.
  41. • Anstrudes (sé. VII, França - 668 ou 688, França) - Virgem - 17/10 Nasceu na França, durante o século VII. Provavelmente era filha do casal de São Blandino e Santa Salaberga. O casal fundou o Convento de São João Batista, em Laon, na França. Com a morte de seus pai sua mãe assume como Abadessa a administração do Convento e Astrudes a acompanha. Naquela época Ebroin era o prefeito da localidade e era perseguidor da Igreja. Este homem a ameaçou em diversas oportunidades tentando irritá-la para que o desacatasse, mas a jovem na sua Fé não aceita às provocações e com muita perspicácia e Fé acabou o conquistando e convertendo. Faleceu na França, de causas naturais, no ano 688.

  1. • Antônia (?, ? - ?, ?) - 29/04
  2. • Antonina (?, ? - ?, ?) - Mártir - 12/06
  3. • Antonina de Nicéia (séc. III, Bitinia - 306, Bitinia, atual Turquia) - Mártir - 04/05 Nasceu na Bitinia (atual Turquia), no século III. Antonina era Cristã e foi denunciada. Aconteceu que ela vivia na época do imperador Diocleciano, um grande perseguidor e assassino de Cristãos. Foi presa e torturada com muita violência e crueldade. Os relatos que chegam até nós afirmam que foi torturada com ferro em brasa, quando foram queimados as mãos e os pés. Em seguida é enjaulada e amarrada e a jaula colocada sobre um braseiro. Segundo a Tradição Católica ela ficou presa durante dois dias. Foi levada ao tribunal por soldados para que renegasse a sua Fé em Jesus Cristo e adorar os deuses pagãos. Como se recusou e ainda confirmou sua Fé foi colocada em um saco e jogada num lago pantanoso nas imediações de Nicéa. Faleceu martirizada no dia 04 de maio de 306. * É possível achar informações de que a festa ocorre em outras datas, mas pelo que apuramos é um engano de interpretação, essas datas são: 01/03; 14/03 e 12/06. Isso ocorre porque no Martirológio Romano a apresenta de maneira diferente, mas trata-se da mesma pessoa.
  4. • Antusa (?, ? - ?, ?) - Mãe de Santos - 27/08 Nasceu em local e data não identificados por nós. Sabe-se apenas que Antusa era mãe de Santos. Faleceu em local e data não identificados por nós.
  5. • Antusa (?, ? - ?, Turquia) - Virgem - 18/04 Nasceu em local e data não identificados por nós. Sabe-se que Antusa vivia em Constantinopla, Turquia e era filha do imperador Constantino Coprónimo. Muito caridosa, ajudava aos pobres e necessitados, reformou Igrejas e Monastérios. Por fim ingressou na vida religiosa e recebeu o hábito monástico das mãos do Bispo Tarasio (Santo). Faleceu provavelmente em Constantinopla, Turquia, em data não identificados por nós.
  6. • Ápia (?, ? - ?, ?) - Mártir juntamente com seu esposo Filémon (Santo) -  22 ou 23/11 Nasceu em local e data não identificada por nós. A história de Ápia e seu esposo Filémon Ápia é marcada pela carta escrita por Paulo (Santo) a Filémon quando estava preso em Roma. Nesta carta suplica pela vida de Onésimo e pedia a Filémon ajuda para libertá-lo. Segundo a tradição o casal conseguiu libertação de Onésimo. Faleceu em Colossos, Ásia Menor, martirizada, no séc. I. Naquele mesmo dia Filémon já fora martirizado.
  7. • Apolinária (?, Egito - ?, Egito) - Virgem - 05/01 Nasceu no Egito, em data não identificados por nós. Era filha do imperador Antemio. Sabe-se que Apolinária para poder viver como ermitã se disfarça de homem e passa a se chamar Doroteo. Vai para o deserto e passa a viver sob  direção de Macário (um asceta bastante popular). Numa certa data sua irmã é possuída pelo demônio. Seus familiares resolvem levá-la até Apolinária, ou melhor, Doroteo. Quando a irmã chegou fez inúmeras orações e a jovem foi libertada, no entanto o demônio sabendo que não se tratava de um homem fez com que os monges a acusassem de ter cometido atos imorais com a jovem. Seu pai exigiu uma explicação, mas acabou reconhecendo a filha. Os monges que viviam naquele local só descobriram que ela era uma mulher apenas após a sua morte. Faleceu no Egito, em data não identificada por nós.
  8. • Apolônia de Alexandria (séc. III, Alexandria - séc. III, Alexandria) - Virgem mártir - 09/02 Nasceu em Alexandria, Egito, no séc. III. A perseguição romana ao Cristianismo não ocorreu apenas na Terra Santa e na própria Roma, mas também no Egito e outros países dominados. Apolônia foi vítima desta perseguição aos Cristãos. Quando tinha quarenta anos, já muito desgastada pelo tempo, quando da festa que comemorava o primeiro milênio do Império Romano, muita insanidade foi cometida após as críticas feitas por um adivinho egípcio contra o Cristianismo levou a população favorável a Roma iniciar um grande massacre. Foram diversas invasões às casas dos Cristãos, onde aqueavam e em seguida matavam seus moradores, fossem adultos ou crianças. Durante o tumulto não houve esforço por parte dos soldados romanos de impedir aquele genocídio. A casa de Apolônia é invadida e ela é agredida, tem os dentes arrancados para que blasfemasse publicamente contra o Cristianismo. Ela se recusa e é levada a uma praça onde havia uma grande fogueira e mais uma vez é induzida a blasfemar contra a Igreja, caso contrário seria jogada viva em seu interior. Apolônia solicita que a solte e foi atendida, pois seus perseguidores acharam que ela iria atendê-los, mas para a surpresa de todos a Sra. se joga na fogueira padecendo queimada viva e em nenhum momento blasfemando contra a Igreja e Cristo. Faleceu em Alexandria, no Egito, no dia 09 de fevereiro, em ano não identificado por nós, mas ainda no séc. III.
  9. • Aquilina (séc. III, Ásia Menor - 304, Ásia Menor) - Mártir - 13/06 Nasceu em Biblis, na Palestina, Ásia Menor, no final do séc. III. Numa certa data passam pela região onde Aquilina vivia um grupo de missionários que exaltavam Jesus Cristo e o poder da ressurreição. Os missionários a pedido de Aquilina fizeram seu Batizado. Logo após o Batismo passou a ajudar as pessoas e necessitados sem ocultar sua preferência por Jesus Cristo. Nessa época era muito jovem, tinha apenas 12 anos de idade. Essa atitude provocou o início da perseguição. Por ordem do imperador a jovem foi presa e levada a sua presença. Foi então exigido da garota o sacrifício aos deuses pagãos. Como era uma Cristã convicta se recusou. Imediatamente foi condenada à morte. Faleceu na Palestina, martirizada por decapitação, no dia 13 de junho de 304.
  10. • Ariana (?, ? - 130, ?) - Mártir - 17/09 Nasceu em local e data não identificados por nós. Sabe-se apenas que Ariana (ou Ariadne) era escrava, mas Cristã. Numa certa data durante as festas de aniversário do prícipe Ariana se recusou tomar parte, pois eram feitos sacrifícios para os deuses pagãos. Perseguida fugiu em direção de um monte quando uma pedra, milagrosamente, se abriu formando uma passagem, logo em seguida se fechou protegendo a jovem. Dizem que aquele local tornou-se sua tumba, por nunca mais foi vista. Faleceu martirizada, no ano 130.
  11. • Artelaide (544, Constantinopla - 560, Benevento -a atual Itália) - Virgem - 03/03 Nasceu em Constantinopla, no ano 544. Filha do pro cônsul Lucius e Aithuesa. Quando já jovem foi desejada pelo imperador Justiniano, mas ela recusou, pois já havia feito votos de castidade. Por esse motivo mudou-se para Benevento (atualmente é a Itália). Pouco tempo depois tentam seqüestrá-la, mas milagrosamente consegue fugir. Sua vida foi bem curta, pois aos 16 anos de idade tem febre muito alta, fato que a deixa bastante enferma. Faleceu Benevento, atual Itália, no ano 560.
  12. • Asela de Roma (?, ? - ?, ?) - Virgem - 06/12 Nasceu em Roma, em data não identificada por nós. Ingressou no Convento aos dez anos de idade. Aos doze anos de idade mudou-se para uma cela, num Convento em Roma e lá passou o resto de sua vida. Era muito comum ela e companheiras fazer visita aos túmulos de mártires. Recebeu também a visita de Historiador e Bispo Paladius. Sua história foi escrita por São Jerônimo. Ele a chamou de "Uma flor do Senhor". Faleceu provavelmente em Roma, de causas naturais, no ano 406.
  13. • Atanasia (ou Anastácia) (Grécia, Séc. IX - Grécia, Séc. IX) - Mãe de família - 14/08 Nasceu na Ilha Egina, na Grécia, no séc. IX. Pretendia seguir a vida religiosa, mas foi obrigada a se casar. Quando ficou viúva, novamente foi obrigada a se casar. Seu primeiro marido era uma ótima pessoa, mas morreu ao defender o porto dos mouros. Seu segundo marido era, como o primeiro muito rico, um ser humano bom e misericordioso. Juntos dedicaram sua vida para atender aos pobres e necessitados, indigentes e principalmente à oração. Quando já velhos se separaram para preparar de sua maneira para a morte. Atanásia permaneceu no seu palácio e que algum tempo depois o transformou em um convento. Logo passou a dirigir uma comunidade religiosa feminina. Numa certa data foi acometida por uma grave enfermidade, mas continuou a administrar sua comunidade. Faleceu no seu Convento, na Grécia, no séc. IX.
  14. • Atanasia (séc. IV, Egito - séc. IV, Egito) - Esposa de Santo Andronico - 09/10 Nasceu em Alexandria, no Egito, no séc. IV. Naquela o imperador era Teodósio (379-395) Anastásia e seu marido Andronico viviam muito felizes com os dois filhos Juan e Maria. Em certa data o casal é surpreendido pela morte dos filhos. Os dois concluíram que a morte das crianças era um castigo de Deus por não se dedicarem com mais afinco às palavras de Jesus Cristo. Atanásia frequentemente era vista chorando ao lado do túmulo dos filhos. Num certo dia quando estava ao lado do túmulo uma pessoa desconhecida se aproxima e lhe diz que os filhos estão bem no reino do Céu. Essa mesma pessoa a orienta a se consagrar, juntamente com seu marido, às palavras de Jesus Cristo. Seu marido era um ferreiro muito trabalhador e foi lá que Atanásia lhe conta o ocorrido. Ela afirma que a pessoa que lhe apareceu era São Juliano. Imediatamente o casal distribuiu todos os seus bens aos pobres. A partir desta época fizeram muitas viagens para o Egito e a Terra Santa. Quando voltava da Palestina em uma de suas viagens encontraram Daniel (Santo), que lhes sugeriu: Andronico deveria segui-lo e Atanásia deveria ingressar no Monastério Feminino de Tabana. Doze anos depois Atanásia se veste de homem para viver num monastério masculino e assim poder submeter-se a torturas e Penitências. Sua atitude resultou na administração daque monastério por parte de Atanásia. Andronico, em certa época, teve o desejo de conhecer o Monastério administrado por Atanásia. Aconteceu que ele não sabia que era a sua esposa. Quando chegou foi logo reconhecido por Atanásia, mas essa preferiu se ocultar, porém o convidou para fazer parte daquele grupo de religiosos. Atanásia faleceu, mas não se sabe se descobriram seu segredo. Doze anos depois foi a vez de Andronico deixar este mundo. Faleceu no seu Convento, no Egito, no séc. IV.
  15. • Atrata (séc. V, Irlanda - séc. VI, Irlanda) - Virgem - 11/08 Nasceu em Sligo, Irlanda, no séc. V. Filha de pais nobres. Sua opção religiosa não era aceita pelos pais. Ingressou no Convento de São Patrick, Coolavin, na Irlanda. Foi um trabalho difícil, pois aceitou a missão de converter a Irlanda. Seu trabalho foi um sucesso e em certa data fundou um hospício (funcionou até 1539) em Lough Gara, na Irlanda. Alem desse fundou Igrejas e Conventos. As irmãos que viviam nesse Conventos tinham a missão de cuidar dos doentes e aqueles que necessitavam maior atenção eram transferidos para o hospital. Existem também apontados diversos milagres envolvendo Adrata. Faleceu na Irlanda, no séc. VI.
  16. • Audax (?, ? - 250, Roma) - Virgem mártir juntamente com as Santas Vitória e Anatólia* - 10/07 Nasceu em local e data não identificado por nós. A história dessa Santa é pouco conhecida. Sabe-se que era irmã de Vitória e talvez amiga de Audax. As irmãs haviam sido prometidas a não Cristãos, fato que as fizeram recusar o casamento. Segundo a Tradição os dois pretendentes para se vingar as denunciaram e o imperador Decius as condenou à morte. Faleceu em Roma, martirizada, ano 250.
  17. • Augusta (séc. V, Itália - séc. V, Itália) - Mártir - 11 ou 27/03 Nasceu na Itália, no séc. V. Filha do duque Friuli. Seu pai era um ateu e não aceitava o Cristianismo. Quando Augusta se converte ficou muito furioso. Ele decidiu então que a filha deveria ser punida por suas mãos. Faleceu na Itália, martirizada por seu próprio pai, no séc. V.
  18. • Áurea (1042, Espanha - 1069, Espanha) - Virgem - 11/03 Nasceu em Villavelayo, na Espanha, no ano 1042. Ingressou no Convento de São Millan de Cogolla. Nessa época a Espanha havia sido invadida pelos mouros. Existem diversos relatos de milagres realizados por interseção de Áurea. Faleceu, de causas naturais, naquele convento, na Espanha, no ano 1069.
  19. • Áurea (IX, Espanha - 858, Espanha) - Mártir - 19/07 Nasceu em Córdoba, na Espanha, no séc. IX?. Áurea havia ficado viúva e logo em seguida foi convertida para o Cristianismo. Aconteceu que a Espanha estava dominada pelos mouros e ela foi denunciada pela sua própria família. Foi presa e condenada à morte. Faleceu, em Córdoba, na Espanha, martirizada, por decapitação, no ano 856.
  20. • Áurea (séc. III, Itália - 270, Itália) - Mártir - 24/08 Nasceu na Itália, no séc. III. Desta Santa não foi possível obter maiores informações. Sabe-se que Áurea foi Martirizada. Faleceu em Óstia, na Itália, martirizada, no ano 270.
  21. • Áurea (séc. VII, França - 667, França) - 04/10 Nasceu provavelmente na França, provavelmente no séc. VII. Era Abadessa do Convento Marcial, em Paris. Durante trinta e três anos dirigiu a comunidade que possuía em torno de 160 freiras. Segundo informações obtidas por nós, mas não confirmadas, o Convento foi assolado por uma peste e todas as freiras vieram a falecer. Faleceu no Convento, na França, no ano 667. Nasceu na França, no séc. X. Pertencia á familia real do rei Hugh Capel. Conta a história que Aurélia para escapar de casamento arranjado fugiu para um Mosteiro secretamente e passou a dedicar-se a vida religiosa. Foram 52 anos de dedicação à Fé, caridade e o amor a Jesus Cristo. Apenas o bispo Wolfgang de Ratisbon sabia onde estava vivando. Faleceu na França, provavelmente no Séc. X.
  22. • Áurea (séc. VIII, França - séc. VIII, França) - 06/10 Nasceu em Amiens, na França, provavelmente no séc. VIII. Era Abadessa de uma comunidade religiosa muito grande. Sabe-se muito pouco sobre seus atos e vida, no entanto algumas informações chegadas aos nossos dias dão conta de que era extremamente devota, fazia orações durante horas e era muito sábia. Faleceu na França, no séc. VIII.
  23. • Aurélia (séc. X, Áustria - 1027, Áustria) - 15/10 Nasceu na Áustria, no séc. X. Aurélia pertencia a uma família nobre, era simplesmente uma princesa. Numa certa data decidiu abandonar tudo e se tornou uma ermitã. Era amiga de São Wolfgang. Por mais de cinquenta anos de sua vida religiosa se dedicou aos trabalhos religiosos e de solidariedade no Convento Beneditino, em Salzburg, na Áustria. Faleceu naquele Convento, na Áustria, no ano 1027.
  24. • Aurélia (?, Itália - 258, Itália) - Mártir - 02/12 Nasceu na Itália, em data não identificada por nós. Durante a perseguição de Valeriano foi presa e condenada a morte. Faleceu na Itália, no ano 258.
  25. • Aurélia de Strasbourg  (ou Aurélia de Ratisbon) (séc. X, França - ?séc. X, França) - 15/10 Nasceu na França, no séc. X. Pertencia á familia real do rei Hugh Capel. Conta a história que Aurélia para escapar de casamento arranjado fugiu para um Mosteiro secretamente e passou a dedicar-se a vida religiosa. Foram 52 anos de dedicação à Fé, caridade e o amor a Jesus Cristo. Apenas o bispo Wolfgang de Ratisbon sabia onde estava vivando. Faleceu na França, provavelmente no Séc. X.
  26. • Aurélia Neomísia (?, ? - ?, ?) -Canonizada juntamente com a Santa Macerata - 25/09
  27. • Austreberta (630, França - 704, França) - Virgem e abadessa - 10/02 Nasceu Artois, na França, no ano 630. É obrigada a um casamento indesejado, mas não aceitando vai para o Convento São Omer. Com o tempo foi eleita Abadessa. Faleceu, naquele convento, na França, no  ano 704.

Voltar para o conteúdo